Colocado em 2018-01-28 In Projetos

Um ponto de exclamação contra todas as formas de oportunismo e adulação

ALEMANHA, Maria Fischer •

“Quem se envolver com ele não pode recuar. Seu perigo reside na sua incorruptibilidade e implacabilidade quando se trata da verdade e da voz da consciência. A posição erguida em frente ao andaime é um sinal de admiração contra todas as formas de oportunismo e adulação “, diz o padre Martin Emge, decano da região de Forchheim, no arcebispado de Bamberg, quando pergunto a Franz Reinisch:” Você não pode mais se separar dele. Minhas primeiras experiências conscientes com o padre Franz Reinisch voltam aos anos 80. Naquela época, eu tinha ouvido sobre ele pela primeira vez, na juventude de Schoenstatt. Nas minhas lembranças juvenis, esse homem possuía algo que imediatamente me atraía como adolescente: seu forte espírito de liberdade, suas paixões humanas e suas jovens travessuras,

sua radicalidade ate as últimas conseqüências,quando se tratava da voz interior da consciência”. Milhares de homens jovens (e também mulheres) na AméricaLatina cantmn sua musica com entusiasmo: “faça um apóstolo de Schoenstatt, que Cavaleiro  e eu vou morrer sorrindo, querida MTA!” Talvez não todos os que cantam sua música, querem morrer sorrindo, Mas algo dessa radicalidade confiada de Franz Reinisch esta nas suas vozes e nos seus corações, quando cantam com suas palavras seu amor por María e por Schoenstatt em nosso tempo. Em 9 de agosto de 1942, 12 dias antes de sua morte, Franz Reinisch compõe esta canção na sua cela da prisão de Brandenburg-Görden; e a sua “canção de volta à casa”. Ele sabe que vai morrer por suas idéias. Dizendo claramente: vai ser executado por aqueles que podem com tudo, menos com as pessoas livres e íntegras. Com o texto da Assunção de Maria (Apocalipse, 12) e uma pequena imagem da Mãe Três vezes Admirável na sua frente, escreve em um rascunho um canto de louvor a sua Rainha celestial. Em três estrofes, louva a Mãe de Deus como um grande sinal do céu. Pouco antes da sua morte reza, a Ela, sua versão pessoal da “pequena consagração”:

“Oh, minha Senhora, Oh, minha Mae e Rainha do coração, eu ofereço tudo para você … meus olhos, meus ouvidos, minha língua, minhas mãos e meus pés, meu entendimento e minha vontade, minha liberdade e minha honra, meu coração inteiro e minha vida. Todo seu”.

Um musical sobre um homem íntegro

A primeira representação será em Bad Kissingen, onde ele se recusou a prestar juramento a Hitler. Fr. Armin Haas, da Federação dos Presbíteros de Schoenstatt, trouxe um maço de entradas para o “Musical sobre um homem íntegro” por Wilfried Röhrig, que será lançado em 14 de abril de 2018 em Bad Kissingen Kurtheater. O musical conta uma história, da Páscoa de 1946, a primeira Páscoa depois da guerra:

Um padre Palotino que está a caminho de uma missão especial. Ele carrega em seu maletim a urna de cinzas de um irmão e quer passar ao oeste, desde de Berlim, através da fronteira entre zonas. Durante a viagem ele está em Magdeburg e se encontra com um jovem casal, que quer chegar a Hamburgo. Os três falam da “carga perigosa” do padre: Franz Reinisch que foi executado em 21 de agosto de 1942 em Brandemburgo por deslealdade ao exército. Ele se recusou a prestar juramento de fidelidade a Hitler.

Durante a viagem de aventuras, à noite, por estrada e trem, a história de vida emocionante de Franz Reinisch é revelada passo a passo: sua turbulenta juventude, a busca de sua vocação, seu protesto contra a dominação nazi e seus simpatizantes, o crescente conflito com as autoridades, até entregar a vida: um profeta moderno, autêntico e incômodo, comprometido com Deus e sua consciência.

O musical não é apenas um trabalho de palco dedicado,envolvente, divertido, sofisticado e pensativo em profundidade, senão que é, ao mesmo tempo, uma “lembrança perigosa”, um chamado à integridade e “a andar com a cabeça erguida”, para um mundo com direito à vida para todos.

 

Comprometer-se como cristãos na vida cotidiana

“Não está isento de perigo embarcar-se na vida do padre Reinisch. O que se expressa de forma emocionante no novo Musical Reinisch de Wilfried Röhrig, que tem como objetivo, motivar o compromisso social para assumir desafios e riscos como cristãos, na vida diária,  no cotidiano “, disse o padre Martin Emge sobre este musical.

Não precisa muito tempo para se perguntar e que fique claro: não se trata de história, nem mesmo se trata da biografia de um homem tão comprometido com sua consciência e sua missão de vida, que o levou à morte.

Em primeiro lugar, se trata de nós e sobre nós hoje, que vivemos a liberdade de expressão. Ninguém nos executará ou ameaçará fisicamente se rejeitamos ou apoiamos a este ou aquele partido, a esta ou aquela opinião,a  tal ou qual  idéia.

“Quão livre somos realmente para formar nossa opinião, se a nossa informação é filtrada através de redes de televisão ou agências de notícias ou até mesmo, ” falsificado ” pelas Fake News?”, Pergunta Martin Emge. “Quão livre eu posso ser, pessoalmente, dentro de uma sociedade que quer me  impor, como eu tenho que viver para pertencer a ela, com limitações ambientais e práticas, com as tendências da moda e com correntes que nos arrasta, com avaliações de religião e moralidade?

Ainda que se me permita viver num país com uma ordem livre e democracia, a liberdade de configurar minha vida autônoma, continua a ser um desafio diário “.

 

 

Seu amor pela liberdade provém de Kentenich

Durante a conversa em Wilten, o Pe. Martin Emge estabelece a relação entre Franz Reinisch e outro grande fã da liberdade, José Kentenich.

“Como um sacerdote palotino, o recém nomeado diretor espiritual conheceu Schoenstatt em 1933, através de uma revista para sacerdotes. A espiritualidade apresentada suscita sua curiosidade. Em 1934 ele tem a oportunidade de visitar Schoenstatt pela primeira vez. Em 21 de agosto de 1934, ele testemunhou a transferência dos restos de Hans Wormer e Max Brunner, seminaristas palotinos e heróis da congregação, na parte de trás do Santuário original. No dia 21 de agosto, oito anos depois, seria o dia de sua morte e a urna com seus próprios restos encontraria um lugar ao lado desses heróis. Em Schoenstatt, ele conheceu o Pe. Kentenich, que se tornou seu mentor, seu diretor espiritual e, de maneira muito especial, seu professor de liberdade interior. Dele provém as seguintes palavras: “Temos que ser personalidades livres. Deus não quer escravos de galerias , ele quer remadores voluntários. (…) Somos plenamente conscientes da nossa dignidade e dos nossos direitos “. Portanto: “Sob a proteção de Maria, queremos aprender a educar-nos a nós próprios, como personalidades firmes, livres e sacerdotais”. Essas palavras eletrificaram Franz Reinisch. Aqui, em Schoenstatt, ele ouviu pela primeira vez que existe um “ideal pessoal” que Deus colocou em cada ser humano como uma vocação pessoal. Deus coloca à disposição do homem carismas e capacidades do homem, com as quais ele pode tornar realidade a idéia predileta, que Deus depositou no coração, de cada pessoa, desde sua criação. Quando o homem descobre em sua alma essa vocação, a vida pode mudar totalmente. A personalidade livre, guiado desde do interior, é independente da opinião dos outros. Sua auto-estima procede de sua vocação e filiação divina, e não de conquistas e reconhecimento. O objetivo principal é descobrir a vontade de Deus e realizá-la. Apenas isso conta. Essa auto-estima e auto-valorização faz  brotar uma força desconhecida e libertadora “.

Que bom, que o livro “Caminos de vida”, uma espécie de “Guia Reinisch”, escrito por Martin Emge, logo apareça.

É bom, que surja  este musical  “Reinisch Musical, não por casualidade, no Ano do Padre Kentenich.

Schoenstatt precisa desse espírito de integridade, esse espírito do homem livre. Por isso ,Franz Reinisch foi executado e José Kentenich, partiu por 14 anos no exílio.

Fique na multidão

fique na aula

Junte-se e corra!

Não faça o mal,

não levante o dedo

Não chame a atenção!

 

Cale-se.

Imite os outros,

e fique fora!

Apenas mantenha-se alegre

não pense mais

e mude!

 

Essas palavras são tomadas do musical. Se alguma coisa acontecer, não importa onde, podemos chamar Franz Reinisch e solicitar sua intercessão. inclusive, se for perigoso.

Papa Francisco, pessoalmente, abençoou uma imagem de Franz Reinisch, em 25 de outubro de 2014, após a audiência do Jubileu do Movimento de Schoenstatt. Esta imagem preside a Sala Reinisch no Centro Internacional de Schoenstatt, em Roma Belmonte.

 

Representações e informações:

DatumOrt
14. Apr 18Bad Kissingen
16. Jun 18Bamberg
20. Okt 18Schönstatt, Vallendar
03. Nov 18Hall, Österreich
18. Nov 18Östringen

 

Informação (em alemão) reinisch-musical.rigma.de

www.franz-reinisch.org

Foto: Weweler

 

Original: alemão, 11.1.2018. Tradução: Glaucia Ramirez, Ciudad del Este, Paraguai

Etiquetas: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *