Colocado em 10. Junho 2019 In Vida em Aliança

Santa Cruz – a melhor renovação da missão do 31 de maio

BOLIVIA, Alexandra Kempff •

Poderia escrever um artigo todos os dia sobre as emoções que vivemos nesta preparação para a construção do santuário de Santa Cruz. Desde a euforia e confiança em que tudo é possível, até à grande dúvida de se vamos ser capazes de pagar todas as despesas que se vão projetando. Pelo meio, muita meditação e oração para ir escutando a divina Providência e evitar que as nossas vozes humanas nos confundam. —

Preparando o perímetro onde se começará a construção

Algo que em seu momento simplesmente pareceu um facto curioso

Em 2016 num passeio familiar, enquanto visitávamos San José de Chiquitos, uma povoação situada a 270 quilómetros de Santa Cruz que pertence às Missões Jesuíticas, chamou-nos muito a atenção que ao acabar a missa toda a comunidade rezou a pequena consagração acompanhados do sacerdote. Isso é algo que apenas se vê nas missas organizadas por Schoenstatt.

 

A selfie do fotógrafo não podia faltar

A pedra fundamental

Em 2019, como presente a Schoenstatt decidiu-se que a pedra fundamental se abençoaria renovando a missão do 31 de maio. Começámos à procura de uma pedra que fosse “bonita”, digna de ficar exposta num muro do santuário. Contudo, o meu esposo Roberto é uma pessoa que medita em tudo e reza entes de atuar, algo que admiro mas que ao mesmo tempo leva-me a desesperar em numerosas ocasiões porque demora o seu tempo para as decisões. Nem sequer uma tarefa aparentemente tão simples com arranjar uma pedra que fosse adequada e bonita foi deixada ao acaso.

Depois de percorridos os lugares onde vendem os materiais de construção soube que a resposta estava em San José de Chiquitos e encontrou a conexão com 2016. Ali está a única igreja que tem fachada de pedra, onde as pessoas se consagram ao finalizar a missa e onde inicialmente se fundou Santa Cruz em 1561 antes de mudar a cidade onde se encontra atualmente. Roberto contactou com o pároco de San José o qual aceitou doar-nos uma pedra da mesma igreja e Claudio Baluzzo, do ramo dos casais, que trabalha perto de San José, ofereceu-se para a trazer.

Essa pedra não será simplesmente adequada e bonita, será o símbolo de uma nova fundação de Santa Cruz através do santuário de Schoenstatt. Nela vamos simbolizar as novas Missões através do  Schoenstatt em saída.

 

 

O grupo de casais Discípulos de Cristo organizou um terço iluminado como vigília ao nosso grande evento

Preparação para o primeiro grande dia

Assim no dia 31 de maio, encontramo-nos com muitas mãos anónimas, generosas e desinteressadas trabalhando para adornar e preparar tudo para o que vai acontecer no dia 1 de junho: coroaremos a Mater como a rainha da unidade e da construção e abençoar-se-á a pedra fundamental.

Uma imagem diz mais que mil palavras, pelo que agradeço as fotos de Eduardo Gutiérrez e de Luico Egüez que transmitem muito mais do que possamos explicar.

 

A Irmã Silvia Beltrán, nossa assessora que veio do Chile para nos acompanhar, rodeada pelos coordenadores da família e os chefes do ramos de casaiss

 

Original:espanhol. 02.06.2019. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Santa Cruz – a 365 dias da bênção do futuro santuário de Schoenstatt

 

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *