Colocado em 17. Maio 2019 In Campanha

Eu nunca mais vou rezar para Maria …

ARGENTINA, Tita e Héctor Ríos, Lilian Leguizamón •

A cidade de Reconquista fica a cerca de 350 km desde  Paraná. É um importante centro industrial no norte de Santa Fé, cercado por extensos campos agrícolas e pecuários. Lá, aconteceu a bênção da ermida da Virgem de Schoenstatt foi celebrada em abril de 2019. Iniciativa que nasceu, com muito esforço, da Campanha do Rosário da Mãe Peregrina de Schoenstatt.

Reconquista

A dirigente da Campanha do Rosário da Reconquista conta a história de Schoenstatt nesta cidade, que – como tantas vezes – é a história da concretização de uma missão de vida.

Sou Lilian Leguizamón, da cidade de Reconquista. Em 7 de dezembro de 2007, fui operada por câncer de mama. Em janeiro de 2008 tive que iniciar a quimioterapia e acontece que a médica de Reconquista mudou o tratamento indicado pelo médico de Rosário, que foi quem me operou. Então, as drogas que me haviam receitado não chegavam. Enquanto espera, meu marido e minhas filhas decidiram me levar de férias no mês de janeiro.

 

Reconquista

Lilian Leguizamón com o marido, Ricardo Maglione

“Nós vamos rezar por você todos os dias.”

No hotel em que estávamos hospedados, os proprietários me disseram: “Senhora, qual é o seu problema? Tem um olhar triste “. Então eu disse a eles o que eu estava vivendo. Ele e sua esposa me disseram: “nós vamos rezar por você todos os dias”. E durante a minha estadia, eles se aproximaram, conversaram e me deixavam material para ler. Eles eram evangélicos.

O meu marido, me disse, muito sabiamente, não se envolver porque somos católicos e trabalhamos sempre para o serviço da nossa comunidade, catequistas, pais, coordenadores de pais de catequese, brindábamos palestras para jovens Mallin, preparação para futuros matrimonios … enfim, muito comprometido.

Quando eles se despediram, eles me convidaram para realizar um ritual e se juntar à comunidade evangélica e também me deram uma lista com endereços e nomes de pastores da minha cidade. Eles esperaram por uma resposta e quando eu disse não, já que somos católicos e muito comprometidos. Ele respondeu: “Não reze àquela que vocês dizem Virgem, porque não é … e me deram alguns exemplos para mostrar o que eles estavam dizendo”. Eu não respondi. Entrei no carro sem dizer nada ao meu marido e filhas. Eu disse para mim mesma: nunca mais rezarei a Maria, só rezarei a Jesus Cristo. Assim, iniciamos o retorno para casa.

Sozinha em um hotel, a 320 km da minha família

Durante a viagem, o médico, que é muito conhecido nosso, liga para o meu celular e pergunta como vai o tratamento, ao qual respondo que ele não tinha começado já que os remédios não chegaram. Ele ficou muito irritado e disse: “Mas já faz mais de um mês que eu operei você, você deveria ter começado há pelo menos vinte dias. Você tem que vir  já para Rosário “Assim como estávamos, tomamos outro rumo, em direção a Rosário. Quando ele me vê, ele decide fazer quimioterapia e tratamento de raios na cidade de Santa Fé, a 320 km da minha cidade de Reconquista. Foi assim que fiquei lá sozinha em um hotel. Foi a primeira vez que me separava do meu marido e filhas, a mais velha de 23 anos e a outra de 13 anos. Nós sempre andamos juntos. Grande foi a dor por separa-nos e ficar sozinha em uma cidade onde eu não conhecia ninguém. Eu me sentia muito desanimada. Comecei o tratamento e um dia, em fevereiro de 2008, andando pelo calçadão, olhando as lojas de Santa Fé, notei um pequeno anel que estava na vitrine de uma loja chamada MARÍA PAZ. Eu entro e a atendente diz; “Você é minha xará.” Perguntei se ela se chamava Lilian e ela responde: “Não. Eu digo por isso “apontando para as marcas onde eles fizeram os raios e me diz que ela também teve câncer de mama. Nós conversamos e eu perguntei como ela fez para estar tão bem e ela responde “já vou te dizer”. Depois de conversar, ela me pergunta de onde eu era e digo que sou de Reconquista e ela me diz que gosta muito das pessoas do norte porque o marido dela é de uma cidade vizinha, Malabrigo, onde tem uma família conhecida. Então ele me escreveu em um pedaço de papel: “Jesus, Maria e José, suas mãos primeiro, os raios depois “ . Então desde esse dia, começou uma amizade e todos os dias ela me buscava no hotel e nós compartilhávamos longas conversas. Um dia ela me deu uma sacola de papel e disse: “Abra quando chegar ao hotel”.

A Virgem Maria veio me visitar

Que surpresa quando abri o pacote e vejo que a Virgem Maria e seu filho Jesus em seus braços! Chorei muito. Eu tinha dito “Eu nunca mais vou rezar para a Virgem” e naquele momento uma passagem bíblica foi cumprida: quando Maria e José voltaram para procurar seu Filho que estava perdido por três dias. Este foi o começo de uma nova vida junto com a Virgem Maria. Eu sempre a levava comigo, não queria mais deixar-la! Adriana, a mulher que me emprestou a imagem da Virgem, me levou pela mão a todas as reuniões e a visitar o santuário de Paraná, rezamos o terço em todos os encontros com as Irmãs de Maria ou com sacerdotes schoenstatteanos. Lá estava eu ​​… vivia com um raro sentimento de felicidade e alegria com o que acontecia na minha vida espiritual e, por outro lado, meu tratamento de raios diários e quimios a cada 21 dias. Assim passaram 8 meses…

Começo a peregrinação de Maria para Reconquista

Volto para minha cidade e converso com meu marido e lhe digo: “Vou falar com o padre para contar o que aconteceu e também perguntarei se posso divulgar essa imagem na cidade  que não a  conhecem e começar a peregrinar”. O padre que me recebeu na catedral, padre Carlos Degiusti, (onde fazíamos diferentes serviços), ouviu-me e não disse nada. Depois de um silêncio, ele responde: “Vá em frente, tudo soma”. Então eu comecei a fazer minha missão com a Mãe Peregrina e começamos a contatar outras pessoas da diocese que a conheciam, envolvendo-me até os ossos.

Preparei-me em Santa Fé. Aquela comunidade do Santuário de La Loma, no Paraná, formou-me, embalou-me e batizou-me. Então, ao lado da irmã Sofia, comecei a preparar-me para minha Aliança de Amor, viajei a cada 15 dias até a última palestra, na qual o palestrante era o Padre Guillermo Carmona. Finalmente, fiz minha aliança em 20 de julho de 2009 e naquele dia eu prometi à Mãe Rainha “para mostrar a ela com ações que eu a amo” e faria isso levando-a  a todos aqueles que precisavam dela. Portanto, considerei que deveria permitir que outros desfrutassem dessa alegria interior que a Santíssima Virgem me deu e me dá.

 

Uma ermida depois de 11 anos

Devo agradecer a generosidade da família schoenstattiana de Santa Fé e Paraná que me brindaram a possibilidade de preparar-me espiritualmente para assim multiplicar e dar todo a minha amada comunidade. Viajei para encontrar os peregrinos santafesinos, a Nueva Helvecia (Uruguay) e a Santa Maria, Brasil, eles me presentearam a Auxiliar que hoje esta entronizada na Ermida de Reconquista. Passaram 11 anos, mas a Virgem Peregrina se instalo aqui.

Também quero destacar a consciência de família das pessoas de Paraná, que nos convida a todas as reuniões possíveis para que possamos viajar para lá para nos preparar mais. Muitas vezes eles vieram à nossa cidade para nos acompanhar e fazer palestras sobre temas da espiritualidade de Schoenstatt para nossos missionários e missionários e o público em geral.

Isso me levou a comprometer-me muito. Fui eleita dirigente diocesana. Hoje estamos reconhecidos como movimento diocesano através de um decreto. Somos 72 missionários em toda a diocese e desde 2010 até hoje, levantamos quatro ermidas e mais duas em construção.

Para chegar a ter esta ermida em Reconquista, abençoada há alguns dias atrás, custou muito. Em 2011, um pároco, Dante Braida – Hoje Bispo de La Rioja pedimos a Prefeitura um terreno,  em um parque de acesso ao cemitério municipal de Reconquista, mas não nos deram. Demorou muitos anos e os vários bispos: Ramón Angel Duss e, em seguida, José Macin sempre nos apoiaram e, juntos, procurávamos um lugar, andando de carro, tomando mate e conversando sobre diferentes assuntos, até que encontramos um terreno em uma área bastante remota. Não era do nosso agrado, mas eles nos deram um com um decreto aprovado pela Câmara Municipal. Mas essas coisas inexplicáveis ​​da Mãe Santíssima, fez com um irmão meu, Alberto, muito devoto à Virgem Maria, afirmava que o lugar Dela era o parque do cemitério, então, começou a conversar com seu amigo Guillermo González Davis e convenceram ao atual Prefeito Enrique Vallejos, para que assinasse um novo decreto.

 

Obrigado Adriana Penno de Pinatti 

Agora nós temos dois terrenos! Já construímos uma ermida para que as pessoas de Reconquista peregrinem até lá e agora, se Deus e a Santíssima Virgem permitirem, vamos para a construção da segunda, para Reconquista já que as pessoas do bairro, onde já peregrinamos com a Virgem a espera.

Quero agradecer o apoio permanente de todos os dirigentes nacionais e das várias cidades que abrem suas portas para nos receber e encorajar para continuar nossa missão … Santa Fé, Paraná, Corrientes, Resistencia, Oberá, Florencio Varela …. Obrigado!

Obrigada, Adriana Penno de Pinatti, pelo seu gesto tão amoroso e hoje, que você não está mais entre nós, rezo e peço a Deus que brilhe a luz eterna para você, querida irmã de coração. Você foi uma excelente pessoa e instrumento da Virgem Maria.

Estou muito feliz com a minha nova missão: levar a Santíssima Virgem aos irmãos mais necessitados, às famílias, para que reine a paz e a harmonia em todos e em cada lar que visitar.

 

Video: Héctor Ríos

Original: Espanhol. 5 de Maio 2019. Tradução: Glaucia Ramirez, Ciudad del Este, Paraguai

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *