Colocado em 2. Agosto 2019 In Vida em Aliança

Matrimonios de Santa Cruz en salida

BOLÍVIA, Mariluz Kuszevic e Guillermo Montero •

No fim-de-semana, domingo catorze de julho, um grupo de casais de Schoenstatt de Santa Cruz, Bolívia, com um maior grau de compromisso, chamado “militância” em alguns países da América Latina, partilhou um encontro com os grupos Monte Cristo e Anjos de Maria, radicados em duas comunidades rurais a 54 km a sudoeste da cidade de Santa Cruz de la Sierra, onde teve lugar o atelier “santuário coração”, cuja finalidade é preparar os schoenstattianos para a conquista do santuário filial da família de Santa Cruz.

Monte Cristo e Anjos de Maria são dois grupos de casais que se têm formado durante vários anos sob a pedagogia de Schoenstatt e se converteram num ponto de referência muito importante dentro da zona e de inspiração para os schoenstattianos de Santa Cruz.

O atelier é um convite a cada um para trabalhar de forma pessoal para construir primeiro o santuário no próprio coração, com orações e com atitudes positivas à luz da sagrada palavra, mas sobretudo com uma mudança de vida, que nos afaste do mundo mecanicista do qual em meados do século passado nos falava o Pe. José Kentenich, visualizando o negativo que é a separação entre o ser e o atuar, ou seja a incoerência entre o apresentarmo-nos perante os outros de uma maneira e o atuar diferente na realidade da vida diária. Dito de outra forma, devemos unir fé e vida.

Para isso, temos que trabalhar em nós próprios, à procura dessa mudança que nos permita construir um santuário vivo para a Mater nos nossos corações.

Precisamos afastar-nos dos impulsos e estímulos exteriores que nos distraem e dificultam o nosso crescimento interior e espiritual, e esforçarmo-nos em desenvolver e viver mais intensamente os meios ascéticos que conhecemos e que nos ajudam a cultivar a nossa espiritualidade para chegar à meta do santuário interior do coração, assumindo um novo estilo de vida schoenstattiano, imitando a Mater três vezes admirável, que foi o primeiro santuário de Jesus, o filho de Deus, já que Maria, ao ser a primeira custodia viva, nos ensina a levar o Deus trino no nosso coração, devemos ser merecedores dessa graça, já que, como nos diz S. Paulo, o nosso corpo é templo do Espírito Santo.

Dizia o nosso pai fundador que, de todos os santuários: original, filial, lar, trabalho, o mais importante é o santuário coração, porque eleva a nossa dignidade de filhos de Deus e nos ajuda a vincularmo-nos melhor à Mater.

Como reflexão, poderíamos perguntar:

  • Posso ser eu uma custodia viva que irradie o amor de Deus?
  • Sinto-me um construtor de um novo mundo?
  • Que propósito concreto posso assumir para conectar-me com o Deus do meu coração?

Se o santuário coração nos ajuda a estar mais vinculados a Deus e à nossa Mater, e nos torna dignos de construir um santuário filial, assumamos, desde já, ser construtores do nosso próprio santuário coração.

 

Original: espanhol. 21.07.2019. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *