Colocado em 30. Março 2019 In Casa Mãe de Tuparendá

Minhas experiências com a pastoral carcerária

PARAGUAI / ALEMANHA, P. Leonhard Erhard •

“Eu estava curioso e me emociona lembrar as minhas experiências com a pastoral carcerária na diocese”  versão no site língua alemã Casa Mãe de Tuparenda tinha acabado de ser colocado online e este foi o comentário de seu primeiro visitante, o Pe. Leonhard Erhard, quem comemorou, há algumas semanas, seu octogésimo aniversário há algumas semanas. Pedimosque escrevesse um pouco  “mais” … e aqui esta seu comentário.—

Enquanto trabalhava na Cáritas, uma das áreas pastorais era o trabalho pastoral na prisão e entre as instituições, estava, Niederschönefeld,  uma Prisão Juvenil, localizada nos edifícios de um mosteiro cisterciense secularizado. Ao ler o conceito da Casa Madre de Tuparenda, vários detalhes surgiram:

Não completamente sozinho

Todo o complexo é projetado em um ambiente familiar livre e isso me dá muita alegria, porque, em contraste, eu me lembro de um jovem de 16 anos, que sozinho em sua cela estava empenhado em fixar o salto alto,em sapatos femininos, à fábrica.. . Até hoje ouço, em meus ouvidos, seus comoventes pedidos de tirá-lo de seu trabalho, em solidão. Minha impressão sobre ele era de uma personalidade débil, que precisava de uma gangue e acabou na prisão com jovens da gangue. Indefeso consigo mesmo, ele foi trancado sozinho e para os funcionários da prisão, o fundamental era que todo o processo foi realizado sem problemas. Em comparação com à minha experiência passada, vejo, com alegria, este projeto um terreno completamente diferente, para essa maturidade juvenil.

 

Acolher e fortalecer

Como um centro de detenção com um ambiente familiar, a Casa Mãe oferece as condições ideais que eu desejaria para essa outro jovem. O poder  judiciário ofereceu-lhe a possibilidade de libertação antecipada por bom comportamento e a possibilidade de estabilização se ele estivesse em um bom ambiente após a prisão. Ao pedir sua família, sua mãe rejeitou fortemente, frente a possibilidade de:” ter que ficar com raiva”, no futuro com o “filho que não fazia nada de bom”. Eles queriam ter sua  paz.

O fato de ter que dizer isso ao garoto que não tinha mais para onde ir, ainda hoje sinto o sentimento de afogamento, e é por isso que fico muito feliz em conhecer esse projeto que tem exatamente a atitude básica oposta e é voltado justamente para acolher esses jovens.

A possibilidade de liberdade antecipada oferecida pela justiça aqui pode fornecer um impulso surpreendente à sua própria estabilidade, que a necessidade de harmonia da mãe rejeitou nesse momento.

Embora estes exemplos sejam negativos, fico satisfeito que surjam estas  condições de vida nas periferias do mundo do bem-estar e que esses danos da alma possam ser curados.

E então veio o corte de energia

Ao analisar as atividades profissionais no projeto, da jardinagem à padaria, etc., veio à mente uma notícia que chegou ao escritório da Cáritas. Enquanto estava na prisão, um garoto fez um treinamento como padeiro, na relativamente pequena padaria da prisão. Em essa época, era  geralmente difícil encontrar aos jovens um trabalho digno após a sua libertação (devido às consequências devastadoras que ocorriam e comose aproveitaram deles em seu novo emprego), rapidamente encontramos uma padaria que estava em uma falta permanente de trabalhadores.  Uma vez que uma falta de energia paralisou o trabalho em ima padaria de alta tecnologia por algumas horas. Então o ex-prisioneiro foi o único que conseguiu fazer todo o trabalho à mão. Isso produziu um aumento súbito de estima e apreço por ele e um crescimento em sua própria auto-estima, permitindo uma enorme estabilização de toda a sua pessoa. Isso deu-lhe tanta alegria, que ele precisou em nos dizer, porque queria ter certeza de que não deveríamos ter vergonha dele.

Isto confirma especialmente a idéia do projeto com tais possibilidades para aprender habilidades de trabalho de uma maneira simples e poder sentir-se forte e seguro quando pessoas comuns que são mimadas pela tecnologia são desamparadas.

 

Original: alemão 03/11/2019. Tradução: Glaucia Ramirez, Ciudad del Este, Paraguay

Sitio web de Casa Madre de Tuparenda

Agora também em inglês e alemão: a página web da Casa Mãe de Tupãrenda

Etiquetas: , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *