c

Colocado em 2022-05-29 In Projetos

Um ano de “Madre,ven”

ESPANHA, Maureen e Ambrosio Arizu •

Há um ano atrás, nesta altura, Maureen e eu pusemo-nos a caminho com a Mãe para percorrer Espanha. Há um ano atrás, nesta altura do ano, atirámo-nos de cabeça e partimos para o desconhecido, para o nunca antes feito. Deixámos a nossa vida quotidiana, entrámos numa autocaravana e tornámo-nos os “hippies” de Nossa Senhora, como disseram os nossos filhos. —

Madre ven

Como não termos saudade?

Estaria a mentir se não dissesse que temos saudade, se não dissesse o quanto sentimos falta daqueles longos meses de intimidade conjugal a caminhar juntos ao lado de Maria. Eram dias intermináveis, e a todo o momento olhando para Ela. Sob aguaceiros tropicais ou sob um sol escaldante, caminhámos todos os dias ao Seu lado.

Nunca imaginámos que Ela pudesse preencher um espaço tão grande na nossa vida quotidiana. Ela era o centro e Ela era tudo. Levantávamo-nos e adormecíamos com Ela, por Ela e para Ela.

Madre, ven - Torreciudad

Experimentar a Sua presença

Os nossos dias eram cheios de alegria, todos eram brilhantes e a nossa tarefa era tão simples. Nos meus muitos, muitos anos de vida profissional nunca fiz um trabalho tão simples e nunca experimentei a plenitude interior com que terminava cada dia. Cada dia era um novo começo que enchia o coração de excitação. Eu e a Maureen éramos como duas crianças à espera que o parque de diversões abrisse.

Experimentámos a Sua presença; Ela manifestava-Se incansavelmente em todos e cada um dos filhos que encontrava ao longo do caminho. Vimo-la agir, víamo-la tocar os corações víamo-La na pessoa indiferente cuja expressão do rosto mudava quando A olhava nos olhos; na senhora idosa a quem visitava na sua solidão no meio do campo; no padre que estava sobrecarregado com a frustração de um Ministério sem frutos visíveis; nos jovens cujos corações Ela inflamava; no Bispo que humildemente se ajoelhou para beijar o Seu manto; nos rostos de amor e no brilho daqueles olhos cheios de santidade das pequenas Irmãs de clausura, nos muitos e muitos mosteiros que visitou, nos quais dormiu e nos quais foi recebida como Rainha.

Como não ter saudade? Imensa saudade, só ultrapassada pela imensa gratidão que brota dos nossos corações por um presente tão grande. Na minha secretária uma pequena réplica da imagem com quem caminhámos lado a lado, olha-me com olhos cheios de amor, ternura e intimidade. Não há um momento em que, ao devolver-Lhe o Seu olhar, tomando de repente consciência da Sua presença, no meio da concentração da tarefa, não me arranque um sorriso e um agradecimento.

Obrigado pelo Teu Amor. Obrigado por teres vindo.

Madre ven en MallorcaDeixamo-vos a página web de Madre, Ven

Fotos tiradas da página web de Madre Ven. 

Publicado primeiro em: https://federacionfamilias.schoenstatt.es/ – com autorização

Valencia Madre ven

Original: espanhol (27/5/2022). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.