Colocado em 14. Junho 2017 In Missões

“ITE MISA EST” – Missões familiares em San Martín, Guanacaste, Costa Rica

COSTA RICA, Margarita Morera de Escorriola •

“ITE MISA EST” (Ide agora, eu os envio) foram as últimas palavras do Padre José Kentenich a sua Família de Schoenstatt depois de celebrar sua última missa na Igreja da Adoração no monte Schoenstatt em 15 de setembro de 1968.

Fiéis a este envio do Pai Fundador, nesta Semana Santa, um grupo de famílias e jovens de Schoenstatt Costa Rica, colocaram-se a serviço da Igreja e com espírito missioneiro saíram ao encontro do outro para acompanhar a Jesus em seu calvário, Paixão e Ressurreição.

A presença da Mãe cresce em San Martín

San Martín é um povoado costeiro situado em Guanacaste, Costa Rica, cuja população é de recursos econômicos limitados e com problemas de desunião familiar, desesperança e uma fé morna.

Existe uma capela porém nesta época, o pároco sacerdote não pode atender as atividades próprias da Semana Santa. Portanto, os missioneiros schoenstattianos ajudam os laicos comprometidos da comunidade a organizar serviços, procissões, liturgia da Palavra. Também missionam pelas ruas, visitam doentes e idosos, compartilham com famílias e organizam atividades para jovens e crianças.

Este é o terceiro ano que a Família Missioneira de Schoenstatt visita esta comunidade. Os frutos já são evidentes. Nesta Missão 2017, puderam comprovar a ação missioneira da Mãe a este povo, que já conta com 3 Aliados, 50 famílias que recebem a Mãe Rainha, a Mãe está entronada na Capela, e celebram a renovação da Aliança dia 18 de cada mês em sua comunidade.

Missão externa

Este ano, a Família Missioneira de Schoenstatt saiu ao encontro desta comunidade, do recém abençoado Santuário Família de Esperança com a  confiança de fazer realidade o lema da missão: “Maria, Rainha, Esperança para San Martín”.

Durante a Semana Santa, o grupo missioneiro recebeu na Capela as crianças da comunidade, realizaram atividades, leram e comentaram o Evangelho e compartilharam jogos. Foi uma linda oportunidade para as crianças missioneiras compartilhar com as crianças da comunidade e juntos experimentaram a alegria de serem todos filhos de Deus.

Na quarta-feira se organizou uma fogueira frente ao mar para os jovens. Nesta fogueira denominada “Há fogo em Ti”, os jovens em missão compartilharam com os jovens de San Martín canções, testemunhos da vida dos santos, e juntos chegaram a conclusão de que ao ter Jesus e Maria em seus corações, possuem fogo que podem compartilhar.

A partir da quarta-feira Santa, junto a imagem da Mãe Rainha, visitaram os doentes, idosos e as casas das famílias. Chegaram com grande alegria e confiança de que Maria é a grande missionária, Ela fará milagres.

Nesses encontros, puderam experimentar a presença da Mãe no coração aberto de quem abre sua casa e no coração generoso de quem visita; na sede de amor de quem se encontra cansado, no coração agradecido de quem reconhece a benção, nas lágrimas de alegria ou de tristeza que derramam alguns na oração e canto que compartilham.

Os missioneiros, em cada visita, experimentaram que ao encontrar-se com o outro, junto a Mãe, realmente se sente a infinita Misericórdia de Deus, e é assim, como ocorre a “magia” de converter-se em “Missioneiro Missionado”, e ao entregar se recebe mais em troca.

 

Missão interna

Durante a missão, os missioneiros também experimentaram grandes milagres de transformação. Viveram a Semana Santa, servindo, meditando, rezando, cantando, acompanhando de muitas maneiras Jesus na cruz.

Pais, filhos, jovens, crianças compartilharam a alegria de servir. Iniciavam e finalizavam seu dia com a oração compartilhada, comentavam o Evangelho, repartiam as tarefas de limpeza e alimentação. Transformaram-se em uma grande família onde cada um dá o melhor de si aos outros.

Nesta missão, contribuíram muito para o Capital de Graças, que representaram com uma coroa de espinhos, semelhante a coroa de nosso Rei, forte e humilde coroado de espinhos.

Estes espinhos, embora foram espinhos de amor, machucaram Jesus e sua Mãe. Nos dias de missão, por meio dos esforços e atos de amor, os missioneiros foram trocando os espinhos por flores. Ao final da missão, entregaram a Maria e a Jesus uma coroa cheia de flores, para merecer tal ato de amor, de morrer na cruz por nós.

Dentro da missão se vivem experiências intensas de fé. Na sexta-feira Santa, os missioneiros peregrinaram ao alto de um monte, rezaram, cantaram, adoraram a Cruz e pediram misericórdia para seus familiares e amigos que levam uma cruz física ou mental.

Compartilharam as tarefas diárias de limpeza, lavar os pratos, varrer, até o mais sobrenatural na oração, com a riqueza de descobrir no outro o amor de Deus e de aprender com os demais.

Maria, Rainha, realmente é a esperança de San Martín

Ao finalizar a missão, o grupo se despediu da comunidade com gratidão no seu coração, confiantes de que “Maria Rainha é a esperança de San Martín”, porque a esperança brotou de cada sorriso e abraço entregado, porque o coração se incendiou de amor em cada missioneiro.

Todos regressaram a sua vida cotidiana com a satisfação de ter dado seu sim, de ser fiel as palavras do pai Fundador: “Ide agora eu os envio”. “COM MARIA, COM ESPERANÇA E ALEGRIA E CONFIANTE NA VITÓRIA VAMOS PARA OS MAIS NOVOS TEMPOS” – P. José Kentenich

 

Original: Espanhol, 14.05.2017. Tradução: João Pozzobon, Santa Maria, Brasil

Etiquetas: , ,