Carlos Cox schoenstatt.org

Colocado em 2020-06-27 In Aliança solidária, Projetos

“Pequenos impulsos para tempos de Coronavírus”

CHILE, Entrevista ao Pe. Carlos Cox Diaz, por Claudia Echenique e María Fischer •

“Maria, não sei se estás a receber as cápsulas do Pe Carlos Não falei com ele sobre isso, mas pensei que talvez pudessem ser incluídas, de alguma forma, em schoenstatt.org para lhe dar mais publicidade (talvez se possa pensar numa forma), uma vez que são realmente fantásticos”, comentou o nosso colunista, Ignacio Serrano del Pozo, no fim-de-semana passado. Tive de admitir que sabia desta oferta digital do Pe. Carlos Cox sob a forma de vídeos curtos, mas que – saturada de tantas coisas piedosas (para não dizer kitsch)  mil vezes enviadas  nas redes – não tinha tido tempo para olhar sequer para um. Quando recebi cerca de três de Ignacio Serrano e os observei, decidi ir em frente com a proposta e contactar o Pe. Carlos Cox. São, de facto, impulsos de fé para estes tempos de angústia e nervosismo.—

“Veja um, não dura mais do que 2 minutos e inclui bênção. Quando acordo vejo”, recomendou-me Ignacio. Dia após dia, o Pe. Carlos Cox publica um video-impulso no seu canal YouTube e também o envia para vários grupos WhatsApp. Cada vídeo de 90 segundos requer quase uma hora de produção para rezar, pensar, escrever, montar, gravar e desmontar, mais tempo para editar o vídeo, o que é feito por Beatriz Letelier, uma colaboradora do Pe. Carlos.

Histórias de vida em 90 segundos

Fernando Besser, do Chile, já recebe as mensagens em vídeo do Pe. Carlos:

“Eu valorizo especialmente:

  • Que é uma voz de esperança e fé de que todos precisamos tanto, especialmente agora que tudo está confuso, agora que temos medo de adoecer e morrer, agora que a Era mudou e tudo renasce de uma forma colaborativa, ecológica e tecnológica; é um grito de esperança que ilumina da vida.
  • Têm o ritmo do tempo, nunca mais de 90 segundos; ninguém consegue deixá-lo passar e todos querem ouvi-lo porque é tão breve.
  • Segue o modelo moderno de histórias de vida curtas e encoraja as pessoas a olhar para ele com entusiasmo; uma ideia de cada vez.
  • Culminam com a bênção sacerdotal de que tanto precisamos.

Já estão a carregá-los na página do Facebook da Pastoral Familiar na Cidade do México. David Miranda fá-lo na Bolívia. Tento usar uma linguagem que seja o menos chilena possível“, é a primeira resposta do Pe. Carlos Cox quando questionado sobre os seus vídeos: “Também tento falar da vida, capturar um ‘processo da vida‘, e não necessariamente tocar em ‘assuntos correntes’, porque, por vezes, são manipulados, na linha dos trendtopics, que aparecem e desaparecem”

Já estamos em plena entrevista…

 

P. Carlos Cox Diaz

Pe. Carlos Cox Diaz

 Padre Carlos, como surgiu a ideia?

Los videos del P. Carlos Cox Diaz, ahora también en schoenstatt.org

Os vídeos do Padre Carlos Cox Diaz, agora também em schoenstatt.org

Quando começou a quarentena, percebi o ambiente negativo e difícil que estava a ser gerado. As notícias eram alarmantes; muitos não sabiam como viver em confinamento; outros pensavam que se tinha de suportar “até que tudo voltasse a ser como era”. Daí surgiu a ideia de criar estes “pequenos impulsos para os tempos do Coronavírus”, como eu os chamava. Pouco depois de os partilhar, muitos baptizaram-nos “pequenas pílulas para a fé”.

Como princípio básico, assumi a escola do Pe. Kentenich: “Quanto maior a dificuldade externa, maior o crescimento interno”, maior animação, para ter vida que contrarie os problemas que enfrentamos.

Quando fiz a primeira gravação com o meu IPhone 5, descobri que apenas 90 segundos podem ser gravados. Esse é o limite de tempo.

Trazia como experiência anterior os 15 anos em que gravei alguns programas, uma vez por semana, para o Canal 13, em Santiago, chamado Missão 13, que duravam mais ou menos o mesmo. Eram transmitidos no final do programa, aproximadamente à 1 h 30 da manhã e chegavam a 180.000 pessoas mais ou menos. Inacreditável!

Durante este tempo, fui afinando a forma de o fazer, também na escola do Pe. Kentenich, tal como o recebi do Pe. Tillman Beller.

Normalmente, parto de um acontecimento da vida real, e não necessariamente contingente. Procuro tocar um processo de vida, uma emoção, uma história (observar/Beobachten); depois, iluminar a partir da fé e da Palavra de Deus, ou da vida de alguma pessoa notável (um santo, o Padre Kentenich, Viktor Frankl…), para abordar um encontro pessoal com Deus, com o Senhor e a Virgem (comparar/Vergleichen). Aí, o núcleo a ser transmitido numa frase curta, impactante e certa deve ser dado… (palavra, verdade, valor/Wort, Wahrheit, Wert). Isto procura tocar o centro da pessoa, de modo a convidá-la, em liberdade, a dar uma resposta na vida quotidiana (aplicar/Anwenden).

Fazer tudo isto em 90″ não é fácil. Vou até à capela para o fazer. Já o faço há 15 anos, quando comecei no canal. Rezo ao Espírito Santo e começo a meditar. Que questões vitais se estão a colocar? Quando leio ou vejo algo interessante, escrevo essa ideia, essa frase, e por isso vou “amassando” lentamente o impulso. Por vezes acordo à noite com um impulso; levanto-me, escrevo num pedaço de papel e volto a dormir. Tudo isto me ajuda a experimentar que há muito do Espírito Santo nisto.

Uma vez, uma pessoa muito próxima de mim perguntou-me: “Quem lhe escreve o texto? Eu disse: “Olha, para o escritor, aquele que prepara o ‘set de gravação’ (um quarto em casa) e o locutor são a mesma pessoa”.

Como selecciona os temas?

Ultimamente tenho procurado gerar ciclos, há cerca de uma semana. Por exemplo, um foi sobre como escrever aquilo a que o nosso Fundador chamou o “romance da vida”; outro foi sobre “Como ter hábitos em casa para ter um ritmo nesta época”, que era uma espécie de “ora et labora”; mais uma vez, foi uma novena para preparar o Pentecostes, agora, algumas “dicas” para serem pais (na proximidade do dia “comercial” do Pai).

Como é que os divulga?

Aqui há uma ajuda super importante, Beatrice Letelier. Ela trabalha comigo há muito tempo, é secretária e assistente. Agora faz de “produtora” e ajuda na distribuição. Eu envio-lhe a gravação, ela edita-a. Se lhe ocorrer a ideia de procurar e inserir uma fotografia, falamos sobre isso, bem como sobre a frase do título do vídeo. Estamos, de momento, a fazer experiências com a música. Beatriz tem uma lista de correio através do WhatsApp, e eu tenho outras. A Pastoral Familiar na Cidade do México pediu para a utilizar. Fazem-no através do Facebook. David Miranda planeia fazê-lo na Bolívia; o Pe. Rafael pediu-me permissão para o carregar para o Schoenstatt Vivo, e muitas pessoas dizem-me que o enviam para os seus amigos e contactos. Desde há uma semana, foi criado um canal pessoal no YouTube e a Beatriz está a carregar primeiro os vídeos mais actuais e, pouco a pouco, os anteriores (tenho mais de 90 vídeos gravados).

Como vê, é tudo muito “artesanal”. Penso que tem uma frescura e um cheiro de autenticidade, de ser “muito caseiro”. Penso que isso tem o seu valor.

Muito obrigado pelas vossas perguntas, que me ajudam a explicar e partilhar uma experiência que tenho vindo a amadurecer e a desenvolver desde 2004.

Pensei nisso como uma contribuição para este momento. O meu horizonte era o Pentecostes e oferecê-lo à Mater para a Sua coroação no dia 31 de Maio em Bellavista, mas várias vozes encorajaram-me a continuar.

Envio-os todas as manhãs da capela da casa com uma bênção. E estou impressionado, que quando por alguma razão estou atrasado, começo a receber e-mails a perguntar o que me aconteceu, se estou doente, etc.

Tenho o prazer de partilhar estes impulsos com os leitores e seguidores de schoenstatt.org.

 

Canal de Youtube do Pe. Carlos Cox Diaz

Podem encontrar os vídeos, enquanto a pandemia perdurar, em schoenstatt.org, na barra lateral (lado direito) por baixo dos botões, en schoenstatt.org/es.

Original: espanhol (23/6/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *