Colocado em 30. Outubro 2017 In Vida em Aliança

“Glorifica-te!” – Coroação no Santuário de Kearsley

INGLATERRA, Mary Cole •

A previsão do tempo era terrível. A proximidade da cauda dos furacões que tinham devastado a costa atlântica dos EUA deveria atravessar o Reino Unido durante o fim-de-semana da coroação com ventos e chuvas fortes. A nossa MTA teria que se glorificar. Ela o fez! O vento levantou-se na noite de domingo, depois de tudo estar arrumado, e a chuva, a que já estamos habituados, permaneceu longe quando precisávamos disso. Graças a um Encontro Ecuménico em Kearsley, no fim-de-semana anterior, conseguimos o empréstimo de sete toldos para manter as nossas exposições e as equipes secas. E as pessoas vieram! Nós tínhamos contado com cerca de duzentos peregrinos e conseguimos acolher muitos mais. Um apelo à paróquia e ao Movimento para a oferta de uma pequena caixa de bolos de cada família foi de longe excedido, e no final conseguimos enviar aos Irmãos da Caridade um saco de bolos, ainda nas caixas, para os sem-abrigo.

Através do nosso Bispo, Dom John Arnold de Salford, convidámos a diocese a vir à coroação, e muitas pessoas vieram de toda a diocese e também muitas pessoas que antes nunca visitaram o santuário. Para elas, foi uma “experiência de grande sucesso”. O santuário estava decorado com rosas e lírios para a nossa Rainha, e as pessoas passaram muito tempo em oração. Ela nunca esteve sozinha. As pessoas começaram a chegar antes do meio-dia. Um grande grupo de mulheres africanas vieram nos seus trajes azuis, e a sua alegria e entusiasmo eram contagiantes. Foi-me dito depois que uma família de refugiados do Médio Oriente também lá estava. Todos foram acolhidos com a oferta de chá ou café para desfrutarem com as suas merendas.

 

Uma coroa imperfeita

A Santa Missa foi celebrada às 13h30, durante a qual duas senhoras de Liverpool selaram a aliança de amor. Na sua homilia, o padre Bryan disse que a coroa, que havia sido enviada 3 meses antes para ser limpa e re-dourada, fora devolvida na mesma. Ele interpretou isso como simbolizando-nos com todos os nossos dentes e cicatrizes adquiridas ao longo do caminho da vida, que Deus os transformará em ouro. Assim, tal como a coroa, não devemos hesitar em nos entregarmos tal qual estamos. A coroa ainda seria re-dourada e pequenas pérolas iriam ser adicionadas para comemorar o “Jubileu de Pérola” desde a coroação em Walsingham há trinta anos.

Após a Missa e uma breve pausa para o chá (tão inglês!), foi apresentada uma breve introdução ao Santuário Original e à coroação, e como a Família de Schoenstatt de Inglaterra a aceitou, depois de uma pesquisa do dia e do melhor local possível. As “bancas de exposição” deram uma visão da aliança de amor, da campanha da Mãe Peregrina, do trabalho com as famílias e com as mães, do mosaico no jardim atrás da igreja e da sua espiritualidade, com base no Ofício de Schoenstatt composto pelo nosso Fundador em Dachau. O chá, o café e os bolos foram servidos em dois locais ao longo da tarde, enquanto os membros de Schoenstatt tentaram responder a muitas perguntas. Os jovens reuniram-se na cabana, assim como as crianças, que estavam entretidas a fazer uma grande coroa de flores que elas levaram ao santuário para a coroação.

Encontros sobre o Santuário Lar e o Fundador

Por volta das 15.30 houve uma reunião de trabalho no salão sobre o Santuário Lar liderado por Liz Markland, uma Schoenstatteana da segunda geração. Foi acompanhado por uma projeção de slides de santuários. Quando ela terminou a sua apresentação, trouxeram uma grande caixa de plástico contendo pequenas imagens da MTA emolduradas, e as pessoas foram convidadas a criar os seus próprios santuários lar. Houve grande pressa em irem buscar uma e a caixa nunca ficou vazia. Os padres ficaram ocupados, abençoando as imagens. Era difícil reunir de novo as pessoas, mas, eventualmente, estavam prontas para uma oficina sobre o Pe. Kentenich, para apresentar a comemoração do próximo ano. Muitas pessoas expressaram o desejo de fazer uma peregrinação ao Santuário Original para experimentá-lo por si próprias. Depois de terem sido respondidas todas as perguntas, chegou o bispo Arnold, que, depois de um programa matutino muito intenso, veio presidir à coroação.

 

A Coroação no santuário, presidida pelo bispo Arnold

Pelas 16h30 uma multidão expectante reuniu-se no salão para a Celebração da Coroação, durante a qual o nosso Bispo convidou-nos a responder ao chamamento do Santo Padre para nos tornarmos discípulos missionários. Isto foi focado na celebração, que levou a coroa que conduzia a procissão até ao santuário para a Coroação. Para aqueles que tinham mais dificuldade em caminhar, tudo o que aconteceu no santuário foi projetado no salão para que não perdessem nada. O maior número de pessoas possível dirigiu-se para o santuário e o canto quase levantou o telhado. O bispo John estava bastante feliz por não ter de subir o escadote, então Paul Cooper, o nosso artista e o orientador da cerimónia da coroação, foi por ele convidado a colocar a coroa na imagem. Após a bênção final e o hino, o Pe. Bryan ofereceu ao bispo John uma réplica da vela lindamente decorada que arderia no santuário em ação de graças por este dia.

Já passava muito das 6 da tarde, perante a proximidade da tempestade, quando os últimos peregrinos se apressaram a ir para os seus carros e autocarros enquanto os homens ajudavam a desmontar e a arrumar as tendas, mesas e cadeiras. Todos concordamos que tinha sido um dia ricamente abençoado. A nossa MTA glorificou-se, e continuará a glorificar-se enquanto ela constrói Schoenstatt na Inglaterra através dos seus pequenos discípulos missionários.

 

Original: Inglês; Tradução: José Carlos A. Cravo, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,