Colocado em 17. Maio 2018 In Projetos

Centros Educacionais que inspiram

URUGUAI, Juan Andrés Nopitsch •

O Centro Educacional Providencia, em Montevidéu, Uruguai, participou do primeiro congresso sobre experiências de acompanhamento das trajetórias educacionais das escolas públicas e privadas do Uruguai, organizado pelo Conselho do Ensino Médio. —

O congresso foi realizado na Torre de Telecomunicações, com diferentes modalidades de participação: oferecendo uma conferência, participando das mesas redondas ou expondo um projeto em modo cartaz. A intenção era dar oportunidade às equipes e centros educacionais para apresentar uma proposta prática e inovadora que pudesse enriquecer o debate e as reflexões durante os dias do congresso. “Expressamos interesse em participar exibindo um cartaz. Enviamos o tema e fomos selecionados. Apresentamos a experiência dos espaços compensatórios desenvolvidos no Liceu Providencia “, diz Mariângela Porto, vice diretora do Liceu Providencia.

Espaços compensatórios

O Liceu Providencia tem uma proposta educacional integrada pela grade curricular do ensino médio, uma proposta complementar e uma proposta compensatória. “A malha curricular é aprimorada em algumas áreas. Por exemplo, em matemática e espanhol, os alunos têm mais horas por semana do que eles pedem “, diz Mariângela A proposta complementar integra todas as oficinas opcionais entre as quais os adolescentes podem optar. “Há teatro, música, jornalismo, esportes, jogos de criatividade, laboratório de ciências, robótica, empresas jovens e muito mais.”

O terceiro eixo da proposta compensatória, e é aquela que o Liceu Providencia exibiu através do cartaz. São espaços não voltados apenas para alunos com baixo desempenho ou com baixa titulação, mas surgem muito antes das primeiras avaliações com caráter preventivo O objetivo da proposta é nivelar e compensar a aprendizagem que não foi obtida anteriormente. “Ao longo do ano, desenvolvemos vários espaços e estratégias concretas para acompanhar e aprimorar o aprendizado”, diz Mariângela. No início do ano, em fevereiro, é realizada a mudança educativa, que se destina essencialmente a coexistência de trabalho, fortalecendo as áreas de matemática, ciências, Inglês e linguagem, e trabalhar sobre a competência básica de “aprender a aprender” .

Uma abordagem proativa

Após o estágio de transição, os alunos são encaminhados para os diferentes espaços do tutorial. “Não esperamos que a criança tenha uma nota baixa, para participar de um espaço compensatório, avançamos de forma preventiva. Os espaços começaram em 12 de março, então ainda não houve entrega de boletim “, completa Mariângela.

Em março, começamos com os tutoriais de línguas, matemática e física, já que estas são as áreas mais descendentes. Então, em abril, o espaço de alfabetização liderado por 14 voluntários e o espaço dos cartazes começaram a ajudar as crianças com suas folhas de desenho.

Portanto, na primeira parte do ano o Espaço Compensatório tem como foco nivelar, compensar e melhorar o aprendizado. Então, na segunda parte do ano, o foco é que o adolescente possa alcançar o aprendizado esperado para passar as diferentes matérias.

Ajuda amorosa e profissional

Adicionado a estas práticas são os momentos de repescagem. “Há três momentos do ano em que os professores explicam como vão avaliar as crianças e os alunos têm” padrinhos “que os apóiam para organizar e estudar essas questões.” Os padrinhos ajudam os alunos a ter o caderno completo, a organizar o material, os tempos de estudo, e a fortalecer alguns conteúdos.

Finalmente, “No pôster também explicamos nosso trabalho com as Adaptações Curriculares, que são realizadas com alunos que baixaram os níveis de aprendizagem devido à intermitência escolar ou a uma dificuldade específica de aprendizado. “Nesta área trabalhamos com a psicóloga Leticia Dubcovsky. Ela faz alguns encontros com os alunos selecionados e faz um primeiro relatório. Então, por um lado, ela apresenta aos professores algumas recomendações para fazer ajustes nas propostas de sala de aula realizadas em cada disciplina e, por outro lado, continua trabalhando semanalmente com os adolescentes que mais precisam.

Criando vínculos educativos

Sem dúvida, o congresso foi uma experiência enriquecedora de intercâmbio com outros centros. “O bom foi ver o impacto nos participantes. Muitos vieram para fazer perguntas, tiraram fotos do cartaz para estudá-lo com cuidado. Outros comentaram que em seus centros de ensino essas práticas já funcionam, mas não foram sistematizadas ou organizadas no ano. Alguns sugeriram outras práticas interessantes. Gerou um bom espaço de troca, muito enriquecedor para todos. ”

Sobre o Centro de Educação Providencia

Centro Educacional Providencia está localizado no Cerro Oeste (Montevidéu, Uruguai), que surgiu em 1994, fundada por membros do Movimento de Schoenstatt e moradores do bairro, a fim de acompanhar as crianças e jovens na área em seu desenvolvimento como pessoas livres, ajudando-os a descobrir seu potencial e acompanhando-os no pleno desenvolvimento de sua originalidade. Durante estes anos, a Mãe Rainha foi fazendo do Providência uma realização o carisma missionário e pedagógico de Schoenstatt, de um modo particular,original que procura infundir no Uruguai uma maneira de olhar para a educação, de vincular-se e trabalhar a espiritualidade.

Original: Espanhol. 11 de Maio  2018. Tradução: Glaucia Ramirez, Ciudad del Este, Paraguai

Centro Educativo Providência, Uruguai: educar para a vida

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *