Colocado em 23. Setembro 2018 In Casa Mãe de Tuparendá

Já tem sua página institucional: Casa Mãe de Tupãrenda

PARAGUAI, Maria Fischer •

Nas cores azul e verde claro, e feito de maneira muito profissional – como corresponde em uma obra que quer devolver a dignidade as pessoas abandonadas e menosprezadas durante toda sua vida -, se apresenta a nova página institucional de uma das obras sociais mais jovens e mais impactantes de Schoenstatt: a Casa Mãe de Tupãrenda  (CMT), um programa socioeducativo de reinserção social e desenvolvimento pessoal de jovens e adolescentes, inspirado na espiritualidade do Movimento Apostólico de Schoenstatt e na pedagogia de seu fundador, o padre José Kentenich. É realizado pela Fundaprova, uma fundação que surgiu dentro do Movimento de Schoenstatt, junto com o Ministério da Justiça e apoiado por várias instituições e uma rede crescente de benfeitores não somente do Paraguai. —

Depois de uma tentativa fracassada com outra agência de comunicação que iria fazê-lo gratuitamente, os membros da Fundaprova decidiram contratar a agência profissional Meraki e pagá-los de seu próprio bolso. “Meraki é uma palavra em grego que significa: “Fazer algo com amor e criatividade deixando sua alma nisso”, isto o queremos transmitir em tudo o que fazemos”, se lê na página de Meraki e isto se nota na página que criaram para os mais pobres e abandonados, para estes jovens que entraram na prisão por não ter ninguém que os desse apoio, comida, casa e oportunidade. Por trás da Casa Mãe de Tupãrenda  está “o desejo de oferecer aos que realmente querem uma vida melhor, a oportunidade de realizar esse sonho. Estou convencido que a Mãe quer fazer algo por esses filhos seus tão desamparados em Tupãrenda. Para muitos será a primeira oportunidade de suas vidas…”, comenta o Pe. Pedro Kuehlcke.

Para os que querem aproximar-se…

Com textos breves e concisos, a página explica o programa, as condições, as conquistas e motivações que há por trás deste projeto, que existe a apenas dois anos, à sombra do santuário de Tupãrenda . O projeto surgiu, como todos os projetos de Schoenstatt, a partir de um diálogo entre as vozes do tempo e o carisma pessoal daqueles que formam o abençoado começo. ” Casa Mãe de Tupãrenda  não é uma missão para todos”, disse Pe. Pedro Kuehlcke. Para aqueles que o sentem como missão, é missão da vida e fonte de felicidade schoenstattiana. O Pe. Pedro Kuehlcke não se assusta muito quando o explico que para os poucos dias que estarei no Paraguai tenho dois desejos: a Missa dominical na Prisão de Menores (dia 16.09) e a Missa da Aliança (ou seja, a Missa do dia 18 de setembro), com os jovens da Casa Mãe de Tupãrenda .

As casas sociais à sombra do santuário

Quando se estava “configurando” este projeto o Pe. Pedro voltou a ler o artigo sobre o santuário da Rainha do Rosário no Vale de Pompéia, aquele artigo que inspirou Pe. Kentenich a fundar Schoenstatt. Neste artigo o autor fala muito das obras sociais que Bartolo Longo iniciou em torno do Santuário da Rainha do Rosário.

Em 1872, Bartolo Longo se estabeleceu em Pompéia por motivos profissionais. Impactou-o profundamente a miséria humana e religiosa dos pobres camponeses. Em 1876, inicia a campanha de uma “contribuição mensal” para construir um templo em Pompéia. Como resultado da cooperação humana e a intercessão prodigiosa de Maria surge um lindo santuário. E em torno desta construção nasce uma cidade mariana, enriquecida com numerosos institutos de caridade. O “milagre de Pompéia” é produto de cinquenta anos de trabalho incansável, ardente e inteligente. Milhares de crianças abandonadas receberam ajuda, um lar. Milhares de pessoas voltaram para a oração, graças aos escritos de São Bartolo Longo. Milhões de peregrinos visitaram a Virgem em seu novo Santuário.

Um sonho? “Creio que as obras sociais também inspiraram Padre Kentenich”, disse o Pe. Pedro. “Quem sabe… algum dia, nosso santuário de Tupãrenda  se verá rodeados de casas de obras sociais, de obras de misericórdia.”

Durante toda sua vida, o Pe. Kentenich se ocupou e se preocupou pela ação social. Dizia: “Não se pode dar uma educação verdadeira sem o reconhecimento dos grande problemas sociais de nosso tempo e sem o manejo dos meios idôneos para poder os superar. Devemos ter um pensamento com atitude social, que consiste na consideração dos demais, em ter compaixão diante da miséria alheia para dar uma rápida e oportuna resposta baseada no amor e na bondade”.

Em Tupãrenda  se dá esta resposta.

Quero ajudar

Talvez não é missão de todos ir aos presídios, abraçar aos jovens, ensinar ofícios e valores sociais e humanos na Casa Mãe de Tupãrenda . Talvez nem todos podem fazer isso, mesmo que quisessem, pela distância, por falta de tempo.

Porém todos podem fazer alguma coisa: ajudar. Ajudar com oração, ajudar com capital de graças, ajudar com a difusão da página.

Ajudar. Sim, também com dinheiro. Pode-se fazer em duas contas e de maneira online. Basta clicar no botão

 QUERO AJUDAR.

Não precisar ser uma salário mensal como em Pompéia. Porém algo.

Material sobre Bartolo Longo de ACIprensa.

Original: Espanhol, 18.08.2018. Tradução: João Pozzobon, Santa Maria, Brasil

Etiquetas: , , , , ,