Colocado em 21. Julho 2019 In Vida em Aliança

Sou feliz quando vejo que vocês são felizes

PARAGUAI, Dani Vega •

“Sou feliz quando vejo que vocês são felizes” disse-me Ramón (noviço dos Padres de Schoenstatt) ao despedirmo-nos. O sábado, 6 de julho, foi um dia muito especial por ser a tomada de túnica do novo curso de noviços dos Padres de Schoenstatt, mas o que lhe deu um toque especial foi o facto de Ramón Vergara (da Juventude Masculina da Ciudad del Este e grande amigo) estar no grupo. Toda a família de Ciudad del Este esteve em festa, e assim, fomos acompanhar o nosso querido Ramón neste momento tão importante. —

 

O pedido de Ramón

Em março, tempo antes de partir para o noviciado, Ramón pediu-nos que organizássemos uns grelhados com os amigos, se fosse possível, próximo de Tuparenda. Falámos de possíveis lugares, mas como primeira opção, ficou a casa de um amigo, Claudio Rivarola, en San Bernardino e por algum tempo não se falou mais do assunto.

Um dia antes da grande festa, começámos a partir em diferentes grupos e horários, mas com a premissa de nos encontrarmos todos em Tuparenda.

No último momento

Chegou o dia, e no início da manhã já se sentia essa ansiedade própria de um momento tão antecipado. A ideia do grupo era sair cedo para chegar com uma boa margem de tempo antes de começar a cerimónia, mas, para juntar um pouco mais de emoção, chegámos quando estava a soar a última badalada antes da missa. Entrámos praticamente a correr, e ao chegarmos já se sentia um ambiente de céu, de festa, ao vermos todos os noviços prontos para a procissão de entrada.

A celebração foi muito emotiva, muito forte, e apesar de em muitos momentos ter um nó na garganta, a alegria que sentia por todos os rapazes, e especialmente por Ramón, era tão grande que se expressava com um sorriso de orelha a orelha, mais ainda ao recordar os momentos de longas conversas, ou as reuniões que tínhamos com Ramón, e onde se notava a léguas, praticamente desde sempre, o seu amor por Schoenstatt.

Ao terminar a missa, a festa continuou. Foram momentos de muita alegria, de partilha com Ramón, com a sua família e amigos, também tempo de oferecer família aos irmãos que vinham de outros países, como Espanha, Chile ou Argentina.

O encontro “em família”

No dia seguinte tivemos o encontro com os amigos e família de Ramón na casa de Claudio. Num momento da conversa, olhei ao meu redor, e vi que, apesar da organização ser complicada. Tudo estava a acontecer como tínhamos programado com Ramón. Meses depois, tudo aconteceu como se Deus o tivesse querido assim desde sempre.

O festejo ainda não tinha terminado, a conversa, o bombardeamento de perguntas a Ramón e as suas clássicas piadas. Sentámo-nos a comer e as anedotas continuaram até que chegou o momento de levantar e limpar o acampamento. Quando terminou a limpeza, enquanto Ramón conversava pessoalmente connosco, começou uma mítica partida de “25” para acabar a tarde, recordando a nossa infância, tudo entre risos e alegria.

 

Um encontro com Jesus

Na despedida, disse a Ramón que estava mesmo muito feliz por ele, ao que Ramón me respondeu com a frase que citei ao principio. Isso fez-me perceber que não era apenas mais uma festa, mas que todo este festejo foi um encontro com Jesus e toda essa alegria brotava do seu coração, que se fez palpável na entrega dos rapazes, no amor das famílias ao acompanhar os seus filhos, nos amigos que Ele próprio nos dá, e esse ser amigos em Jesus era o que nos fazia viver esses momentos de céu em cada partilha. Por isso nos alegrava tanto ver o nosso amigo, porque era o próprio Jesus que estava feliz. Então, para além de Ramón, era o próprio Cristo que nos dizia: “Sou feliz quando vejo que vocês são felizes”.

 

 

Fotos e vídeos: Ani Souberlich, Dani Vega

Original: espanhol. 11.07.2019.Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *