Colocado em 2020-06-04 In A Aliança de Amor Solidaria em tempos de coronavírus, Schoenstatt em saída

“As graças da Mater nas áridas terras do deserto de Atacama”

CHILE, Luis Cortés e Patricia Meneses •

Um dia, neste mês especial de Maio de 2020, uma querida amiga e irmã na Aliança fez o seu check-up médico no Hospital Regional de Copiapó. Algumas horas depois contactou-me e comentou que tinha estado a rezar numa pequena capela, que embora estivesse fechada até então, ainda assim ela entrou, rezou e sentiu no seu coração um apelo muito forte de que a Mater estivesse ali. Tirou uma foto que, ao olhá-la juntas, nos exortou a comentar: “A nossa Mater tem que estar ali”, naquela pequena capela, simples e humilde como Ela é.—

E é assim que uma infinidade de coincidências ou “deuscidências” se sucedem, indicando todos os dias que Ela queria estabelecer-Se naquele lugar.

O assunto foi discutido na reunião do Conselho de Família, e começámos a procurar, entre nós, a Imagem mais apropriada. Foi assim, que depois de algumas alternativas, Aurora – a líder do Ramo das Mães – ofereceu com muito amor uma imagem que lhe tinha sido dada quando selou a sua Aliança e estava precisamente à procura de alguém especial para a entregar.

Pensámos que o mais apropriado era que a pessoa responsável pela Peregrina no hospital fizesse os preparativos para ver a possibilidade de tornar o nosso desejo uma realidade. Tudo foi muito rápido (esse era o plano da nossa Mater).

Depois conversámos com o director-adjunto do hospital que chegou de Concepción há três ou quatro meses para preencher este lugar e que, por coincidência, pertence ao Movimento Apostólico de Schoenstatt. Aceitou o pedido com muito entusiasmo, pelo que fixou imediatamente o dia e a hora. Como se isso não fosse suficiente, o jornalista do hospital que ajudou com as filmagens e as fotos também faz parte do Movimento.

Ela não queria palestras em directo, nem luzes, nem aplausos.

Em princípio, a ideia era que todos nós estivéssemos presentes na cerimónia (ou tantos quanto possível), especialmente a nossa amiga, uma vez que para ela este evento era um chamamento pessoal. Mas, logicamente, foi-nos dito que, devido à contingência, só uma pessoa poderia comparecer. Então decidimos transmiti-lo por zoom à Família de Copiapó e também pedimos ao Padre Patricio Ilabaca, Assessor, para dar a bênção por este meio.

Foi assim, pela grande importância deste momento e considerando também a praticabilidade (instalação, gancho para pendurar, etc.) que pensámos na chefe do Ramo das Mães, já que ela tem experiência nestes ofícios. Depois conseguimos que a pessoa encarregada da Peregrina no hospital pudesse comparecer.

Chegou o momento. Os primeiros acordes da bela melodia “Maria da Aliança” começaram no telefone da Aurora, caminharam até a capela e lá instalaram a Imagem.

Dia após dia, a Mater mostra-nos a sua simplicidade e humildade. Ela não queria conferências ao vivo, nem luzes, nem aplausos. Havia problemas com o sinal da Internet e era impossível transmiti-lo. Tudo aconteceu na intimidade dos instrumentos escolhidos. Ela moveu o necessário para chegar a este belo momento e desta forma, como a Rainha da Saúde, naquela humilde, fria e pequena capela, dará conforto, paz, esperança e derramará o Seu infinito amor a muitas pessoas doentes e familiares que A visitam.

No mesmo dia, durante a Missa que foi transmitida do Santuário de Água Santa, o Padre Patricio fez uma petição especial pelo que tinha acontecido.

Acreditamos que este humilde e pequeno acto que significará tanto para os mais indefesos e para aqueles que mais sofrem na nossa amada Copiapó, é a nova ordem social a que nós, como Família de Schoenstatt, somos chamados. Esta é a missão para os novos tempos, aquela que faz sentido no “Nada sem ti, nada sem nós”.

 

 

Original: espanhol (2/6/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *