Guardianos

Colocado em 2021-07-15 In Schoenstatt em saída

Os Guardiães do Santuário da Costa Rica acolhem o peregrino

COSTA RICA, Marta Prieto •

O serviço dos “Guardiães do Santuário”, promovido pelo Pe. José Luis Correa Lira, procura acolher os peregrinos que vêm todos os dias ao Santuário e, tem como objectivo final que neste encontro com Cristo possam sentir o abrigo espiritual, a graça que brota do Santuário e deixar-se olhar pela nossa Mãe, a Santíssima Virgem Maria. —

GuardianosEmbora a 26 de Março de 2021 tenha sido estabelecido como objectivo ter a primeira reunião de planeamento a 28 de Abril, devido à pandemia, só foi possível realizá-la um mês mais tarde, via Zoom, com a participação de membros do Movimento, tanto Casais como Mães e Jovens.

Naquele primeiro encontro, o Pe. José Luis partilhou as orientações iniciais e o grupo começou a trabalhar. As propostas de logótipos foram revistas e o nome que as identifica foi seleccionado: “Guardiães do Santuário”. Este nome procura assemelhar-se a S. José, protector da Sagrada Família de Nazaré e S. Miguel Arcanjo, protector e defensor da Igreja.

Em Junho começou o apostolado e no dia 10 do mesmo mês o grupo foi enviado no final da Missa e, juntos rezaram as suas orações de grupo. O grupo fundador é composto por 22 Guardiães.

A motivação dos Guardiães do Santuário

Esta equipa é de natureza pastoral e acolhe os peregrinos que visitam o Santuário, aqueles que estão de passagem e são potenciais aliados da Mãe . Não é um grupo de oração, não é um grupo de adoração, não é para estar dentro do Santuário, mas para acolher no exterior, aquele que chega pela primeira vez. É orientá-lo para o Santuário, para a livraria, para a casa do Movimento, para os introduzir suavemente ao que Schoenstatt é e ao que oferece. É o trabalho pastoral no pátio (literalmente no jardim), estar atento para ver quem chega, ser os braços estendidos da Mãe.

A tarefa consiste em fazer uma breve visita ao local para que os visitantes possam conhecer um pouco do Movimento de Schoenstatt e do Pai Fundador, José Kentenich, os princípios da pedagogia, como se forja cada dia uma nova comunidade e, enquanto percorrem as diferentes salas, explicar a organização dos grupos de vida, os Ramos: Mães, Homens, Jovens, Profissionais, Casais. O mais importante é levá-los ao Santuário e, conversar com eles sobre as graças que daí derivam e explicar-lhes como colocar as suas petições, agradecimentos e ofertas nos “pequenos papéis do Santuário” e depois colocá-los na Talha e dá-los à Mãe como contribuições para o Capital de Graças. Num canto do Santuário é-lhes dito como a imagem do São José adormecido também está à espera das suas intenções e, que ele, durante o sono, intercede por aqueles que vêm com devoção pedir uma necessidade especial.

Muitos visitantes e membros da Família de Schoenstatt reconhecem a necessidade de um apostolado como este:

Que alegria é esta iniciativa, porque quando eu vim pela primeira vez não havia ninguém para me receber, é necessário que alguém guie quando a pessoa vem pela primeira vez“, comentou um membro do Ramo dos Casais.

Adoro vir ao Santuário, ao Terço, à Missa, o acolhimento é muito bonito, como o Padre José Luis e os outros sacerdotes pregam. Obrigado pelo acolhimento“, diz um peregrino.

O lugar é único, todas as suas instalações, a forma como a anfitriã apresenta cada uma das áreas, imagens e ao chegar ao Santuário. Obrigado por ter um lugar tão bonito e por poder desfrutá-lo“, comentou os visitantes da primeira vez.

O abraço fraterno é sentido e esperamos que muitos mais se juntem a este apostolado!

Original: espanhol (15/7/2021). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *