Colocado em 2015-10-29 In Vida em Aliança

Dietershausen agradece às Irmãs de Maria a entrega da sua Casa Provincial que se converterá num lar para refugiados menores não acompanhados

ALEMANHA, Sabine Merdes e María Fischer •

“Em Dietershausen vivem-se os momentos mais tristes desde há muitas décadas – no próximo domingo mudam-se as primeiras Irmãs de Maria e todo a população se encontra em estado de choque… Já é definitivo e também se pode ler nas notícias locais…”Assim foi a primeira reação no início de outubro, quando a notícia foi dada a conhecer pelos meios de comunicação e através da Família de Schoenstatt da diocese de Fulda; devido à fusão de províncias, já não existirá mais o Centro Provincial das Irmãs de Maria de Schoenstatt em Künzell-Dietershausen (diocese de Fulda). O diretor diocesano Pe. Ulrich Schäfer, pertencente à União de Sacerdotes de Schoenstatt, conseguiu acalmar os ânimos e assegurou que dez irmãs irão permanecer no centro de formação “Casa José Engling” para continuar com o seu trabalho no centro de Schoenstatt. As restantes irmãs deverão despedir-se. Começou já em 14 de outubro, pouco a pouco, a mudança das irmãs de Dietershausen para as distintas filiais e centros de cuidados das irmãs mais velhas no sul da Alemanha.

Surge uma iniciativa: Ilona Wehner falou com toda a gente, informando e organizando, apoiada por muitos outros, para ser celebrada uma Santa Missa no dia 11 de outubro, assim todos teriam a oportunidade de agradecer às Irmãs de Maria e despedir-se delas. Esta celebração foi bastante divulgada no lugar.

Dankgottesdienst 015

Uma era chega ao fim

E, desta maneira, no dia 11 de outubro foi celebrada uma bonita Santa Missa com os párocos Pe. Hartmann, Pe. Vonderau e Pe. Schmitt junto a 16 acólitos, a Associação Musical Haunequelle, participando entre 350 e 400 pessoas que se sentiam vinculadas a Schoenstatt.

Foi algo muito emotivo, houve a oportunidade de se despedirem pessoalmente e de se recordar o que foi feito, desde 1935, pelas primeiras Irmãs de Maria (cuidados de enfermagem, cuidado de crianças, serviço de sacristia, etc.) e como as irmãs marcaram de forma natural a vida da população. No fim da Missa, o alcaide e a representante do conselho paroquial tiveram palavras de agradecimento. A Irmã M. Ilga também agradeceu e falou sobre a futura situação.

 

Ficou-se com a sensação de se estar num “evento do coração” na Igreja de Deus Pai. Todos permaneceram rindo, chorando, recordando o passado…

Cada um levou um cartão com uma mensagem do Padre Kentenich.

Neste sentido, uma era chegou ao fim, até ao final do ano partirão 30 irmãs e 10 ficarão na Casa José Engling.

Para as irmãs, esta foi uma forma maravilhosa de dizer “adeus”, o que não teria sido possível sem aquela Santa Missa (segundo a Irmã M. Luzia, que passou quase metade da sua vida em Marienhöhe, em Dietershausen). Ela já se “mudou” na quarta-feira passada..

Dankgottesdienst 028

Futuro: um lar para refugiados

Que acontecerá com a grande Casa Provincial? Uma resposta às vozes do tempo. A Caritas de Fulda comprou a casa para ser utilizada como alojamento para menores refugiados não acompanhados. No dia 1 de novembro a Caritas começará o seu trabalho no lugar e no dia 15 de novembro mudar-se-ão 60 jovens de um refugio improvisado para Dietershausen e desta maneira aliviar os centros de acolhimento de refugiados em Giessen e em Fráncfort.

Segundo o Chefe de Administração de Fulda, o Dr. Heiko Wingenfeld e o Primeiro Assistente do distrito, o Sr. Frederick Schmitt, o lugar é especialmente adequado para este propósito. As salas são, por exemplo, apropriadas para ensinar alemão. O complexo em si está rodeado de una ampla zona ao ar livre. Na Casa Provincial é possível assegurar o acompanhamento por parte de profissionais, de tal maneira que os jovens encontrem boas condições para se adaptarem à sua nova situação de vida sem as suas famílias.

Junto às tarefas da Caritas como responsável deste centro de receção, o condado da cidade de Fulda pediu-lhe para assumir a ação social, o diretor da Caritas, o Sr. Juch anunciou que se realizará um primeiro exame médico e o cuidado da maioria dos jovens menores, não só supervisionando-os, acompanhando-os na sua rotina diária, educando-os, especialmente em relação à aprendizagem da língua alemã, como também oferecendo-lhes atividades de lazer, Juch sublinhou o facto de que a Cáritas nunca antes foi responsável de centros de acolhimento, contudo tem uma grande experiência no cuidado e apoio aos refugiados menores de idade.

Dankgottesdienst 019

Com material de Osthessen News www.osthessen-news.de

Original: alemão. Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.