Colocado em 1. Março 2018 In Vida em Aliança

Ordenação diaconal de Santiago Ferrero na Festa de Sion

ARGENTINA, Claudia Echenique •

A Festa de Sion tem sempre algo que nos surpreende. Alguma visita, algum aniversário, novas vocações. Este ano, a ordenação diaconal de Santiago Ferrero convocou não só os peregrinos de Buenos Aires, San Isidro, Villa Ballester e as zonas más próximas de Florencio Varela, mas também, especialmente, os peregrinos de Córdoba, cidade natal de Santiago, e de La Plata, onde fez uma das práticas pastorais. —

Foi também surpresa para muitos ver o Pe. Juan Pablo Catoggio (Superior Geral dos Padres de Schoenstatt e Presidente da Presidência Internacional de Schoenstatt) e o Mons. Claudio Giménez (bispo emérito de Caacupé – Paraguai), os quais participaram durante alguns dias na jornada anual dos padres da região.

Aliança, Santuário, ordenação

No domingo 18 de fevereiro de 2018, a celebração eucarística mudou de Sion para a igreja Deus Pai em Nuevo Schoenstatt. Ali, Mons. Carlos José Tissera, bispo de Quilmes, foi o celebrante principal junto a 16 sacerdotes e dois diáconos.

Depois da saudação inicial do bispo, o Pe. Tommy Nin Mitchel, novo superior regional, deu as boas-vindas a todos os que foram a Florencio Varela e mencionou os três motivos principais da celebração: o dia de Aliança, a festa do 24° aniversário do Santuário de Sion do Pai e, fundamentalmente, a ordenação diaconal de Santiago Ferrero.

 

P. Tommy Nin Nitchell, novo superior

Inquietações sociais do novo diácono

“Fiquei surpreendido ao escutar, no inicio, a biografia de Santiago Ferrero, sobretudo pelas suas inquietações sociais que surgiram enquanto estudava arquitetura. Conheço a ONG Techo, mas não sabia que Santiago estava no grupo que a iniciou na Argentina, e que trabalhou nela até 2006. Ao ouvir que perante a crise económica e social de 2001-02 construiram casas de emergência em varias zonas de Córdoba, recordei os inícios dos fundadores de Schoenstatt no Paraná, os quais no começo dos anos sessenta construiam “ranchitos” para as pessoas sem-abrigo como ação social”, recordou uma colaboradora de schoenstatt.org.

Tirarnos a la pileta del amor misericordioso de Dios

Mons. Tissera na homilia recordou que “a Quaresma é ‘tomar um banho’ no amor misericordioso de Deus”, e referindo-se ao excessivo calor dessa manhã acrescentou: “e que bem nos saberia “atirarmo-nos para a piscina” num dia como o de hoje… mergulhar no amor de Deus!

Dirigindo-se a Santiago disse-lhe “Que este dia da tua ordenação te permita sentir que fazes parte de uma família, dos seguidores de Jesus. Que Nossa Senhora, a mulher da Aliança, te ajude a viver sempre aos pés de Jesus e, como ela, o faças sempre sem cansaço, alegre, mostrando ao mundo que a esperança não é uma ilusão, é alguém, é Jesus vivo no meio de nós.

Homilía de Mons. Tissera (espanhol)

Acredita no que lês, ensina o que crês, pratica o que ensinas

No inicio do rito da ordenação e ao ser chamado, Santiago, que estava sentado à frente dos seus pais e alguns dos seus seis irmãos, deu um passo em frente. Ali fez as suas promessas diaconais e depois prostrou-se enquanto se rezavam as Ladainhas aos Santos, cantadas em versão folclórica. Finalmente, Mons. Carlos impôs-lhe as mãos e rezou a Oração de Consagração pela qual Santiago foi ordenado diácono.

Os seus pais, Eduardo e María de las Mercedes, levaram ao altar a estola e a túnica. Santiago foi revestido com essa veste litúrgica própria dos diáconos, recebeu o Evangelho das mãos do bispo e ficou no altar para continuar a celebração.

 

Ordenação diaconal

Tornaram-se caminho para que eu crescesse como padre

Antes de se consagrar à Mater no santuário, o novo diácono quis agradecer a muitas pessoas e comunidades que o acompanharam na sua vida e no seu caminho sacerdotal até esse dia. “Todas estas pessoas que Deus me foi oferecendo, não estiveram fora do caminho, elas fizeram-se caminho: formaram-me, ensinaram-me, mostraram-me como crescer e como ser padre” destacou. No Ano do Pe. Kentenich, Santiago agradeceu o “seu modelo de paternidade, de sacerdócio e de seguimento de Jesus Cristo que são a senda por onde nós caminhamos seguindo-o a ele”.

 

Audio dos agradecimentos do Diácono Santiago (espanhol)

Na procissão desde a igreja de Deus Pai até ao santuário, o diácono Santiago levava a mão do Pe. Kentenich para colocá-la no altar. Ali consagrou à Mater, sempre companheira e sempre fiel, “o inicio de todo o seu ministério. Sou teu filho e confio. Ponho-me nas tuas mãos, coroou-te e peço-te que te manifestes como Rainha Vitoriosa na vida de todos os meus irmãos de comunidade”. Depois, convidou todos a renovar a Aliança de Amor e finalmente deu a sua primeira bênção sacerdotal a todos os presentes.

Que o meu coração seja um pouco mais parecido com o seu

“Rezo sempre pelos padres e seminaristas schoenstattianos, apesar de, às vezes, não os conhecer a todos e não saber os seus nomes”, comentou uma senhora ao receber no final uma imagem das mãos do Padre José Kentenich agarrando num cálice, que no verso tem a oração pelas vocações que se reza diariamente.

“Quero dar graças ao Senhor Jesus porque me chamou por pura misericórdia. Ele convida-me a confiar n’ Ele, a segui-lo. Que o meu coração seja um pouco mais parecido com o seu, sensível aos mais pequenos e confiado também ao Pai!, expressou finalmente o novo diácono Santiago Ferrero, o qual elegeu como lema “Bem-aventurados os puros de coração porque verão a Deus” (Mt 5,8).

A Festa continuou em Sion, onde muitos puderam saudar Santiago e partilhar um almoço ao ar livre. À tarde, na adoração ao Santíssimo, o novo diácono deu a bênção eucarística.

 

 

 

 

 
Álbum de fotos (Claudia Echenique)

Sion del Padre 2018

 

Etiquetas: , , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *