Casa Madre de Tuparenda

Colocado em 2021-07-11 In Casa Mãe de Tuparendá, pastoral prisional, Projetos

Uma carta surpreendente

Pe. Pedro Kühlcke, Paraguai •

Há alguns dias recebi uma carta em italiano, supostamente de umas freiras trapistas dos EUA, oferecendo-me ajuda financeira para projectos sociais ao serviço dos mais pobres, e querendo saber o que estamos a fazer neste campo. —

Respondi-lhes em inglês, uma vez que não sei escrever em italiano, falando-lhes da nossa Pastoral Penitenciária “Visitação de Maria” e do nosso programa pós-penitenciário “Casa Mãe de Tupãrenda”. Concretamente, também lhes escrevi que precisamos de apoio para pagar as bolsas de estudo aos nossos jovens beneficiários.

Parece que as freiras gostaram muito da carta, e prometeram-me uma boa soma de dinheiro, o que nos deixou a todos muito felizes. Mas… também nos pediram que os ajudássemos a enviar uma soma de dinheiro a uma viúva muito doente no Congo. Isso pareceu-me um pouco estranho, e por sugestão do nosso tesoureiro geral, Pe. Pablo Pol, telefonei directamente para o mosteiro em questão.

Uma fraude no estilo do “esquema nigeriano” ou “Conexão Nigéria”.

Fui atendido por uma freira muito amável, que me informou que, infelizmente, isto é uma fraude, e que há meses que pessoas sem escrúpulos têm vindo a usar o bom nome do mosteiro e da Madre Abadessa para as suas tentativas de fraude.

Esta é outra variante do sistema de fraude chamado “Nigeria Connection” ou “Nigeria Scam”, um tipo de fraude de pagamento adiantado via correio electrónico (e agora também via WhatsApp e redes sociais) conhecido desde os anos 90 do século passado. No início, os remetentes fingem ser da Nigéria (daí o nome). Primeiro, a vítima é levada a acreditar que pode ganhar uma enorme fortuna, ou receber um grande donativo, e que só tem de adiantar uma certa quantia para facilitar a transferência ou fazer algum trabalho de caridade. A pessoa que faz o adiantamento nunca mais volta a saber de nada….

Fiquei a pensar porque é que a Mãe, a “Mãe de Tupãrenda”, queria que eu escrevesse esta carta em inglês sobre o nosso apostolado. Talvez alguns de vós, caros leitores, sejam os verdadeiros destinatários desta carta? Sentir-se-ão motivados a apoiar estes jovens que lutam todos os dias contra o seu ambiente, a sua história, e por uma vida mais digna e feliz?

Se assim for, não hesite em contactar-nos: [email protected]

Agradecemos-vos antecipadamente pela vossa atenção e generosidade, que Deus vos retribua abundantemente!

Equipo de la pastoral carcelaria


A carta sobre o apostolado da “Visitação de Maria” e da “Casa Mãe de Tupãrenda”

Cara Madre Abadessa:

Recebi o seu e-mail, e agradeço-lhe, antecipadamente, a generosidade que demonstra com ele.

Apresento-me: sou o Pe. Pedro Kühlcke, um Padre de Schoenstatt, nascido na Alemanha, criado na Argentina, e a viver no Paraguai desde 2006.

Desde 2014, sou capelão da maior prisão juvenil do Paraguai, perto da capital Asunción. Há cerca de 100 a 140 jovens entre os 14 e os 18 anos, todos das classes sociais mais desfavorecidas, quase todos provenientes de famílias disfuncionais, com problemas de toxicodependência, com histórias muito difíceis de pobreza, abandono, vida de rua, e com os vários crimes que muitos deles cometeram, muitas vezes por causa da pobreza ou da adição.

bautismo en la cárcel

Baptismo na prisão

Muitos jovens abertos à fé

Desde o início das minhas visitas, encontrei muitos jovens muito abertos à fé, com muito interesse pela oração, pelos Sacramentos, e por uma sincera mudança de vida. Desde o início pudemos reunir uma equipa muito empenhada de leigos do Movimento de Schoenstatt, com os quais visitamos a prisão todos os sábados. Levamos um bom lanche para todos, canções, partilha, e muitas vezes levamos também artigos de higiene, roupas, sapatos, etc. Para aqueles que estão interessados, oferecemos uma pequena catequese de preparação para o Baptismo, Primeira Comunhão e Confirmação, com a exigência de que os jovens participem regularmente por sua própria e livre iniciativa .

Com alegria posso dizer que nestes anos pudemos celebrar mais de 200 Baptismos, quase 200 Primeiras Comunhões e cerca de 150 Confirmações.

Também visito a prisão durante a semana, e há sempre muitos jovens ansiosos por falarem comigo, por se confessarem e por participarem na missa dominical.

Misa en la cárcel

Missa na prisão

Apoio para começar uma vida diferente

O maior desafio que encontramos é que quando os jovens finalmente saem da prisão, não encontram apoio para começar uma vida diferente. É por isso que a taxa de reincidência é muito elevada – estima-se que mais de 60% dos reclusos regressem à prisão após a sua libertação. Não havia nenhum programa de inserção sócio-laboral pós-prisão no Paraguai. Por conseguinte, nós próprios decidimos criar um a partir do nada, para podermos dar uma resposta eficaz a muitos jovens que nos pediam ajuda, trabalho, uma oportunidade de avançar e não recair. Este “nós” é a “Fundação para a promoção de valores e a prevenção da violência”, “Fundaprova“, criada com membros do Movimento de Schoenstatt para este fim.

Graças a Deus e a muitos benfeitores, e com o apoio do governo, em 2016, conseguimos montar uma casa nos terrenos do Santuário de Tupãrenda, a poucos quilómetros da prisão. Nesta “Casa Mãe de Tupãrenda“, é oferecido aos jovens um programa completo de inserção social e laboral, com apoio psicológico, jurídico, trabalho social e tratamento de vícios, e com a possibilidade de aprendizagem de aptidões suaves e de trabalho, e ofícios de horticultura, manufactura têxtil, padaria e confeitaria.

O programa tem a duração de nove meses, durante os quais os jovens devem assistir de segunda a sexta-feira durante o dia. Recebem as refeições correspondentes, bem como uma bolsa económica para a participação e conclusão do programa. Este ponto é muito importante, já que todos eles provêm de situações de grande pobreza, com responsabilidades pelos irmãos mais novos, ou, em muitos casos, pelos seus próprios filhos.

É um programa muito individualizado, cada participante começa quando é aceite. Temos 20 lugares, que estão quase sempre cheios, mesmo com uma lista de espera de jovens que se candidatam a participar no programa quando saem da prisão.

Nestes anos, podemos dizer com satisfação que já temos 38 licenciados do programa. Muitos deles estão a trabalhar, a maioria como padeiros profissionais. Alguns deles foram capazes de construir as suas próprias casas e formar belas famílias, deixando para trás o pesadelo de viver nas ruas, no meio do abandono, da droga e da criminalidade.

Após a graduação, acompanhamo-los pessoalmente durante um ano inteiro. No final desse ano, apenas dois em cada 30 estavam de volta à prisão – o nosso objectivo de baixar a taxa de reincidência está a ser plenamente atingido!

Casa Madre de Tuparenda

Desafios económicos

O tempo da pandemia do COVID-19 também nos afectou muito: a nossa Pastoral Penitenciária é extremamente restrita, e a “Casa Mãe de Tupãrenda” já não teve apoio financeiro do governo durante mais de um ano. Só sobrevivemos e continuamos a funcionar e a servir a nossa juventude pela graça de Deus e pela colaboração de muitos benfeitores.

Desde o mês passado que estamos a receber novamente uma ajuda parcial do governo, mas esta não cobre o mais importante: as bolsas de estudo para os jovens. Cada um recebe Gs. 1.100.000 por mês, o que soma 22 milhões de Gs. cada mês, aproximadamente 3.250 dólares americanos. Temos de ser nós próprios a cobrir esta soma, e muitas vezes não sabemos como.

Uma vez que a senhora, querida Madre Abadessa, nos enviou uma oferta tão generosa, gostaria de lhe pedir dois favores:

Primeiro, e mais importante, que reze por nós – pela Pastoral Penitenciária e pela “Casa da Mãe de Tupãrenda”, e por cada um destes jovens que lutam pela bela vida que Deus sonhou para eles.

E, em segundo lugar, se possível, que nos ajudem a financiar as bolsas de estudo para os nossos beneficiários.

Agradeço-lhe, desde já, em nome de cada um destes jovens, pelo seu interesse e generosidade; contamos com vocês, e vocês também contam com as nossas orações e gratidão!

Unidos em Cristo e Maria,

Pe. Pedro Kühlcke

Capelão

Casa Madre de Tuparenda


Precisam das nossas orações... e donativos para prosseguirem

Conta bancária no Paraguai
Banco Familiar
SWIFT FAMIPYPAXXX
Conta corrente 50 00408672
Em nome de: FUNDAPROVA
RUC 80079669-1

Conta bancária na Alemanha
Nome: Schönstatt-Patres International e. V.
IBAN: DE91 4006 0265 0003 1616 26
BIC/SWIFT: GENODEM1DKM
Ao cuidado de: Pe. Pedro Kühlcke, Casa Madre de Tupãrenda

Original: espanhol (7/7/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *