Posted On 2013-12-08 In Aliança solidária

Em Aliança Solidária… com Schoenstatt, em La Plata

ARGENTINA, Pe. Javier Arteaga/aica/mda. Com a participação de várias centenas de fiéis, o Bispo Auxiliar de La Plata, D. Nicolás Baisi, presidiu, na noite de sexta-feira, 22 de novembro, dia em que se faz memória de Santa Cecília, virgem e mártir, uma Santa Missa em desagravo pela profanação da Imagem da Virgem Maria, no Santuário de Schoenstatt, localizado na rua Papa Francisco (53) e 15.

Antes da bênção final, esteve presente também o Arcebispo de La Plata, D. Héctor Aguer, que dirigiu aos presentes, a maioria membros do Movimento de Schoenstatt, palavras de consolo, ao mesmo tempo que pediu pela “conversão dos autores da profanação”.

No momento da homilia, D. Baisi, com quem concelebraram muitos sacerdotes diocesanos e de Schoenstatt, fazendo referência à Primeira Leitura (do Livro dos Macabeus) disse que “como os Macabeus, depois da profanação grega do templo de Jerusalém, viemos para purificar o Templo e pedimos ao Senhor que tenha piedade das pessoas que atacaram sua própria Mãe e lhes dê a graça da conversão. Pedimos também por nós mesmos, para que possamos nos purificar cada vez mais, por meio de uma vida santa”.

Seguindo, comentou o Evangelho do dia, a passagem na qual Jesus, do Templo, vê os mercadores; o prelado advertiu que “o chicote de Jesus é, também, uma grande advertência. Muitas vezes podemos correr o risco de profanar, com nossas ações, o Templo. Devemos, portanto, ser vigilantes e prestar o verdadeiro culto ao Senhor”.

Continuemos trabalhando e anunciando o Reino do Senhor

Em sua carta ao Movimento de Schoenstatt, Pe. Javier Arteaga, Diretor do Movimento, assim escreve:

Com profunda dor e pesar recebemos ontem a notícia do agravo à Imagem da Virgem Maria, colocada na entrada do jardim do Santuário de Schoenstatt em La Plata.

Quase um mês atrás, foram arrancadas algumas cruzes da Via Sacra e jogadas nas alamedas; nessa mesma ocasião, retorceram a coroa da Virgem Maria. Semanas mais tarde, cortaram as mãos da estátua da Virgem que fica na entrada do Santuário; ontem voltaram a quebrar as mãos que tinham sido consertadas e quebraram a pequena cabeça.

Não sabemos quem está repetindo esses atos repudiáveis e quais os motivos que levam essas pessoas a os cometerem; porém, praticaram uma crueldade maior com a pequena cabeça e com as mãos da Virgem, mãos ternas de mãe, mãos que cuidam de nós, curam nossas feridas e acariciam a vida de cada um de nós.

É muito doloroso para nós esse agravo à cruz do Senhor e à Imagem da Santíssima Virgem, Mãe de Deus e nossa Mãe. É muito dolorosa para nós, também, a falta de respeito a todos os que vêm a este Santuário todos os movidos, movidos por sua fé. Não é apenas uma falta de respeito e violência contra a comunidade católica, mas também contra todas as mulheres e homens de boa vontade que, não importando a crença, trabalham pela paz e pela concórdia em nossa terra.

Infelizmente esse é um ato a mais de tantos outros cheio de intolerância religiosa, perpetuado nos últimos tempos em nossa Pátria. O desencontro e violência são bastante incentivados em muitas mentes e corações. Porém, não percamos o dom da paz que sempre tem dado serenidade e perseverança à Igreja, mesmo em meio às dores. Todos os dias, rezamos o Pai Nosso, pedindo a Deus Pai que perdoe nossas ofensas, assim como perdoamos os que nos têm ofendido. Por isso, no momento, três coisas são importantes:

–         peçamos por esse ou esses irmãos, para que o bom Deus lhes conceda a saúde da alma e da paz,

–         peçamos pelo bem, pela paz e pela justiça tão esperados em nossa Pátria e no mundo todo,

–         e continuemos trabalhando e anunciando o Reino do Senhor, unidos a Maria, incentivando o diálogo, a solidariedade fraterna e a reconciliação, propiciando a cultura da Aliança e do encontro, como nos pede o Papa Francisco.

A Imagem de Maria será restaurada e continuará nos recebendo na entrada do jardim e o Santuário, como lugar de encontro, continuará aberto para receber todos os homens e mulheres que busquem a paz e o bem do Senhor.

Do Santuário da Santíssima Virgem, a todos: minhas cordiais saudações e bênção.

Pe. José Javier Arteaga

 

Original em espanhol – Tradução: Maria Rita Fanelli Vianna – São Paulo / Brasil

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *