Colocado em 1. Fevereiro 2010 In Vida em Aliança

Talvez tenha sido por isso que a Mãe Peregrina de Schoenstatt chegou há 8 anos ao Haiti…

Candle lit at the Original Shrine for Haitimkf. Enquanto chega possivelmente a 200 mil o número de vitimas no Haiti, e pessoas do mundo inteiro se unem em uma incrível onda de solidariedade mediante orações, donativos e esforços de auxílio em prol do Haiti, começou a circular esta manhã, através de redes sociais, de blogs e de sites, uma foto proveniente do Haiti. Esta mostra haitianos esgotados e empoeiradas trazendo nas mãos dois objetos que salvaram intactos dos escombros: um sacrário de madeira e uma estátua de Nossa Senhora. Jesus e Maria Santíssima encontram-se junto de seu povo em um dos piores momentos de toda a sua história. No mundo inteiro, outrossim a Família de Schoenstatt se une a esta onda de solidariedade através da oração e de ofertas de donativos em prol dos schoenstattianos no Haiti e de todos aqueles que aí passam por indescritível sofrimento.


A tabernacle and a statue of Mary saved from the debris of a destroyed church in HaitiE esta incrível onda de solidariedade em prol do Haiti expressa-se de diversos modos. Assim, junto do Santuário Original, onde outrossim foi celebrada uma Santa Missa, arde uma vela pelo povo haitiano; no Brasil arde igualmente no Santuário-Lar de um monge beneditino uma vela por este povo; um jovem participante da corrida de Paulo* leva consigo todos os haitianos; enfim, muitas cadeias de oração por este povo tão sofrido.

A Ir. M. Joanne Buckley, Irmã Provincial das Irmãs de Maria nos Estados Unidos, em Porto Rico e na República Dominicana – de cujos lugares vieram irmãs e sacerdotes para trabalhar com a Família de Schoenstatt do Haiti – relata pormenores da presença de Schoenstatt em terras haitianas, assim quanto do Arcebispo José Serge Miot, morto neste terremoto devastador. Morreu, juntamente com 100 presbíteros e seminaristas, durante um dia de reflexão, debaixo dos escombros de sua casa…

Arcebispo Serge Miot – um instrumento nas mãos da MTA

“Unimo-nos em oração pela nossa Família Schoenstattiana haitiana”, assim diz a Ir. M. Joanne, ” bem como pelas vitimas e suas famílias, especialmente pelo eterno descanso do Arcebispo de Porto Príncipe. Depois do terremoto, o Arcebispo José Serge Miot foi encontrado morto debaixo dos escombros de seu escritório.

Este prelado era uma alma muito aberta ao Movimento Apostólico de Schoenstatt. Em 1980 (transcorridos cinco anos de sua ordenação presbiteral) esteve na Alemanha, vindo então a visitar o Santuário Original. Ainda que conhecesse pouco a respeito de Schoenstatt, sentiu que Schoenstatt era o que sua Arquidiocese necessitava, de sorte que no Santuário Original pediu que o Movimento, juntamente com a MTA, fosse um dia para o Haiti. Apercebeu-se de que esta espiritualidade era a resposta às necessidades das famílias haitianas. Volvidos anos, sua oração foi atendida mediante a recepção de uma imagem da Mãe Peregrina de Schoenstatt recebida em 2001 das mãos de um grupo de senhoras haitianas que haviam visitado o Santuário de La Vitoria, República Dominicana. Em 30 de outubro de 2002, ele próprio visitou este Santuário onde celebrou uma Santa Missa.

Late Archbishop Jospeh Serge MiotEm sua homilia, contou então como havia travado conhecimento com o Movimento Apostólico de Schoenstatt e a importância deste tanto para sua vida quanto para a sua Arquidiocese. Entre outrem, disse: ” Temos de continuar a rezar, porque este Movimento responde exatamente às necessidades das famílias de nossos dias. Creio outrossim que esta espiritualidade seria ótima para o clero diocesano. Os sacerdotes diocesanos, ao contrário do clero religioso, não têm uma espiritualidade própria que os apóie. E aqui a MTA, a Mãe dos Sacerdotes, irá ajudá-los a empreender um bom trabalho na salvação das almas.”

Pelo menos, havia 14 Santuários-Lar em Porto Príncipe

O Arcebispo Miot convidou os sacerdotes do Instituto dos Sacerdotes Diocesanos de Schoenstatt, da República Dominicana para introduzir tanto os sacerdotes quantos os seminaristas de sua Arquidiocese no mundo do Movimento Apostólico de Schoenstatt. Ele próprio participava ativamente da vida da pequena Família Schoensttatina de Porto Príncipe, de sorte que efetuou a cerimônia de envio das primeiras imagens da Mãe Peregrina de Schoenstatt, abençoando outrossim as imagens para os Santuários-Lar. Pelo menos, em Porto Príncipe, há 14 Santuários-Lar; e todas estas casas encontram-se agora extremamente danificadas ou totalmente destruídas pelo terremoto. À MTA e ao Pe. Kentenich recomendamo-lhes a grande miséria existente neste país extremamente pobre. E que por seu intermédio sejam operados prodígios de auxílio e de cura.”

Se apenas um único homem se esperança e luta pela vida, depositando ao mesmo tempo suas mãos nas mãos de Jesus…

Sarah-Leah Pimentel, tradutora do primeiro artigo sobre o Haiti, publicado no dia imediato ao terremoto, escreve o seguinte:

The first  Pilgrim MTA that came to Haiti“Esta semana tive tanto trabalho que apenas escutei que havia havido um terremoto; não vi uma única imagem nem foto; depois escutei na rádio que estavam enviando ajuda, sendo isso porém tudo o que me era do conhecimento. E depois quando dei início à tradução do artigo referente ao ocorrido, o sofrimento deste povo tornou-se-me visível. Ontem à noite visitei o site da BBC e vi que muita miséria é devido outrossim à péssima construção das casas, e que estas pessoas morrerão se não forem de imediato socorridas. A catedral em que ocorreu a bela cerimônia do envio das imagens da Mãe Peregrina de Schoenstatt e da coroação encontra-se em escombros. De repente, tudo isso também tinha a ver comigo e com a minha família. O escritório do arcebispo, onde ele veio a perder a vida, havia-se desmoronado. O Palácio Presidencial é um monte de escombros; os ministérios encontram-se destruídos, e os ministros perecidos jazem lá fora na rua em sacos para cadáveres. Se os “poderosos” de uma sociedade falecem deste modo, o que se dirá então das classes desfavorecidas, que nada têm? Em face disso, surgiu então o comentário de que as pessoas que vivem em áreas de invasão tiveram mais sorte, pois aí pouca foi a quantidade de concreto que se precipitou por sobre os habitantes; em seu discurso, o Presidente da República do Haiti via-se tão perdido como se outrossim não soubesse quais as medidas a ser tomadas. Trazia vestido uma camiseta bem modesta…

Creio que estas imagens mostram o desespero de todos os haitianos, de sorte que é difícil encontrar alhures esperança. Sem embargo, em todos os escombros encontram-se igualmente subterradas várias imagens da Mãe Peregrina de Schoenstatt. Talvez haja sido essa a razão por que teve de ir para o Haiti. Ao longo de 8 anos, nossa MTA quis quiçá visitar os lares de todas estas famílias haitianas, a fim de que agora possa ser mãe de um filho perdido ou uma pequena consolação para os pais ue perderam seus filhos; portanto, um raio de esperança para aqueles que entre os escombros ainda lutam por sua vida ou uma voz da esperança para os voluntários que viajam de todos os recantos da terra com destino ao Haiti para aí prestarem seus préstimos…

A querida MTA sempre nos mostra seu Filho, mesmo nas mais difíceis situações da vida; e se apenas um único homem se esperança e luta pela vida, depositando ao mesmo tempo suas mãos nas mãos de Jesus, então as imagens da Mãe Peregrina de Schoenstatt podem permanecer para sempre subterradas entre o concreto qual sinal de esperança, de fé, e não de morte nem de desespero…”

Tradução: Abadia da Ressurreição, Ponta Grossa, PR, Brasil