Colocado em 4. Outubro 2016 In Vida em Aliança

A Família de Schoenstatt do México definiu o seu Ideal Nacional

MÉXICO, Ir. Mariana Chacón •

Este ano, a nossa Jornada Nacional de Dirigentes foi um “momento histórico” na nossa Família de Schoenstatt México. Andámos à procura do nosso Ideal Nacional durante dois anos e  agora estamos prontos para trabalhar nele e encontrá-lo como Família.

Reuniram-se no nosso Santuário Nacional “Coração fiel da Igreja” todos os líderes dos diferentes Ramos existentes no país: 113 pessoas de 17 lugares do México (Monterrey, Torreón, Chihuahua, Monclova, Aguascalientes, San Luis Potosí, León, Campeche, Celaya, Querétaro, Ciudad de México, Iguala, Guadalajara, Taxco, Chiapas, Guerrero, Tuxtla, Campeche), 14 sacerdotes (Padres de Schoenstatt e Sacerdotes Diocesanos) um seminarista dos Padres de Schoenstatt e três Irmãs de Maria. O ambiente da Jornada esteve marcado por uma alegria expectante e uma profunda consciência de responsabilidade por parte de cada um dos participantes.

Conceitos chaves

A preparação para esta Jornada começou em março quando os assessores se reuniram para trabalhar os “conceitos chaves” (os quais em duas jornadas nacionais anteriores – 2014 / 2013 – tinham sido o resultado dos grupos de debate, que apesar de estarem presentes de maneira intuitiva foram os mais importantes para a Família). Estas palavras foram: Família, Guadalupe, Fidelidade e Missão. Com elas se elaboraram 4 temas para que todos os grupos os lessem e com perguntas se chegasse a uma definição da missão da Família e a uma possível sugestão do Ideal Nacional.

A todos os Ramos e líderes foi pedido – não só ver os temas nos seus grupos – mas que se rezasse de maneira especial por esta Jornada. Sabíamos que era um passo importante no desenvolvimento da Família de Schoenstatt no México e que a oração seria essencial neste passo. Começámos a rezar a oração ao Espírito Santo como preparação.

Num clima de Cenáculo

Na sexta-feira, 2 de setembro, começou a Jornada e desde o inicio convidaram-se todos os líderes a continuar nesse ambiente de oração. No Santuário houve adoração permanente desde sexta-feira às l9:00 hs. até domingo às 8:00 hs. Foram convidados a assumir meia-hora de adoração e a Família de Schoenstatt local, assumiu as horas em que havia grupos de debate. Sentiu-se uma atmosfera de oração durante todo o fim de semana.

Durante o sábado trabalhou-se em grupos e já se ia delineando cada vez mais o conteúdo do Ideal Nacional. À noite, reuniram-se os chefes de cada um dos onze grupos, com alguns assessores para definir, trabalhar, acentuar e formular o Ideal Nacional.

Enquanto isto se passava, todos os outros líderes – unidos à Família de Schoenstatt nas suas Dioceses – estavam reunidos numa “Hora Cenáculo” no Santuário, implorando o Espírito Santo para que nos permitisse descobrir o nosso Ideal Nacional.

img_4029

Família, Guadalupe, Fidelidade, Missão

Chegámos à formulação do nosso Ideal:

“Família Guadalupana, em aliança, fiel à Missão do Pai.”

Família – é onde se forjam os homens e mulheres que devem transformar a sociedade, formar o homem novo na nova comunidade. Schoenstatt torna-nos família, sentimo-nos unidos a Deus à semelhança do seu Filho, sentimos Maria como nossa Mãe.

A família é o nosso ser e missão, é a célula básica da sociedade onde se manifesta o amor incondicional a Deus e a nossa vocação de serviço, é a instituição que o povo do México traz como selo de união à nossa nação.

Guadalupe – ao dizer Guadalupana, referimo-nos ao acontecimento guadalupano. É onde Maria sela a sua primeira aliança connosco no Tepeyac, constitui-nos como nação e oferece-nos a identidade mais mexicana. Como a Juan Diego, elege-nos como instrumentos para edificar o seu Santuário.

Aliança – com Maria é o centro da nossa espiritualidade, a qual queremos oferecer à Igreja e ao México, esta aliança é vivida no Santuário com o “Nada sem Ti, nada sem nós”, onde Ela nos educa como instrumentos aptos nas suas mãos, levando-nos à santidade da vida diária. Esta é a forma original para nós – mexicanos – para viver o ser Família Guadalupana.

Fidelidade –  “sim” a Maria, é recordar o “nada sem ti, nada sem nós”. Dizia um dos personagens mais queridos na história do nosso país, S. João Paulo II, que o México é sempre fiel.

Ser fiel é ser incondicional apesar de incompreensões, perseguições, antes de permitir ruturas entre o que se vive e o que se crê. Isto também é a coerência. Só se pode chamar fidelidade àquela entrega que se baseia no amor.

Missão do Pai– Queremos reconhecer e reafirmar a presença do Padre Kentenich na Obra de Schoenstatt. Ser instrumentos de Maria – como o pai nos ensina – para forjar o homem novo na nova comunidade. Isto dá-nos um sentido pelo serviço e consciência de Missão (Schoenstatt em saída).

Ser fiéis à missão do Pai, é tomar Schoenstatt – a Obra – como um todo, que queremos assegurar, ser fiéis, assumi-lo por completo. A crise do nosso tempo é a ausência do pai, que se resolve com filialidade. Por isso, a importância do nosso vínculo a ele como reflexo transparente de Deus Pai.

Agora começa…

Contudo, devemos aprofundar mais o nosso Ideal, e sabemos que será um Ideal que marcará a nossa história como Família de Schoenstatt México e que nos levará toda uma vida para o realizar e cumprir.

No domingo, reunimo-nos em torno à estátua do Pai e aí se revelou o Ideal Nacional a todos os líderes. Foi demonstrada e sentida uma alegria autêntica. Depois, tivemos a nossa Santa Missa de encerramento da Jornada, onde entregámos nas mãos de Maria e do nosso Pai todo o trabalho deste fim de semana, cada líder, cada Ramo, cada Estado.

Sabemos que a Santíssima Virgem nos abençoa com este Ideal e que espera una resposta de toda a Família de Schoenstatt México. Agora começa o trabalho de o assimilar, de dá-lo a conhecer e ver toda a riqueza que daqui podemos obter para a nossa Família.

 

img_0633

Original: espanhol. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,