Colocado em 30. Março 2019 In Vida em Aliança

Sião do Pai, à medida que os anos passam…

ARGENTINA, Pe. Alberto Eronti •

Há 25 anos, no Domingo 27 de Fevereiro de 1994, Mons. Claudio Giménez Medina, nesse tempo Bispo Auxiliar de Asunción (Assunção), Paraguai, abençoou solenemente, o Santuário de Sião do Pai, em Florencio Varela, Província de Buenos Aires. Depois de anos de preparação espiritual, a Região dos Padres de Schoenstatt decidiu fazer face à construção do Santuário – isto é, da sua fonte de graças – junto da Casa Regional.—

Então, estiveram presentes Padres da Argentina, Alemanha, Brasil, Chile, Espanha e Paraguai. Também a presença fraterna de sacerdotes do Clero Diocesano. Tivemos uma forte presença dos Institutos da Família: Irmãs de Maria, Nossa Senhora de Schoenstatt e das Famílias; das Uniões de Mães, das Famílias e das Senhoras. Os numerosos representantes das Famílias Diocesanas do país, como também, do Chile, Paraguai, Portugal e Uruguai, criaram um clima de festa naquele dia. Fomos muito acompanhados e animados.

P. Alberto Eronti 

25 Anos depois

No Domingo 24 de Fevereiro deste ano, após 25 anos, voltámos a reunir-nos para comemorar o vivido ao redor deste lugar de graças. O caminho percorrido ao longo destes anos não foi fácil. Naqueles tempos tivemos sonhos e projectos, talvez um pouco utópicos mas, nada grandioso se faz sem utopias. O tempo fez o seu trabalho e muito daquilo ficou pelo caminho.

Contudo, esta alteração foi “conduzida” pelo Espírito. Nem tudo aconteceu como o tínhamos pensado mas, tudo aconteceu como Deus o tinha planeado. Ele não é um “improvisador”, sabe que as melhores obras levam tempo. Os tempos de gestação e realização de um projecto não dependem, em primeiro lugar, dos Homens mas, do Deus da Vida.

Naqueles anos, dissemos a Nossa Senhora que queríamos construir com Ela, “o povo de Maria”. Parte desse “povo” era a Comunidade dos Padres, os Sacerdotes Diocesanos, a Obra das Famílias, a Juventude Masculina, a Campanha da Mãe Peregrina, as obras sociais…

 

Tudo aconteceu de modo diferente mas, tudo o que aconteceu foi e é belo

À distância de 25 anos daquele dia, podemos dizer: tudo aconteceu de modo diferente mas, tudo o que aconteceu foi e é belo. Pouco a pouco, fomos percebendo os caminhos que, no seu amor, a Providência tinha para nós. Pouco a pouco, ao redor do Santuário, vão surgindo círculos concêntricos de acções diversas:

A Paróquia de S. Pantaleão. A mais pequena, em território, dentro da Diocese mas que, foi conseguindo a sua identidade, o seu crescimento, a sua capacidade de atração evangélica.

O Clube João Paulo II, fundado pelo Pe. Esteban J. Uriburu, para rapazes e raparigas. Com eles vêm os pais, avós, etc. E, assim se vai criando uma família.

A Casa da Criança Padre Kentenich, onde mais de 300 crianças recebem assistência de reforço escolar, educação física, cuidados médicos e alimentação.

Perdura a iniciativa dos leigos do Movimento que, em determinada altura, construiram dois ateliés de ofícios, chamadas “S. José” I e II. Hoje, ambos são dirigidos por ex-alunos. Tudo isto vai crescendo “à sombra do Santuário” e, em comunhão com as iniciativas sociais das nossas Irmãs de Maria que, implementaram um Centro modelo de Assistência Social, à sombra do Santuário Nacional.

 

Uma zona com muitas necessidades espirituais e materiais

Por tudo isto e porque o futuro tem um horizonte amplo, acreditamos que, estes primeiros 25 anos do Santuário Sião do Pai foram imensamente fecundos. Contudo, o melhor está para vir. Os desafios são grandes, trata-se de uma zona em que há muitas necessidades espirituais e carências materiais. Mas, como dizia o Padre Kentenich nestas terras de Florencio Varela: “Maria quer ser Mãe deste povo”, nós queremos ajudá-La sendo Seus instrumentos. Por isso, a celebração dos 25 anos teve a presença de gente simples, com uma fé enraízada e inquieta.

Mãe deste povo

O dia terminou com um encontro ao redor do Santuário de Sião. Quatro membros da Comunidade dos Padres deram os seus testemunhos. Dois irmãos jovens amenizaram com música e cânticos. Finalmente, tudo concluiu com um momento de Adoração Eucarística e a bênção de Jesus sobre todos…Assim chegou a hora de partir e de agradecer com as palavras do Pai- Fundador: Mãe, que teria sido de nós sem Ti, sem o Teu cuidado solícito e maternal?”

 

Original: espanhol (22/3/2019). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *