bolsas de caridad

Colocado em 2022-09-16 In obras de misericórdia, Projetos, Schoenstatt em saída

Uma vez mais: os sacos de caridade no Santuário de Quito

EQUADOR, María Fischer •

Na verdade, são peregrinos, fazem parte do Movimento Popular de Schoenstatt. Eles vêm ao Santuário (pelo menos) uma vez por mês ou talvez mais, alguns vêm mesmo todos os Domingos. Procuram um encontro com Deus, com Maria, Mãe das graças e “mãe do pão”, como o Pe. José Kentenich A chamou no campo de concentração de Dachau. Aí salientou, numa época de fome, que Ela, como mãe, não só cuida do bem-estar espiritual dos Seus filhos, mas também das suas necessidades físicas. Alimenta os Seus filhos que passam fome, dá-lhes um lar e justiça. Falamos sobre as famílias que mais uma vez vieram ao Santuário, em Setembro, para receber os sacos de caridade.

“Caros irmãos e irmãs, este é o armazém onde organizamos os sacos de caridade e todos os meses se enche de comida, mas também de esperança para muitas pessoas. É por isso que vos pedimos que continuem a ajudar-nos, que Deus esteja no vosso coração e que Ele vos abençoe”, explica o Pe. Rafael Amaya, a força motriz por detrás deste projecto, no vídeo que foi transmitido após a entrega em Setembro.

bolsas de caridad

“Vamos fazê-lo com muito amor para que as pessoas se sintam amadas”

A fila de pessoas que se aproximava do Santuário na quarta-feira passada parecia eterna. As pessoas aproximam-se com pressa, mas de forma ordeira, com rostos cheios de esperança.

“Hoje, quarta-feira, estamos na entrada do Santuário e esta é a fila de pessoas que vão receber os sacos de caridade”, diz o Padre Rafael, e acrescenta: “Vamos fazê-lo com grande afecto para que as pessoas se sintam amadas”.

“Estamos num período em que o Santuário está muito bonito, tudo parece muito bonito. Agradecemos-vos e que Deus retribua às pessoas que nos dão”, diz um jovem que, juntamente com várias pessoas, está em frente da porta aberta do Santuário. Ele é um dos muitos que ficaram sem trabalho, sem rendimentos desde o início da pandemia.

“Estamos felizes com o apoio que temos e vimos aqui todos os Domingos, não perdemos nenhum Domingo”, diz uma jovem mulher. “Venho aqui, vou-me embora feliz por ouvir a palavra de Deus e todos nós que aqui estamos partimos felizes”.

Peregrinos do Santuário, de facto. E um Movimento de Schoenstatt que compreende e concretiza a dimensão social da Aliança de Amor. A Igreja é Mãe, diz o Papa Francisco. Aqui em Quito, Schoenstatt é Igreja, é Mãe.

 

Original: castelhano (14/9/2022). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.