Colocado em 2016-12-28 In Vida em Aliança

Os 40 anos do Grupo Tayi

PARAGUAI, Morocha e Carlos Etchegaray •

Hoje estamos aqui, os membros do grupo Tayi, depois de termos sido chamados há 40 anos.

Queremos dar graças por nos eleger para fazer parte da Família de Schoenstatt na nossa pátria e fazer parte da primeira geração.

Ao olhar o presente e ver como cresceu o Movimento, a sua amplitude e fecundidade, podemos afirmar, com humildade e alegria, que o lema que nos guiou naquele tempo e tudo o que oferecemos não foi em vão: “Pela tua entrega, vem Maria a Tupãrendá”.

tayi1

Aquele Tayi cresceu e espalhou a sua semente…

Hoje pedimos-te por esta nova e jovem geração no Movimento, para que vivam em consciência de missão o “Nada sem Ti, nada sem nós” e assim tornar realidade, cada dia um pouco mais, no nosso querido Paraguai, a Nação de Deus, coração da América.

Não podemos deixar neste dia de agradecer pelos nossos primeiros assessores: o Padre Antonio Cosp, o Padre Nicolás Schwizer, Monsenhor Claudio Giménez e a Ir. M. Andrea, e pelos nossos queridos chefes de grupo Magdi e Nonino, que nos ensinaram a dar os primeiros passos neste caminhar como Schoenstattianos.

E o nossa recordação carinhosa dos nossos irmãos de grupo que hoje já gozam do Schoenstatt Eterno: Estela e Manolo Muñoz, Rosa Ortiz e José Fernández.

Como naquele primeiro dia, dizemos-te hoje e sempre: Permanecemos fiéis!

Semelhança do Grupo Tayi à Liga Apostólica das Famílias

No ano de 1976 realiza-se a primeira Jornada de iniciação do Ramo Familiar do Movimento de Schoenstatt no Paraguai.

Dessa jornada nascem 3 grupos: “Renascer”, “Tayi” e “Pequena Semente”; e o grupo “Tayi”, foi o que permaneceu fiel desde aquela jornada de iniciação.

Oito casais fiéis a Schoenstatt, os quais viveram  os primeiros tempos de fundação com entrega radical, sacrificada e com o fogo e a força dos fundadores. Estes casais são:

Lola e Horacio Chiola

Gilda e Chilo Dos Santos

Morocha e Carlos Etchegaray

Yuti e José Fernández

Pacha e Luis Fontclara

Estela e Manolo Muñoz

Rosa e Oscar Ortiz

Maria Yolanda e Kikito Vázquez

Pelo enraizamento de Schoenstatt no Paraguai

Como grupo elegemos o nome “Tayi”, palavra guaraní que quer dizer “Lapacho” (uma árvore) em espanhol. Elegemos este nome porque queríamos expressar com ele a nossa missão como grupo fundador:

uma forma concreta de que Schoenstatt se enraize na nossa pátria.

Assim como o lapacho afunda as suas raízes na terra, ansiamos que Schoenstatt se integre na nossa pátria. Queríamos ser como a árvore de tayi que tem raízes profundas e é de madeira firme, dura e forte. Sim, as raízes agarram e estendem-se na terra, então nos seus frondosos e lindos ramos poderiam acolher, no futuro, numerosas pessoas e dar as suas bonitas flores e frutos expressão de vida e plenitude.

Ver hoje o Movimento de Schoenstatt no Paraguai, enche-nos de orgulho e podemos dizer com certeza que a MTA aceitou a nossa entrega. A entrega destes oito fiéis casais. Assim como o tayi, Schoenstatt deitou raízes profundas na nossa terra paraguaia. O lema dos anos de conquista do terreno e do Santuário de Tupãrendá foi um grande estímulo e impulso para cada um destes casais e para a pequena família de Schoenstatt daquele tempo:

“Pela nossa entrega, vem Maria a Tupãrendá”.

Dando todos tudo para Schoenstatt

Naquele tempo, tivemos tarefas de direção no Movimento, e com trabalhos específicos íamos fazendo com que o Tayi crescesse: um dos membros do grupo, fez o campanário do Santuário de Tupãrendá, outro foi o administrador de Tupãrendá, outro na parte económica, outro na equipa de missão, outros como chefes de grupo etc, etc. Cada um dando tudo por Schoenstatt.

Quando já tínhamos conseguido comprar o terreno de Tupãrendá, o grupo ofereceu 100 pequenas árvores de Tayi que, com o apoio e a ajuda do Padre Antonio, plantámos em lugares especiais em todo o grande terreno. Isto foi toda uma aventura e sacrifício, já que naquele tempo a grande maioria do terreno era agreste. Havia água num só lugar e tínhamos que carregar baldes de água e subir para regar cada árvore. Hoje emociona-nos quando vemos várias delas florescendo. São um sinal para o grupo e, sem dúvida, são expressão dos frutos da entrega sacrificada, alegre e fiel.

Neste dia de jubileu, também queremos recordar e agradecer pela vida de quatro irmãos de grupo que já partiram para a casa do Pai. São eles: os casais Estela e Manolo Muñoz, José Fernández e Rosa de Ortiz.

Fonte: Revista Tuparenda, 11/12 2016

A equipa de schoenstatt.org sente-se orgulhosa de contar com um “tayi” nas suas fileiras, o grande tayi Kikito Vázquez, tradutor de português para espanhol.

tayi4

Original: espanhol: Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *