Colocado em 3. Junho 2017 In Vida em Aliança

A arte de ajudar – O Pe. Alexandre Awi Mello apresentou o seu novo livro em espanhol

ARGENTINA, Claudia Echenique •

No meio, entre a sessão com o psicólogo e a conversa com os amigos no bar, está o “counselor”, aquele que pode acompanhar a pessoa que pede um conselho. O “counseling ou acompanhamento espiritual” define-se como a arte de ajudar o outro a ajudar-se. Assim definia o tema do seu novo livro em espanhol, o Pe. Alexandre Awi Mello, na apresentação de “A arte de ajudar” realizada no dia 24 de maio em Confidentia, no centro da cidade de Buenos Aires. É o segundo livro do Pe. Awi editado pela Editorial Patris – Argentina. O anterior “Ela é minha Mãe – Encontros do Papa Francisco com Maria” foi publicado em 2014 (espanhol).

Ao apresentá-lo no salão de Confidentia, o Pe. Pablo Pol (irmão de curso do Pe. Alexandre), comentou que para dar-lhe apoio e ânimo, estavam na sala alguns brasileiros: nada menos que a Sra. Nair Pozzobon, filha de Joao Pozzobon, com as suas filhas e neta, de passagem por Buenos Aires. E disse-lhes: “Vão achar estranho ouvir o Pe. Alexandre a falar em espanhol”.

Este trabalho do Diretor Nacional de Schoenstatt no Brasil está baseado na sua tese para a Licenciatura em Teologia, na área de Psicologia Pastoral. Foi publicado em alemão em 2001 (e já vai na terceira edição nesse idioma), e recebeu o prémio do Instituto Padre José Kentenich. Está destinado às pessoas que gostam de ajudar e acompanhar vidas: educadores, pais de família, agentes de pastoral, conselheiros ou simplesmente pessoas a quem se acode com frequência “para receber conselhos” e muitas vezes não sabem o que dizer ou fazer.

A inquietação de um jovem seminarista

Surgiu pela inquietação do Pe. Alexandre em poder ajudar melhor as pessoas que o consultavam nas diversas situações da vida. Ainda seminarista procurava um tema para a sua tese e ao mesmo tempo, queria conhecer mais a vida do Pe. Kentenich. Consultou o Pe. Paul Vautiér na Suíça e ele sugeriu-lhe um tema que ainda não estava muito estudado. A partir da “psicoterapia centrada na pessoa” do terapeuta Carl Rogers, baseada na “terapia do diálogo”, o Pe. Awi realizou uma profunda análise psicológico-pastoral do pensamento do Pe. José Kentenich sobre  acompanhamento espiritual.

O fundador de Schoenstatt dominou como poucos “a arte de conhecer as almas e isso é psicologia, conhecer a psique humana, que também tem a dimensão sobrenatural”, explicou o autor. O livro busca olhar o Pe. Kentenich e Carl Rogers na sua forma e método de acompanhar a pessoa. Os textos do Pe. Kentenich estudados e selecionados pelo Pe. Alexandre correspondem fundamentalmente, às décadas de ’20 e ’30, especialmente a Jornada Pedagógica de 1931 e os cursos para Diretores espirituais. O livro conta com numerosos textos do Pe. Kentenich nas citações de rodapé, muitas das quais ainda não foram traduzidas para espanhol, o que resulta muito enriquecedor para os leitores de idioma hispano.

Encontro de pessoa a pessoa

Muitas vezes o sacerdote, o seminarista ou o laico, acredita que tem que dar soluções a um problema que lhe confiam e, na maioria dos casos, a pessoa quer ser simplesmente ouvida. O acompanhamento dá-se no encontro de pessoa a pessoa,  e implica três atitudes fundamentais: a autenticidade, a valorização positiva e a compreensão empática. A partir daqui, o acompanhante procura ajudar a pessoa a que encontre respostas por si mesmo para resolver a situação ou o conflito.

O Pe. Kentenich propõe como chaves o respeito, o amor, o abrir, o escutar e o guiar com lucidez. Na linguagem kentenijiana, podemos falar do acompanhamento espiritual como “serviço paternal (maternal) para a vida”.

“Era uma reflexão dialogal…” – Pe. Alex Menningen

O Pe. Kentenich desenvolveu este acompanhamento para numerosas pessoas a partir de sua ordenação sacerdotal em 1910. Nos testemunhos refletidos neste livro, destaca-se o do Pe. Alex Menningen que referiu as suas conversas com o Pai  Fundador como uma “reflexão dialogal”, pois no desenvolvimento do diálogo, ele ia descobrindo as respostas, não era o Pe. Kentenich que as dava depois da sua pergunta.

Na Alemanha, este livro é usado especialmente para a formação de dirigentes de Schoenstatt, como a Academia de Famílias, Uniões, Institutos, Ligas, a Campanha. O Pe. Awi espera que esta edição em espanhol seja um contributo para toda a América Latina no tema “counseling ou acompanhamento”, onde a maioria dos textos existentes são de autores anglo-saxónicos.

O acompanhamento do Papa Francisco

Antes de terminar, o Pe. Alexandre Awi falou de três exemplos deste tipo de acompanhamento que encontrou com o Papa Francisco, com quem colaborou estreitamente na Conferencia de Bispos latino-americanos em Aparecida (2007), sendo ainda Cardeal Jorge Bergoglio, e em 2013 durante a Jornada Mundial da Juventude no Rio de Janeiro, já como Papa. Finalmente, assinou exemplares e dialogou com as pessoas que o cumprimentavam.

Apresentação, Pe. Alexandre Awi (espanhol)

Fotos: Lis e Juan Álvarez

Original: espanhol. 28.05.2017. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,