Colocado em 17. Maio 2015 In Projetos

A esta hora exatamente… há uma criança na rua

PARAGUAI, por motivo dos 30 anos de Dequeni, por Carmen Cosp •

Contava-me emocionado Ricardo Franco, um dos jovens fundadores de Dequení, que há algumas semanas Marcial o havia estado buscando afanosamente. Para isso, um domingo foi à missa em Caacupé. Lembrava que o padre Claudio Giménez lhe havia dado a Primeira Comunhão, e certamente poderia dar-lhe informação.

Aproximou-se ao final da missa e contou a Monsenhor: “Faz 25 anos que busco esta gente. Aonde posso encontrar Ricardo Franco, Carmen Ruiz, Cristina, Ida, Óscar,… Graças a eles eu sou o que sou agora.”

Venho agradecer-te…

Casualmente, o bispo tinha o dado exato. Umas horas mais tarde, Marcial e sua senhora chegavam a Casa dos Salesianos de Ypacaraí, aonde Franco participava de um congresso. Minutos depois se abraçaram muito impressionados. “Venho agradecer-te, a vos e a Dequení. Quando eu tinha sete anos vocês me encontraram em Calle Última vendendo jornais e me fizeram um convite. Fui a Dequení, aprendi a profissão de mecânico, buscaram um trabalho para mim como ajudante e encontrei-me com outros companheiros. A partida de futebol, os lanches, a catequese, o biscoito, o chocolate, me marcaram e me deram muita força… foi decisivo para sair adiante”.

Marcial hoje tem uma família, uma oficina própria e conserta caminhões, sua esposa cuida da contabilidade. Vinha agradecer porque haviam mudado sua vida.

Esse olhar preferencial de Jesus por seus filhos pequenos e débeis é o que motiva há 30 anos um grupo de jovens em torno a esta obra solidária. “Percorríamos as ruas, os tirávamos das casas de jogos e dos bordeis… e os levávamos a Dequení”.

Deixai vir a mim os pequeninos

A pequena semente hoje chega a mais de 10.000 beneficiários com atenção integral a primeira infância e proteção as famílias em centros comunitários. Aderem empresas, milhares de voluntários, e em ocasiões todo o país a suas caminhadas, para tornar visível esta situação de crianças em risco.

Deixai vir a mim os pequeninos (Dejad que los niños vengan a mí – Dequení), é mais que um chamado, um grito do Senhor, que quer vê-los crescer com vida abundante. Sabemos que o alimento, o estímulo, o cuidado amoroso na primeira infância são essenciais para que se desenvolvam os neurônios e o cérebro para aprender, mas falta compromisso de todos os líderes para que nossas crianças e jovens estejam contidos, apoiados, alimentados com nutrientes para o corpo e… a alma.

Sentimos alegria e orgulho por esta obra que está celebrando 30 anos de fundação, e desafiamos a seguir somando como nos convida o Mestre porque de nada vale si há uma criança na rua.

Fazemos pelas crianças

“Queridíssima Mãe, desejando que DEQUENÍ siga crescendo sempre, te regalamos este humilde trabalho como contribuição ao capital de graças. Fazemos pelas crianças”, rezaram os colaboradores de Dequeni em três de maio, na Missa em Tupãrenda com Monsenhor Claudio, coroando a Mãe com a coroa mais bela – o logotipo de Dequeni transformado em coroa (esperamos o relato).

11168397_10153238649427480_1623589244908162154_o

 

Original: Espanhol – Tradução: Lena Ortiz – Ciudad del Este, Paraguay

Etiquetas: , , , , , ,