Colocado em 29. Março 2018 In Vida em Aliança

A austríaca Maria Mauhart converteu-se na Ir. Mirja Mauhart

ÁUSTRIA, Lucia Reinsperger •

Entre as cinco noviças que celebraram a sua cerimónia de tomada de hábito no dia 18 de março de 2018 em Schoenstatt, uma delas é austríaca. Maria Mauhart há muito tempo que deixou de ser a “bebé do curso” da Academia de Famílias, ela participou ativamente na Juventude Feminina de Schoenstatt e durante a Jornada Mundial da Juventude no verão de 2016, ela escutou o chamamento de Deus. Depois de 25 anos, com Maria, novamente uma austríaca encontra o caminho na comunidade das Irmãs. À cerimónia de tomada de hábito chegou um autocarro cheio de membros da Família de Schoenstatt da Áustria.—

Tivemos que repetir várias vezes o nome

Irmã Mirja – tivemos que repetir várias vezes este nome para o aprender. Soa um pouco como se Maria tivesse dado a volta ao seu nome. Em todo o caso, tem o mesmo significado. Agora é noviça das Irmãs de Maria de Schoenstatt. Por esse motivo elegeu, como as outras, uma forma do nome de Maria, que expressa a sua especial relação com a Santíssima Virgem. Com o seu novo nome, a Ir. Mirja usa um hábito azul escuro, cinto, véu e uma medalha – símbolos da missão mariana, da pureza e do amor virginal, assim como também do vínculo com Jesus e Maria.

Ficámos a saber de tudo isto depois de termos viajado para Schoenstatt para a tomada de hábito. Uma ocasião única e especial para a qual assumimos com gosto as dez horas de viagem, através da qual tivemos uma ideia da vida das Irmãs de Maria e sobre a vida que agora tem Maria. Durante a ida, saindo de Alta Áustria, preparámos o tema da vocação. No autocarro, o P. Felix Strässle  explicou-nos que uma pessoa pode ser muito corajosa, piedosa ou aventureira, mas nenhuma destas razões é motivo para ter a vocação de Irmã de Maria. Uma coisa é decisiva: a vocação, o chamamento de Deus. Uns e outros começaram a relatar: amigos, parentes de Maria, membros do Ramo Familiar e do Ramo da Juventude Feminina de Schoenstatt. Todos eles começaram a falar sobre o carácter alegre, humilde e persistente de Maria e como desejam que ela seja feliz neste caminho tão especial.

Durante a Jornada Mundial da Juventude falou-se no tema da vocação

Na noite anterior à tomada de hábito, participámos numa vigília onde pudemos experimentar as historias de vida e cultura das irmãs de curso de Maria. Tal como nós, estavam presentes outros representantes das famílias de Schoenstatt dos seus países, os quais trouxeram canções e imagens das suas terras. O mais impressionante foi o momento em que ouvimos as vozes das próprias noviças, inclusive quando outras irmãs também falaram. “sinto curiosidade, para onde Deus me quer levar”, ouvimos dizer a Maria. Ela levantou a pergunta da vocação, quando viajou até Cracóvia para a Jornada Mundial da Juventude. Ali ela teve a experiência com as irmãs de Maria da Polónia. Os dias depois do Natal de 2017 viveu-os junto às candidatas e irmãs em Maria Rast e percebeu onde Deus a queria.

No domingo, durante a cerimónia da tomada de hábito, caiu neve. Um sinal de pureza na natureza, disse uma participante do nosso grupo. Também as noviças entraram vestidas de branco na Igreja da Adoração, antes de receber o seu hábito. E escutámos o seu nome: Irmã Mirja – e temos que o repetir uma e outra vez.

Fotos: Gertrud Jehle, Ulrike Wurm

Mais informações sobre as Irmãs de Maria de Schoenstatt em: www.s-ms.org

Original: Alemão 25/03/2018. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *