Colocado em 2020-04-27 In A Aliança de Amor Solidaria em tempos de coronavírus, obras de misericórdia

Agimos com amor solidário com aquele que sofre?

CHILE, Pe. Francisco Pereira, Director Espiritual de María Ayuda / mf •

Todos os dias 12 de Abril, Maria Ayuda celebra o seu aniversário com uma Eucaristia de acção de graças aberta a toda a comunidade. Nela, rapazes e raparigas, representando as suas casas, trazem as suas ofertas, símbolos dos frutos do ano passado, das suas conquistas e dificuldades, bem como os das diferentes instâncias da instituição.—

Este aniversário, que calhou no dia da Ressurreição do Senhor, surpreendeu-nos no meio da pandemia do Coronaavírus e, portanto, com restrições ao contacto social e físico devido à quarentena ordenada pelas autoridades. Era, portanto, necessário pensar numa celebração interna em cada programa, onde as equipas pudessem realizar uma Liturgia e um encontro comunitário com as suas crianças e adolescentes.

A grave crise de saúde que o mundo e o nosso país atravessam, para além das consequências económicas que já começamos a sentir, recorda-nos que Maria Ayuda nasceu no meio da grande tempestade social e económica dos anos oitenta, quando muitas meninas saíram para as ruas da capital para procurar formas de levar algumas moedas para casa. Era uma época de grande drama social, o resultado do enorme desemprego que se vivia. E, se nascemos em tempos de grandes dificuldades e soubemos navegar na tempestade daquela época, saberemos também conduzir o barco para águas mais calmas, porque nunca duvidámos que quem está ao leme é Maria, vitoriosa em cada passo que demos com Ela.

Vai ser um ano difícil, sem dúvida. Não poderemos realizar a histórica recolha anual, e talvez todos os eventos para angariar fundos tenham de ser adiados ou repensados. As equipas da sede, obrigadas a tele-trabalhar, organizaram-se da melhor forma para apoiar programas sociais em todo o Chile, o que por sua vez faz sobressair o melhor deles próprios para levarem a cabo a missão que lhes foi confiada.

Por tudo isto, queremos hoje apelar ainda mais à vossa generosidade, caros benfeitores, parceiros e colaboradores, para que possais continuar a apoiar este trabalho fundado há 37 anos pelo Pe. Hernán Alessandri e que, no meio deste novo desfio, quer continuar a acolher centenas de meninos e meninas e adolescentes em todo o Chile.

Que Deus os abençoe e que Maria os proteja durante este tempo.

“Chegou a hora do amor”.

Na página de Maria Ayuda lemos:

Estamos a viver a maior crise de saúde de que nos podemos lembrar. O mundo inteiro é atingido, o nosso país também, e, por conseguinte, a nossa querida Maria Ayuda também é atingida.  A nossa instituição não pode esquecer que estamos a cuidar de crianças e adolescentes com violações graves e que, por conseguinte, eles serão a nossa primeira preocupação. Sim, eles e elas, não nós.

Esta é a atitude que temos tido e a que devemos ter, utilizando todos os métodos de protecção e, portanto, continuar a acompanhar as nossas NNAs. Pertencemos a um grupo de pessoas e colaboradores que não podem desistir, assim como, os profissionais de saúde.

Não há dúvida de que estão a chegar tempos difíceis. Esta situação trará consequências económicas que afectarão as empresas e o mercado de trabalho. Há empresas que reduzirão o número dos seus trabalhadores, outras que baixarão os seus salários de forma solidária. Dependemos, em grande medida, da generosidade das pessoas e, se deixarem de contribuir, isso terá, sem dúvida, consequências para Maria Ayuda.

Apesar de tudo, não podemos deixar os nossos empregos e vamos continuar com a disposição que nos caracteriza, fazendo com que cada um de nós faça um esforço com o máximo de profissionalismo, que hoje é primordial para ultrapassar os tempos difíceis com a esperança colocada no melhor de cada um e em Deus e na Mater que na história sempre saíram vitoriosos sobre tudo o que ameaça a Humanidade. Corações ao alto, a hora do amor chegou.

 

Comentário da redacção: Não nos deixemos ficar no “temos de…”

Maria Ayuda, assim como outras obras sociais de Schoenstatt em países como Argentina, Paraguai e Brasil, fazem todo o possível para não abandonar as crianças e jovens a eles confiados, apesar das restrições da crise sanitária mundial.

Não esperemos por um plano global elaborado por alguma entidade central de crise. Não estejamos à espera da chamada vinda de cima. Não esperemos por uma ajuda perfeita cuja perfeição nos impeça de alguma vez fazer alguma coisa.

Não fiquemos pelo “temos de”, pelo famoso “alguém” que já vai fazer alguma coisa.

Todos podem sair em solidariedade, criatividade e generosidade para dar uma mão a Maria Ayuda. Agora. Antes que seja demasiado tarde.

Com donativos generosos e com a criatividade de angariar fundos entre amigos, empresários, outros schoenstatteanos?

Como ajudar (ES)

Faz um donativo (ES)

Como ouvi nestes dias, numa Homilia:

“Pode coroar-se Nossa Senhora uma e outra vez. Mas tirar-lhe-emos a coroa se não agirmos por amor e em solidariedade para com aqueles que sofrem.

Mais informação: www.mariaayuda.cl

Original: espanhol (21/4/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *