Colocado em 2. Junho 2018 In Vida em Aliança

Ficaram para trás as palavras do médico que dizia: É difícil conseguir engravidar

PARAGUAI, Mabel y Aldo Alonso •

Em outubro de 2011, Aldo e eu começámos a escrever a nossa história juntos, sabíamos que não seria fácil mas não pensámos que seria tão difícil. Com pouco tempo de casados, foi-me diagnosticado um tumor na cabeça. Sofremos mas conseguimos superar a nossa primeira grande prova. Um tempo depois consegui ficar grávida e a alegria invadiu o nosso lar. Semanas mais tarde, perdi o meu bebé e a dor foi tão profunda que parecia impossível recuperarmos.

Apesar se sermos muito companheiros, a verdade é que faltava mais a presença de Deus na nossa casa, até que a Mãe fez das suas. Em julho de 2014, a minha mãe convidou-me para ir com ela à Alemanha e sem planearmos chegámos a Vallendar, ao Santuário Original de Schoenstatt. Foi com o coração angustiado, cansada da dor, e visitá-lo encheu-me de paz e esperança. Tivemos ainda a graça de visitar o Monte Schoenstatt, onde viveu o Padre José Kentenich. Chegámos à capela onde está o seu túmulo e como muitos que o visitam, deixei escrito o meu grande desejo:  “Quero ser mãe”. Nesse lugar sagrado abri o meu coração e, sem conhecê-lo, depositei a minha confiança nele com a promessa de nos aproximarmos mais da igreja como casal.

Abrimos as portas do nosso lar a Deus

Em maio de 2015 demos o passo que nos faltava, entrámos no Ramo Familiar de Schoenstatt e, como lhe prometemos, abrimos as portas do nosso lar a Deus. O tempo passava e não conseguia engravidar. A ciência dizia-me NÃO e a espera foi mais dolorosa. A nossa chefe de grupo disse-me “Fala com a Mater como uma amiga até que te escute”, e entregámo-nos a ela.

Dia e noite rezávamos-lhes. Deixámos para trás as palavras do médico que dizia “É difícil conseguir engravidar”. Participámos também confiantes da Bénção das Doce Espera” até que em fevereiro de 2016 ficámos a saber que estava grávida!

O médico disse-me: “Para que vejas a grandeza de Deus, filha” e assim foi, a sua grandeza trabalhando na minha família. Enfrentámos uma gravidez difícil mas a Mater estava no controlo e no dia 5 de outubro de 2016 nasceu Sofia Belén, a mimadinha da Mater.

As forças físicas e emocionais estavam a acabar

Voltámos para casa com a nossa bebé sã e parecia que tudo corria, até que cinco dias depois foi-me diagnosticado um problema no coração: dão-nos a notícia que tinha Miocarditis Periparto, uma patologia grave, que requeria cirurgia e um provável transplante já que só funcionava a 30%. As forças físicas e emocionais estavam a acabar e uma vez mais entregámo-nos à Mater. Foi outro longo percurso onde o médico não era otimista nos seus prognósticos, mas ela trabalhava em silêncio. Já em novembro de 2017, o médico informou-me que o meu coração tinha normalizado, hoje está saudável, sem ter feito cirurgia nem o transplante. Estamos a desfrutar da nossa filha de 17 meses, que chegou contra todo o prognóstico.

Com este coração forte, dissemos SIM à Mater em 28 de outubro passado na Aliança de Amor que selámos com Ela. Somos seus aliados, seus filhos mimados e Ela é a grande missionária. Ela faz milagres. Assim como fez na minha família.

 

Quedaron atrás las palabras del médico que decía “Difícil lograr un embarazo ”

Fonte: Revista Tupãrenda, Paraguai

Original: espanhol. 21.05.2018. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *