Colocado em 2020-07-22 In Casa Mãe de Tuparendá, obras de misericórdia, Projetos

Quero sair adiante e ajudar meu irmãozinho a não estar onde eu estive

PARAGUAI, Lourdes Palacios •

Quando Lucas escreveu a frase “CMT apenas para os corajosos” não se equivocava, pois todos os dias os participantes da CMT (Casa Mãe Tuparendá) lutam uma batalha que os obriga a ser corajosos e continuar dia após dia. —

Conheço esta luta, pois sou a educadora de habilidades comportamentais, com quem os participantes passam seus primeiros meses. Devem superar o mês de adação, talvez o mês mais difícil do programa, pois devem gerar em seu interior a convicção de querer e poder mudar.

Um exemplo claro desta atitude de querer mudar são nossos sobreviventes à quarentena restrita por Covid-19. Depois de longos meses de pausa, tiveram que colocar à prova toda sua capacidade de “aguentar ficar em casa” e não fazer “bobagem” como eles dizem, assim como manter-se em dia com os trabalhos à distância que são guiados pelos seus educadores, porque o único objetivo deles é “mudar suas vidas”.

 

“Para depois ajudar a crianças a não passarem pelo mesmo que eu passei” 

Então eu perguntei a Rubén de 16 anos: Para que você vem à CMT? E ele começa a enumerar seus motivos. Superando toda expectativa, ele fez uma lista:

  1. Para melhorar como pessoa, respeitar os demais.
  2. Para depois ajudar a crianças a não passarem pelo mesmo que eu passei.
  3. Para sair adiante e ajudar meu irmãozinho a não estar onde eu estive.
  4. Para aprender coisas boas e novas e olhar o outro lado da moeda da vida e ajudar minha família.
  5. Para ter um trabalho e melhorar minha qualidade de vida e fim.

“E quero e vou lutar, sair do vício, não ser respondão, melhorar também como eu trato as outras pessoas”.

“Eu quero com a CMT ter um trabalho, uma casa e que não me falte aquilo que eu sempre quis”.

 

Desta vez venho para fazer bem as coisas

Os sobreviventes da quarentena estrita foram poucos e, ainda que tenha sido difícil, perseveraram com coragem. Hoje a casa está cheia, são 20 participantes com vontade de perseverar neste novo começo e chegar à meta. Iniciaram novos participantes que pela primeira vez chegaram à CMT e outros que já haviam estado, mas que não terminaram o programa.

Um deles é Hugo de 18 anos, sempre presenteando-nos com um sorriso imenso quando chega à CMT e ao fazer a ele a mesma pergunta feita a Rubén, responde:

“Eu venho à CMT porque a primeira vez que eu vim não consegui finalizar o programa na CMT, pelo problema de vício em drogas. Bom, desta vez venho para fazer bem as coisas e finalizar o programa na CMT”.

Vocês não concordam que esses jovens são valentes? Claro que são e merecem começar a sonhar e lutar por suas metas. Merecem oportunidade, oportunidade que só a Casa Mãe Tuparendá lhes pode oferecer, e por serem corajosos se animaram a vir pela primeira vez; por serem corajosos se animaram a voltar e tentar novamente, aceitando começar do zero. Só a Rainha da Casa, a Mãe, pode conseguir isso com esses jovens, vinte jovens que querem mudar suas vidas e precisam da CMT para conseguir.

Sejamos corajosos como eles e ajudemos a estes jovens a concretizar seus sonhos e anelos!

 

 

 

Página oficial

Todos os artigos da Casa Mãe Tuparendá

Para doar – pois realmente precisam:

Via PayPal



Transferências bancárias no Paraguai

Banco da Família
SWIFT FAMIPYPAXXX
Conta corrente 50 00408672
Em nome de: FUNDAPROVA
RUC 80079669-1

Para transferências bancárias de outros países

Nome: Schönstatt-Patres International e. V.
IBAN: DE91 4006 0265 0003 1616 26
BIC/SWIFT: GENODEM1DKM
Uso pretendido: P. Pedro Kühlcke, Casa Mãe de Tuparendá

 

Original: Espanhol (20/7/2020). Tradução: Luciana Rosas, Curitiba, Brasil

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *