furacão Matthew Rótulo

CUBA, Pe. Alberto, pároco de Maisí • As catástrofes têm prazo de validade mediático muito estreito. Não só nos meios de comunicação, mas também nos donativos solidários, nas orações, na memória. São, simplesmente tantas e, inclusivamente, as que têm algum vínculo pessoal que tocam os níveis mais profundos da alma, deixam de ser presente…Furacão Matthew? A Paróquia de Maisí na Diocese de Guantánamo, a Paróquia onde até Julho de este ano trabalhava um dos sacerdotes schoenstatteanos de Cuba? Foi em Outubro e, como em Cuba só houve danos materiais, osLeia mais
CUBA, Mons. Wilfredo Pino Estévez • O Pe. Rolando Montes, sacerdote schoenstattiano da diocese de Guantánamo-Baracoa, que atualmente está estudando em Roma e é colaborador do schoenstatt.org, transmitiu o relato do bispo sobre sua visita nas paróquias mais afetadas pelo furacão Matthew. Não há mortos, e talvez por isso, os meios de comunicação ignoraramm os danos provocados em Cuba, onde cidades inteiras foram destruídas e as pessoas estão sem comida, água, roupa, tudo. Mas o que não lhes falta é a fé… Verdadeiramente não sei como começar a descrever oLeia mais
CUBA/INTERNACIONAL, Maria Fischer Mais de 850 mortos no Haiti, oito na República Dominicana – os danos causados pelo furacão Matthew ainda não podem ser totalmente avaliados. Muitos lugares não podem ser alcançados, porque pontes desabaram, deslizamentos de terras fecharam as estradas e inundações isolam-nos do mundo exterior. Uma avaliação inicial conta com a destruição de vinte mil casas. Tudo isso aconteceu num país que ainda não está totalmente recuperado do grave terremoto de 2010 e é o país mais pobre do continente americano. Territórios do leste de Cuba foram violentamenteLeia mais