Colocado em 22. Abril 2018 In Vida em Aliança

Dia do Santuário Lar – um encontro em família com Jesus e Maria

A Liga de Famílias de Schoenstatt do Jaraguá, em São Paulo/SP, realizou neste domingo jubilar, 15 de abril, sua tradicional celebração do Dia do Santuário Lar. Um encontro em família com Jesus e Maria. —

BRASIL, Sueli Vilarinho •

A Liga de Famílias de Schoenstatt do Jaraguá, em São Paulo/SP, realizou neste domingo jubilar, 15 de abril, sua tradicional celebração do “Dia do Santuário Lar”. Motivados pelos 70 anos da Carta de Santa Maria (que é considerada o Documento de Fundação da Obra das Famílias de Schoenstatt e dos Santuários Lares), os casais abriram suas portas às famílias mais novas na Liga. O intuito, além de celebrar a data e agradecer as graças da Mãe e Rainha em cada casa, é partilhar esse ambiente sagrado com outras famílias. O rito já se repete há dez anos, unindo os casais do ramo e fortalecendo os vínculos com as novas famílias da Liga Apostólica.

Às 19h30min do dia 15 de abril de 2018, 35 Santuários Lares foram visitados por 37 famílias: portanto, 72 famílias rezaram diante da imagem de graças da Mãe e Rainha. Cada grupo em sua originalidade fez uma oração, a leitura da Carta de Santa Maria, cantos e explicações sobre a missão de seu Santuário Lar. Uma grande corrente de oração foi acolhida por Jesus, pois: “Onde estiverem dois ou três reunidos em meu nome, aí estou no meio deles” (Mt 18, 20).

Corrente de vínculos e de vida

As famílias mais antigas no ramo, que já instituíram um Santuário Lar, são gratas pela presença de Maria em seus lares, por isso, nesse dia, abrem as portas aos casais que se preparam para convidar a Mãe de Deus a habitar em suas casas.

A troca de experiências também fortalece os vínculos com o Santuário Sião do Jaraguá e os coloca em consonância com o ideal de ramo da Liga de Famílias do Brasil: “Santuário vivo de Schoenstatt, um novo Nazaré, Tabor para o mundo”.

A realidade de cada família passa pela entrega das dificuldades e de todas as circunstâncias da vida ao Capital de Graças. Nessa certeza de que Maria recebe, acolhe e transforma tudo em graças, reforça a confiança de que não estão sozinhos. Maria os acompanha de perto, com seu filho Jesus, dentro de cada lar. Um silêncio profundo os impele ao reconhecimento de que “Maria guardava todos esses fatos e meditava sobre eles em seu coração” (Lc 2, 19).

Inspirados pelas palavras do Pe. José Kentenich na Carta de Santa Maria: “Levem a imagem de Nossa Senhora e deem-lhe um lugar de honra nos vossos lares”, cada lar se torna um ponto de irradiação das graças de Maria para o mundo.

“Mãe, faze Cristo resplandecer em nós com maior claridade. Une-nos em santa comunidade, sempre prontos para qualquer sacrifício, como exige nossa missão sagrada” (Rumo ao Céu, 194).

 

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *