Colocado em 2013-02-11 In Vida em Aliança

Porque Dachau é um Santuário

ALEMANHA, Elfriede e Hans-Joachim Etzold/mda. No dia 20 de Janeiro a Família de Schoenstatt da diocese de Munique-Freising e Augsburgo peregrinou a Dachau, como fazem há anos neste dia comemorativo da decisão do Padre Kentenich de renunciar a todos os meios humanos que o poderiam ter salvo do campo de concentração; peregrinaram a Dachau, o lugar onde o Padre Kentenich e a aliança de amor – núcleo do seu carisma e da sua fundação – passaram a sua prova de resistência em condições extremas. Para o Padre Kentenick, o sinal para partir, sabendo que a aliança em Dachau toca todas as possibilidades imagináveis de sofrimento e crueldade humana e onde o seu poder criativo foi demonstrado justamente neste lugar, não podia esperar mais. O passo de 31 de Maio, com tudo o que chegou a ser realidade em Schoenstatt e depois o seu envio à Igreja e aos homens de hoje em dia, foi preparado em Dachau.

Dachau. Muitos visitam este lugar por interesse histórico. Para muitos schoenstattianos de todo o mundo, é parte obrigatória do programa de peregrinação a Schoenstatt, tanto pela sua perspetiva histórica como também por ser o lugar onde o Padre Kentenich atuou. E para muitos, este lugar é uma vivência muito difícil considerando as atrocidades que ali aconteceram e que foram documentadas. Outros regressam uma e outra vez… e celebram ali a Páscoa e a vitória da Aliança de Amor, celebram o quotidiano à luz da Aliança de Amor e também celebram quem não se achava tão importante para deixar a sua “zona de conforto” e chegar ao centro do mundo real, cheio de perseguição, ódio, injustiça, sede de poder e desprezo pelo ser humano. Celebram aquele, que ali continuou a ser o mesmo de sempre e que nesse lugar continuou a construir Schoenstatt, o Schoenstatt de Deus. Aquele, que no campo de concentração de Dachau tornou possível viver a cultura de aliança, viver um ambiente de aliança com sacerdotes, com laicos, “estrangeiros”, com comunistas, com os atormentados e os moribundos…

Há pessoas que gostariam de construir um santuário em Dachau. Há outros que se entusiasmam em levar ao mundo de hoje as situações de Dachau, o ambiente e as graças do santuário e eles falam do Santuário-Dachau. Uma ideia que há mais de 20 anos motiva mundialmente a Comunidade de Mulheres Profissionais e que vive ainda em alguns círculos. E existem pessoas que dizem que Dachau é um santuário. Um santuário, do qual hoje em dia fluem graças…

Um “selo do santuário” em Dachau

Na já mencionada peregrinação a Dachau da Família de Munique e Augsburgo, timbrou-se pela primeira vez na sacristia do Convento das Carmelitas o “Selo-Dachau” com a imagem da “Rainha do Espírito de Dachau” o Passaporte do Santuário (uma ideia nascida em Milwaukee, que foi especialmente bem acolhida por parte da União das Famílias na Alemanha). O selo foi elaborado, graças à iniciativa da diocese de Munique- Freising, do Reverendo Eschbaumer, pela artista Maria Kiess de Freising.

Pessoalmente para nós, assim o disse a Família Etzold, este novo selo é um “selo de santuário” já que nós vemos este lugar comemorativo do campo de concentração de Dachau como um grande e importante “campo de santuário” para o Ramo Familiar e para todo Schoenstatt.



Tradução: Maria de Lurdes Dias, Lisboa, Portugal

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *