Colocado em 1. Novembro 2015 In Vida em Aliança

Temos que seguir o nosso próprio caminho…

SUIÇA, Rita e Franz Schuler •

Quatro casais do segundo curso da União de casais da Suíça fizeram uma ‘Viagem a Cambrai’ de 3 a 10 de outubro de 2015 ou seja, uma peregrinação seguindo as pegadas de José Engling.

Percorremos as diferentes estações do caminho de vida de José Engling no sentido inverso, porque queríamos estar dia 4 de outubro em Cambrai e começar dali a nossa peregrinação.

No dia 3 de outubro partimos da Suíça. Connosco levávamos várias intenções: as nossas e de outras pessoas que nos acompanham na nossa viagem pela vida.

In Cambrai_Bildgröße ändern

Cambrai e o desvio

Depois de uma paragem em Verdún, chegámos dia 4 de outubro a Cambrai. Na noite de 4 de outubro, aniversário da morte de José Engling, fizemos o caminho que o levou à morte. Começámos no cemitério em Eswars. Em várias estações fomos fazendo espiritualmente o caminho de José Engling.

No caminho pelo qual regressávamos, não encontrámos a bifurcação em Thun-Saint-Martin. Depois de um desvio de alguns metros, chegámos perto do lugar onde morreu José Engling. Aí percebemos que: devemos percorrer o caminho de José Engling, mas temos que seguir o nosso próprio caminho.

Eswars

Mons, Gertraud von Bullion, a primeira mulher em Schoenstatt

Militärfriedhof in Mons_Bildgröße ändernNo dia 7 de outubro deixámos Cambrai e seguimos para Mons e Wallendorf. Esse dia refletimos sobre a vida de Gertraud von Bullion. Ela esteve justamente há cem anos em Cambrai. No ano de 1917 ela teve esse encontro decisivo com o Movimento de Schoenstatt através do seminarista palotino Franz Xavier Salzhuber e o seu grupo de teólogos. Gertraud von Bullion teve contacto epistolar com o fundador, o Padre José Kentenich.

Saímos de Cambrai e dirigimo-nos para Mons. Ali fizemos uma paragem no cemitério militar de St. Symphorien na província de Hainaut. Neste cemitério de guerra descansam 513 mortos da Primeira Guerra Mundial: 284 alemães e 229 britânicos. O cemitério militar britânico Saint-Symphorien fica aproximadamente a dois quilómetros a este de Mons e cerca de 300 metros ao sul do lugar. Este cemitério foi construído pelos alemães em agosto de 1914 depois da batalha de Mons, para os soldados alemães e britânicos caídos em combate. Inclusive durante a guerra, os soldados alemães mortos receberam, dependendo do seu regimento, diferentes cruzes de pedra natural. Até novembro de 1918 o cemitério permaneceu nas mãos dos alemães. Desde 1919 foi mantido primeiro pela comissão imperial de túmulos de guerra, hoje é mantido, de forma exemplar, pela Comissão Commonwealth de túmulos de guerra. No ponto mais alto do cemitério encontra-se um memorial de mais ou menos sete metros de altura, erigido pelos alemães em memória dos soldados tanto alemães, como britânicos, mortos nas batalhas de Mons em 23 e 24 de agosto de 1914.

Junto deste memorial refletimos sobre a vida de Gertraud von Bullion e procurámos os vínculos com a nossa própria vida. Para cada um dos quatro pensamentos que refletimos, acendemos uma vela.

Schiffshebewerk von Strepy-Thieu_Bildgröße ändern

Cultura: o elevador de barcos de Strépy-Thieu

Com o tempo nublado e um pouco chuvoso partimos para a região de Eifel. No caminho fizemos uma pausa para almoçar numa área de serviço. Depois visitámos o elevador de barcos de Strepy-Thieu em Roeulx, Bélgica.

Este elevador de barcos futurista de Strépy-Thieu ergue-se majestosamente na bonita paisagem da região de Hennegau e faz parte das atrações turísticas da região não só pela sua impressionante construção. O Canal du Centre une a bacia de Schelde com os rios de Mosa e do Mar do Norte. No ano 2002, começou a funcionar o ultramoderno elevador de barcos Strépy-Thieu. Pelo seu tamanho, 81 metros de cumprimento, 130 metros de largura e 117 metros de altura, é impressionante. Separados por dois depósitos cheios de água, os barcos do canal são transportados como num ascensor de passageiros, de um nível para outro.

Geysir Wallende Born_Bildgröße ändern

Natureza: o geyser de Wallenborn

À última hora da tarde chegámos a Wallenborn e ficámos numa casa de campo em Brubbel. Depois de uma boa refeição visitámos o geyser de Wallender Born. Junto a lagos circulares de Maar, vulcânicos, rios de lava e numerosos mananciais, existe outra característica especial: em Wallenborn encontra-se o único geyser de água fria da região vulcânica de Eifel, em Wallende Born (temperatura da água de 9º C). O geyser popularmente chamado “Brubbel”, impressiona pela sua fiabilidade: cada 30 minutos é produzido, em poucos segundos segundos, um jato de água de cerca de três metros de altura. O nível de altura da água desce até 60 cm. durante a ebulição que dura de 4 a 6 minutos.

A causa desta erupção é o gás de dióxido de carbono que se eleva a partir do subsolo. Junta-se num depósito de água subterrânea até que se supersatura e se esvazia abruptamente, comparável a uma garrafa de água mineral que se agita. Com isto, são produzidas bolhas de gás que fazem com que a água suba.

Herbststimmung am Gemünderer Maar in der Daun_Bildgröße ändern

Schoenstatt: internacionalidade junto ao Santuário Original

No dia 8 de outubro de 2015, num dia luminoso, viajámos para os Lagos Maar na região vulcânica de Eifel até Schoenstatt, através do vale do Mosela. No Santuário Original, o Pe. Antonio Bracht celebrou a Santa Missa.

Posteriormente participámos da oração da noite. De repente escutámos ao longe uma música que soava cada vez más forte. Não era de estranhar: um grupo brasileiro de peregrinos também participou na oração da noite. Esses sons rítmicos recordaram-nos o impressionante Jubileu de 18 de outubro de 2014. O Pe. Juan Pablo Catoggio, o novo superior geral dos Padres de Schoenstatt, deu-nos a bênção. Tínhamos vindo da pequena Suíça, mas frente ao Santuário Original encontrámo-nos com a nossa grande Família de Schoenstatt e tivemos a oportunidade de revermos muitas e queridas pessoas conhecidas.

Na sexta-feita fomos até Marienthal na Alsácia. Ali esteve José Engling no quartel. As Irmãs de Maria acolheram-nos cordialmente e convidaram-nos a rezar com elas a oração de vésperas. Depois do jantar estivemos a partilhar as vivências desta emocionante peregrinação.

No sábado partimos para a Suíça.

Olhamos retrospetivamente esta emocionante peregrinação que nos aproximou ainda mais de José Engling e de Gertraud von Bullion.

Gedenktafel an der Pfarrkirche in Marienthal_Bildgröße ändern

Placa comemorativa em Marienthal

Fotos: Franz Schuler

Original: alemão. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , ,