Colocado em 3. Agosto 2017 In Vida em Aliança

75 anos…

ALEMANHA, Roberto M. González •

Normalmente, os grandes jubileus ou festas de aniversário são sempre algo grande e cheios de felicidade. Este ano não é exceção, celebramos o nascimento de uns gémeos, que nasceram no lugar menos esperado, “a cidade de morte, de loucos e escravos” (P.J.K.), o inferno na Terra, no verão da fome de 1942, no campo de concentração de Dachau.

Falamos da comemoração da fundação dos Institutos das Famílias e dos Irmãos de Maria; estes gémeos nasceram com duas horas de diferença, num parto muito complicado; no bloco número 3 da barraca 14; ajoelhados, frente a um pequeno altar onde se encontrava a Santa Eucaristia, uma foto da Mãe Três vezes Admirável e uma do Santuário Original, tudo ao nível do solo, tapado por mesas e colchões de palha para proteger e simular o trabalho dos olhares dos guardas e de outras pessoas onde o perigo de serem descobertos implicava a morte.

Ali, nessa precária situação, nasceram, filhos da guerra e do ódio para uma Igreja que se recusava a moldar-se ao tempo de opressão e à situação em que se encontrava; num passo atrevido do Padre José Kentenich, o qual entrou na Barraca 14, onde procurava completar as suas respostas; a resposta de Schoenstatt para o mundo de hoje, para esse homem novo na sociedade nova.

Peregrinando a Dachau

No dia 16 de julho de 2017, 75 anos depois daquele dia, voltámos ao lugar onde tudo começou. Assim como peregrinamos ao Santuário Original implorando as graças da nossa Mãe, peregrinámos a Dachau para recordar de onde viemos, qual é a nossa missão entregue pelo nosso querido Pai Fundador e renovar uma vez mais esse compromisso assumido pelos co-fundadores.

 

Dr. Fritz Kühr Nac. 14.12.1885 – 27.10.1950 em Dachau 1.04.1938 a 19.07.1943 – Dr. Eduard Pesendorfer Nac. 01.12.1904 – 06.12.1974 em Dachau 17.06.1938 a 29.12.42

Um reencontro em Dachau e no mundo

Foi algo muito maior do que uma festa; foi o reencontro de toda a família de Schoenstatt nos seus distintos representantes, nacionais e internacionais na cidade de Dachau. De manhã, partilhámos os factos ocorridos há 75 anos, nas experiências guardadas nas anotações pessoais dos co-fundadores: Dr. Fritz Kühr (Instituto e Obra das Famílias) e Dr. Eduard Pesendorfer (Irmãos de Maria). Ambos eram presos políticos e tiveram a graça de ser formados pessoalmente pelo Pe. Kentenich, no lugar menos pensado mas querido pela nossa Mãe e Rainha do Campo de Concentração.

À tarde, cerca de 250 pessoas congregaram-se no campo de concentração, onde depois de uma introdução, peregrinámos ao Bloco 14, para terminar com uma Missa celebrada na capela Agonia de Cristo, dentro do campo.

Assim como o Pai Fundador encontrou em Dachau uma comunidade internacional, a comemoração não se limitou só aos congregados nesse dia no Campo, mas em outros países como Austrália, Brasil (em Santa María, Londrina, Atibaia), Estados Unidos (em Lamar, Texas)  aproximadamente 2.000 pessoas também recordaram o sucedido em 1942, agradecendo aos nossos queridos fundadores por terem dado o Sim maior das suas vidas.

Recordando tudo isto, hoje encontramo-nos totalmente renovados para continuar a trabalhar por esse ideal que surgiu há 75 anos na cidade da morte.

 

Original: alemão. 30.07.2017. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,