Colocado em 18. Agosto 2016 In Schoenstatteanos, Vida em Aliança

A Mater na minha vida

PARAGUAI, por Amín Ahmad SDB •

Chamo-me Amín, sou Salesiano de Don Bosco. Tenho 25 anos.

Há sete anos, quando iniciava o meu caminho vocacional, ia sempre, pelo menos uma vez por mês, ao Santuário para pedir à Mater pela minha vocação.

Hoje, de modo concreto na minha vida religiosa, sinto a proximidade da Mater. Quando alguma coisa não vai bem ou tenho algum problema para o qual não encontro solução, ponho-o nas suas mãos. Vou ao Santuário, invoco-a, como uma criança vai ter com a sua mãe para lhe dizer o que aconteceu. Incrivelmente, em pouco tempo aquilo que parecia impossível começa a ter saída. Digo isto depois de ter discernido e ter compreendido que Ela levou a sério o que há sete anos lhe disse quando era apenas um postulante: “Entrego-te a minha vida e a minha vocação, caminha comigo para seja um salesiano com paixão e amor pelos jovens”.

Há um tempo contava isto à minha família e dizia-lhes que já que Ela tomou esse trabalho de me proteger, o menos que posso fazer é projetar no futuro a minha ordenação sacerdotal em Tupãrenda.

Maria, obrigado por seres Mãe e Companheira de caminho!

WP_20150712_11_53_34_RawFonte: Revista Tupãrenda, julho 2016

Original: espanhol. Tradução Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,