Galilea

Colocado em 2021-08-17 In Missões, obras de misericórdia

Galileia: o lugar do primeiro amor

ARGENTINA, Joaquín Morosi •

Convocados pelos Padres de Schoenstatt, um grupo de rapazes da Juventude Masculina (J M) de diferentes partes do país reuniu-se em Florencio Varela para participar na Missão da Galileia, um espaço de profunda espiritualidade e serviço aos outros. —

“Jesus disse-lhes: “Não tenhais medo. Vão agora e digam aos meus irmãos para irem para a Galileia. Aí me vereis”. (Mt 28,10). Este convite pessoal de Jesus Ressuscitado aos discípulos é o mesmo que 16 jovens da Juventude Masculina Nacional receberam no íntimo do seu coração para regressarem ao Seu encontro em duas dimensões: na oração e nos outros.

Florencio Varela foi o local escolhido para testemunhar este encontro durante 14 dias (de 18 de Julho a 1 de Agosto). É uma cidade do sul da Grande Buenos Aires, onde se encontra o Santuário Nacional (Novo Schoenstatt) e o Santuário Sion del Padre e a Casa Regional dos Padres de Schoenstatt na Argentina, a partir de onde a missão foi levada a cabo.

Galiela

Apoio escolar na Casa del Niño

Um bairro altamente vulnerável

Os bairros em redor do local onde estamos a trabalhar são muito vulneráveis socialmente, uma situação que tem sido exacerbada pela pandemia. O nível educacional, por exemplo, deteriorou-se devido à ausência de aulas durante mais de um ano, devido à pandemia. Quando entrámos em contacto com a comunidade, pudemos observar como os flagelos da marginalização atingiram muitas famílias.

Face a esta realidade, o apelo à acção teve a face da missão de voluntariado, como definição concreta, mas carregada de significados, se olharmos para além do título. Com o passar dos dias, a interpretação etimológica deste apelo à acção assumiu um significado individual e intransferível para cada um de nós.

Galilea

Cozinhando na cozinha popular da Igreja Paroquial de San Pantaleón

Um encontro com realidades difíceis

Durante os longos dias de trabalho, o encontro com Jesus teve lugar através das pessoas e das suas histórias. Os pontos que reuniram a passagem à acção foram: a Casa del Niño “Padre José Kentenich”, um lar diurno onde meninos e meninas dos 3 aos 13 anos de idade são abrigados, acompanhados e motivados; o centro de desenvolvimento humano “La Nazarena“, forjado pelas Irmãs de Maria para responder às necessidades educativas, sanitárias e laborais de jovens e adultos; o Clube Social e Desportivo João Paulo II; a paróquia de San Pantaleón e a sopa dos pobres que funcionam em diferentes sectores do bairro, dependendo do dia da semana. Além disso, as visitas às casas e o passeio pelas ruas de Varela foram um aspecto vital desta experiência, um reflexo claro das duras realidades enfrentadas com enorme força. Isto é claro pelos muitos testemunhos que recebemos quando batemos às portas das casas, onde a chamada foi redirigida para o interior dos nossos corações.

O apoio escolar e o estímulo das crianças através dos jogos, as mãos postas ao serviço, a vinculação com os jovens, a catequese para crianças e adultos, o trabalho na horta, o futebol, o voleibol ou o hóquei, as conversas e a partilha de cada momento, são os meios que, em cada lugar que fomos, deram vida à Galileia na qual Jesus queria estar presente.

A dimensão orante desta experiência deu o ímpeto e o apoio para cada dia. Laudes ao despertar, meditações e Adoração antes de se iniciar um novo dia de trabalho, o envio antes das actividades da noite e a partilha no final do dia, juntamente com um novo cara a cara com Jesus no Santíssimo Sacramento, foram os momentos de encontro na oração.

A experiência foi intensa nos seus ritmos e emoções, uma vez que foi vivida à luz da apreciação e contemplação da vida quotidiana. O Padre Kentenich compreendeu que: “O mais importante é encontrar Deus, de novo, na vida quotidiana, e relacionar todas as pequenas coisas do dia com Ele. É aí que Jesus Se manifesta permanentemente, onde Ele nos desafia a não perdermos a nossa capacidade de maravilhamento e onde Ele nos desafia a ver, a ser comovido, a aproximar-se, a curar e a cuidar, seguindo o exemplo do Bom Samaritano”.

Galilea

Trabalho de reciclagem em La Nazarena

Como fazer para permanecer na Galileia?

Os ecos da Galileia continuam a ressoar nos missionários, missionados e organizadores. Entre tantos pensamentos que circulam no coração, diferentes de acordo com cada pessoa, há um que perturba e mobiliza todos igualmente: como podemos permanecer na Galileia? Em 27 de Abril de 1952, durante a sua estadia no país, o Padre Kentenich formulou o seguinte: “O que é a fidelidade? É manter puro, vigoroso e para sempre o primeiro amor”. Se concebermos a Galileia como um modo de vida e reconhecermos que é o lugar onde tudo começou, podemos tomar a mensagem do Pai e Fundador como uma chave para perdurarmos nesse primeiro amor.

Testemunhos de missionários

Na Galileia pude viver plenamente o amor de Jesus e Maria. Ali, o centro do amor era o serviço e a dedicação aos outros. Em termos gerais, encontrei a verdadeira e pura felicidade em dar, não em receber. Jesus manifestou-Se no povo missionário, nas crianças e adolescentes, aos quais demos apoio escolar, moral e espiritual.

Florencio Varela foi a minha casa durante duas semanas, as melhores duas semanas da minha vida. Vivi momentos fortes de espiritualidade e comunidade. A Galileia para mim foi uma escola de oração e dedicação.

Pedro Marcón – JM de Córdoba

Galilea

Visitas às Casas com a Mãe Peregrina

Vim para o voluntariado e para a missão sem ter clareza sobre o que ia fazer, ou o que a Galileia significava para mim. Talvez estivess-se, sem convicção, à procura de sair da minha rotina e recarregar as baterias durante a segunda metade do ano, ou talvez quisesse retirar-me para passar coisas pelo meu coração.

Durante os primeiros dias, a realidade de Varela passou-me ao lado. Desde que optemos por ver as coisas de um ponto de vista crente, há sempre a oportunidade de fazer algo pelos outros. Assim, percebi que o olhar de Jesus é basicamente uma mudança de perspectiva, é olhar de outro lugar a fim de entrar em comunhão com aqueles que mais precisam. Penso em Zaqueu, que procurava Jesus do alto de uma árvore, mas Ele, com os pés literalmente no chão, já o tinha encontrado e pediu-lhe que descesse para o levar para Sua casa. Ali pude entrar na Galileia de Jesus, um lugar do quotidiano onde acontecem coisas extraordinárias. Sou muitas vezes como Zaqueu, não só porque sou de baixa estatura, mas também porque procuro Jesus nas alturas. Sou também como Tomé, que não acredita ter o Cristo Ressuscitado cara a cara até ver as feridas nas Suas mãos e os buracos dos pregos.

A Galileia convidou-me a mudar a minha perspectiva. A questão já não é onde posso dar a conhecer Jesus, mas onde já está Jesus ? Nas palavras do Papa Francisco: “Onde é que Jesus me dá o meu primeiro encontro com Ele? Tudo isso é a Galileia. É viver o Evangelho na sua própria vida. É experimentar que é a Palavra de Deus e não uma história infantil. “O reino de Deus não está nem aqui nem lá, mas está no vosso meio” (Lc 17,20-21). Neste sentido, a Galileia não só expressa o lugar onde Jesus esteve diariamente, mas é uma realidade na minha própria pessoa. Indo um passo além, é o lugar onde Jesus me encontrou pela primeira vez, é o meu primeiro amor, é aquele primeiro ardor que nunca deixou o meu coração. É o lugar onde Deus revela o seu mistério na vida quotidiana. A partir do primeiro encontro, o desafio é ver a tua história e tudo o que aconteceu depois na tua vida com os olhos do Ressuscitado. Cientes de que Deus nos chama permanente e gratuitamente, ou seja, não temos nenhum mérito por tal convite, devemos cultivar um coração agradecido.

Com um coração agradecido ligo-me à minha história, entrei gratuitamente em Schoenstatt, conheci a Juventude Masculina, o Santuário e a Mãe. Percebo que não tive qualquer mérito em entrar no caminho da fé. Certamente e graças a Deus, está na liberdade do Homem o avançar numa ou noutra direcção . Tens de pôr os teus talentos à tua disposição e tens de arriscar pelo que Deus te deu. Creio que para permanecer na Galileia é fundamental não tomar as coisas como certas, como disse o Padre Kentenich: “Ser filho da Providência significa estar convencido de que cada situação, alegria, sofrimento, desilusão… é uma parte essencial do plano da omnipotência, sabedoria e amor de Deus”.

Juan Manuel Ozcoidi – JM de Mendoza

Galilea

Missa no bairro na Novena de preparação para a festa patronal da Paroquia San Pantaleón


Fonte: www.schoenstatt.org.ar – con permiso

Fotos: Gaby Sarquis


Para colaborar com La Casa del Niño Padre José Kentenich
Conta Bancária na Argentina
Nome: Casa del Nino Padre José Kentenich
Conta: 4002-500061/0 CBU: 01400021-01400202698121
Banco: Banco de la Provincia de Buenos Aires
Swift: PRBAARBA
[email protected] (para WiseTransfer etc.)

Conta Bancária na Alemanha (Zona SEPA)
Nome: Schoenstatt-Patres International
IBAN: DE22 4006 0265 0003 1616 07
BIC: GENODEM1DKM
Transferência ao cuidado de: Casa del Niño PJK

Original: espanhol (15/8/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *