Colocado em 22. Dezembro 2019 In obras de misericórdia, Projetos

Nós fomos…Natal em San José

COSTA RICA, Margarita de Escorriola •

Neste terceiro Domingo de Advento, o meu IV Curso da União das Famílias da Costa Rica (curso FIDELITAS), saiu pelas ruas da cidade de San José, fieis ao Evangelho do dia que nos pedia para “ir e anunciar”; nós, Fidelitas, fomos ao encontro dos mais necessitados para nos entregarmos com alegria.—

Neste tempo de Advento, alegramo-nos porque a vinda do Senhor está próxima e preparamos tantas coisas para O receber! Mas não devemos esquecer-nos, neste tempo, de abrir os olhos e olhar à nossa volta; de procurar o irmão necessitado, de encontrar o Jesus que habita nele e de o servir.

 

Uma porta aberta para muitas realidades

Com esta ideia e encorajados pelas palavras do nosso Pai Fundador: “Sê para muitas pessoas um indicador do caminho, portador de luz e alegria”, reunimo-nos com alguns dos nossos filhos no Santuário para preparar os sacos que distribuiríamos. Assim, todos juntos, íamos pondo uma sanduíche, um refrigerante, algo doce em cada saco… e uma luz de esperança: um postal da Mater com a oração da confiança.

Chegámos à capital e não sabíamos como começar… mas só o facto de estarmos lá com o coração pronto, era como uma porta aberta para muitas realidades que também lá estavam à nossa espera, corações sedentos, de que alguém olhasse para eles, falasse com eles ou lhes desse um sorriso.

Ela estava do lado de fora do Hospital das Crianças, Yoselina (foto principal), uma adolescente indígena, que vinha de uma aldeia distante, porque tinha o bebé muito doente dos pulmões, sorriu depois de muitos dias de angústia… porque alguém sem a conhecer, falou com ela.

Ela podia ser a sua mãe.

Miguel, um drogado sem-abrigo, que vive na rua desde os nove anos de idade, quando ficou sem pais, derramou uma lágrima quando viu o cartão postal da Mater, enquanto nós lhe dizíamos que embora ele não acreditasse n’Ela… Ela sim, acreditava nele, e poderia ser a sua Mãe.

 

…e levámo-lo para o hospital para ser internado.

Carlos, um sem-abrigo, que estava deitado na rua, malcheiroso,  contou-nos que há, pelo menos, uma semana estava ali com muitas dores e diarreia, mas que não podia andar para chegar ao hospital, que ficava a poucos metros de distância… não pudemos deixar de pensar; como uma semana deitado na rua com dores? Quantas pessoas passaram ao pé dele e não viram, não fizeram nada.

É um filho de Deus que estava ali! Carlos, naquele dia, teve uma noite melhor… comprámos-lhe um par de calças novas, ajudámo-lo a mudar de roupa, pedimos uma cadeira de rodas e levámo-lo ao hospital para ser internado.

 

Cada um de nós pode fazer o Senhor vir ao mundo

Tivemos muitos mais encontros… ajudar um invisual a atravessar a rua, rezar a um Pai Nosso de mãos dadas com um estranho, dar de comer a um faminto… Cada um desses encontros foi, para nós, uma oportunidade de levantar, com o amor de Jesus, os desesperados.

E assim é que percebemos que cada um, de nós, pode fazer o Senhor vir ao mundo, através do nosso amor e compreensão.

Ao cair da noite, saímos de San José, com sentimentos ambivalentes… Sentimo-nos muito cheios e satisfeitos pelo bem feito, mas ao mesmo tempo, profundamente comovidos ao ver quanta necessidade e solidão têm alguns. Mas partimos seguros de uma coisa; nesse dia… Nós FOMOS NATAL EM SAN JOSÉ.

 

Original: espanhol (18/12/2019). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *