Colocado em 2018-06-20 In Vida em Aliança

Conquistar e deixar-se conquistar pela Mater

PARAGUAI, Naty e Gustavo Insfran

O ano em que demos o passo para erigir o nosso santuário lar foi muito especial para nós, pois  elegeram-nos como chefes de grupo e vivêmo-lo com muita intensidade. Desde março do ano passado que começámos a preparar o nosso santuário lar e fizemo-lo de forma artesanal com as minhas filhas, com o envolvimento de toda a família. Decidimos construir nós próprios a casinha da Mater e, uma vez terminada, iniciámos a tarefa de conquistar os símbolos, cada um pôs o seu grãozinho de areia para a conquista. —

Chegou o dia esperado para a bênção do nosso santuário lar. Sentíamos um turbilhão de emoções e a Mater tornava-se presente a cada passo. Desde esse dia o santuário converteu-se no nosso refúgio predileto, o nosso pedacinho de céu em casa. No lugar que ela elegeu para se instalar passamos muito tempo em família e temos a certeza que é o melhor.

“As mudanças que vemos na nossa família desde que ela se instalou talvez sejam impercetíveis para já, mas a pouco e pouco vamo-nos dando conta da forma como a sua presença nos vai transformando”.
Cada membro da família relaciona-se com o nosso santuário lar de maneira diferente. Por exemplo, alguns saúdam-na quando acordam, outros despedem-se dela quando saem e no decorrer do dia contemplamo-la todos juntos e oferecemos-lhe umas Avé Marias.

Alguns dos momentos que atravessámos desde aquele dia em que a recebemos no nosso lar estão cheios de felicidade e outros de tristeza, mas todos são oferecidos a ela, que nos enche de paz, dá-nos a sua mão e acolhe-nos com o seu amor maternal.

As mudanças que vemos na nossa família desde que ela se instalou talvez sejam impercetíveis para já, mas a pouco e pouco vamo-nos dando conta da forma como a sua presença nos vai transformando. Do santuário flui a força que recebemos para poder continuar em frente com o que cada dia nos vai apresentando e nessa entrega de corações, como dizia o Pe. Kentenich, ela não se poupa em generosidade. Por mais pequena que seja a nossa entrega, ela sabe-a retribuir com tanto amor de Mãe.

Uma das graças do santuário que com maior intensidade se manifesta é a do acolhimento, porque sentimos como ela nos abraça e nos dá o seu amor de mãe. O santuário lar é uma bênção maravilhosa que recebemos e por isso damos graças a Jesus por nos entregar a sua mãe, damos-lhe graças porque, através da luz do Espírito Santo que recebeu o Pe. José Kentenich, o Movimento pôde crescer no mundo e levar a imagem da Mater a muitos lares.

Animamos os casais que se encontram neste nível a conquistar e a deixar-se conquistar pela Mater, a que aproveitem ao máximo este nível tão lindo e a que se preparem para abrir as portas das suas casas e dos seus corações para que a graça especial que emana do santuário flua no meio de vós. Tudo é melhor quando ela aí se estabelece e a transforma na sua casa.

 

Fonte: Revista Tuparenda, Paraguay

Original: espanhol. 17.06.2018. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *