Colocado em 2020-04-27 In A Aliança de Amor Solidaria em tempos de coronavírus, Casa Mãe de Tuparendá, obras de misericórdia

“Tenho saudades da comida da Casa Mãe de Tupãrenda” – Deêm-lhes vocês de comer (Mc 6,37)

PARAGUAI, CASA MÃE DE TUPÃRENDA, Ani Souberlich •

As mensagens de WhatsApp estão a chegar em grande número. Vinte jovens em quarentena, vinte jovens recentemente libertados da prisão juvenil, para onde foram, em grande parte, por roubos feitos para apaziguar a fome, vinte jovens que com grande empenho e ainda maior esperança iniciaram um caminho de desenvolvimento humano e de formação profissional na Casa Mãe de Tupãrenda (CMT), estão com fome. Não só fome de falta de alimentos, mas fome de proximidade, de conforto, de justiça e de paz. Acalmam a sua fome com centenas de mensagens do WhatsApp aos seus educadores. “Professor, tenho saudades da CMT, tenho saudades da comida da CMT.” —

 

Temos de conseguir e pagar todas essas refeições

“Sentimos a urgência em acompanhar de perto as famílias e os grupos mais vulneráveis, não só com alimentos, mas também com assistência para uma recuperação económica eficaz a curto, médio e longo prazo”, escreveram os Bispos paraguaios numa mensagem dirigida ao país e às suas autoridades em 21 de Abril, intitulada “Deêm-lhes vocês de comer (Mc 6:37).

O Pe. Pedro Kühlcke, Ani Souberlich e os dez funcionários da CMT, cada um com o seu salário reduzido a metade para manter o trabalho, dar comida, física e espiritualmente, aos vinte jovens e às suas famílias. Mas eles não sabem como pagar as despesas.

O primeiro pedido de ajuda e um convite do Papa

Há exactamente um ano, em Maio de 2019, como director da Casa Mãe de Tupãrenda, fiz o meu primeiro pedido de ajuda para manter as portas da nossa casa abertas e assim continuarmos a ajudar a transformar a vida de vinte adolescentes, que aqui tinham encontrado o apoio de que necessitavam para sonharem com uma melhor qualidade de vida para si próprios e para as suas famílias.  Graças à generosidade de tantas pessoas dentro e fora do Paraguai, graças a schoenstatteanos solidários da Bolívia, Espanha, Suíça, Alemanha e do nosso Paraguai, pudemos fazê-lo.

Os vinte jovens de então foram todos capazes de terminar o programa. Em Novembro, o Padre Pedro foi convidado para um congresso sobre o ministério penitenciário no Vaticano e pôde contar ao Papa Francisco sobre a CMT, e dar-lhe o “nosso” livro “Liberdade na Prisão” e algumas chipas típicas do Paraguai. Alguns donativos continuaram a chegar quando recebemos o apoio do Ministério do Trabalho.

 

O Pe. Pedro com o Papa Francisco, 8 de Novembro de 2019, Conferência dos responsáveis pelo ministério penitenciário Foto: Servizio Fotografico – Dicastero per la Comunicazione

Um novo apelo à solidariedade

Hoje atrevo-me a fazer outro apelo S.O.S. para manter a nossa casa aberta e, acima de tudo, para manter elevada a confiança e esperança que cada um dos vinte novos adolescentes participantes tem na CMT.

A partir de 13 de Março de 2020, o Ministério da Saúde Pública e da Previdência Social emitiu medidas sanitárias para todo o país, incluindo a quarentena pelo Covid-19. Desde então, cada educador assiste o seu aluno através de mensagens no WhatsApp para aqueles que têm telemóvel e para aqueles que não conseguem pedir emprestado o telemóvel de um vizinho ou primo e reportar ao seu educador (ninguém tem computador), podendo assim, através de fotografias representativas, classificar-se a si próprios de acordo com o seu desempenho diário no cumprimento do seu Plano de Desenvolvimento Individual (PDI).

E, como as crianças que precisam de ser felicitadas, encorajadas, apoiadas e não abandonadas, enviam as suas fotografias a fazerem as suas tarefas diárias e com muito orgulho contam:

  • hoje varri o meu quintal…
  • hoje tomo conta do meu irmão mais novo porque a minha mãe saiu..
  • hoje sou eu quem cozinha…
  • hoje lavo a louça depois do almoço…

Eles mostram o que fizeram com vídeos e fotos. Nos vídeos (que para protecção de menores não podemos publicar) pode ver-se um jovem a fazer a sua cama com uma perfeição admirável. Vemos um guarda-roupa simples, limpo e arrumado. Vemos um que limpa o pátio da sua casa com tal dinamismo que parece uma dança, e outro que lava a louça até brilhar.

 

“Hendy koape hina”

Não poder assistir diariamente à CMT significa para cada um deles não receber as refeições diárias: pequeno-almoço, meio da manhã, almoço e lanche da tarde. Significa fome.

Estes são tempos difíceis e incertos para todos, mas ainda mais para estes jovens que se expressam diariamente nas suas mensagens WhatsApp:

  • “Hendy koape hina” (expressão guarani que expressa que já existe uma necessidade na casa)
  • Mal há o suficiente para comer, continuamos a viver da comida que me deram aí.

Com os donativos recebidos, conseguimos alimentar os novos participantes em Março e até agora. “Por enquanto estão bem, mas cada vez custa um pouco mais contê-los e que mantenham a quarentena”, comentou o Padre Pedro Kühlcke.

 

Coroa, a sério.

Dias atrás, como Família de Schoenstatt do Paraguai, entregámos novamente a coroa à nossa Rainha, em quem depositamos a nossa confiança e esperança. Foram feitas inúmeras coroações em muitos outros países, mas isso é apenas uma parte. Coroar é uma Aliança, e Aliança significa: “Nada sem ti, nada sem nós”.

Ela precisa das nossas mãos, precisa da nossa capacidade de sentir compaixão pelos mais necessitados, que é a medida do nosso amor. Este amor não se mede nem se poupa em dar e dar de si mesmo, este amor que não espera até ao fim para sair ao encontro daquele que tem menos, este amor que diz à Mater: conta connosco. É um amor que demonstra com actos que A amamos verdadeiramente, que a coroamos verdadeiramente.

 

Plantando uma horta em casa

Deêm-lhes vocês de comer.

A CMT precisa novamente da vossa compaixão, que é do tamanho do amor que carregais no vosso coração, e estou certo de que, tal como o coração da nossa Rainha, não se deixará vencer em generosidade para que a CMT mantenha mais uma vez as suas portas abertas.

“A condição de vulnerabilidade e a fragilidade de um grande sector da população é visível e será agravada nos próximos meses e ainda não podemos medir o seu alcance e severidade. A fome é um clamor actual, que não podemos ignorar”, prosseguiram os Bispos do Paraguai, recordando a solidariedade dos cidadãos que, em parte, substituiu as iniciativas do governo nacional. Cidadãos como os educadores da Casa Mãe de Tupãrenda, “para cumprirem”, como pedem os Bispos do Paraguai, “das nossas limitações, o mandamento do Senhor, que disse aos seus discípulos: ‘Deêm-lhes vocês de comer’ (Mc 6, 37)”.

Agimos, nós, agora, com amor solidário com aquele que sofre?

 

Para fazer um donativo – pois é, realmente, necessário:

 

Via PayPal



Para transferências bancárias

Nome: Schönstatt-Patres International e. V.
IBAN: DE91 4006 0265 0003 1616 26
BIC/SWIFT: GENODEM1DKMA

Ao cuidado de: Pe. Pedro Kühlcke, Casa Madre de Tupãrenda

 

Original: espanhol (24/4/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *