Colocado em 24. Outubro 2019 In Schoenstatt em saída

18 de outubro em Paraná: A mais longa procissão católica da América do Sul

ARGENTINA, Maria Fischer y Claudia Echenique •

“Emociona até as lágrimas esta imensa manifestação de fé. A Mãe os espera, peregrinos, não desanimem”, lê-se num comentário durante a transmissão ao vivo da “Peregrinação de vilas ”, a mais longa procissão católica da América do Sul, que une a ermida de Hasenkamp com o Santuário de La Loma em Paraná, na província de Entre Rios. Por volta das 18 horas do sábado 19 de outubro, os primeiros paroquianos foram recebidos por familiares e amigos no Santuário, depois de andar 90 km, sob o lema que se refere ao mês de missão da igreja universal: Batizados e enviados, caminhemos com Maria.—

 

Encabeçados pela imagem da Virgem de Schoenstatt, uma coluna humana onde predominaram as cores branco e amarelo marchou desde as 17 horas de sexta-feira18 de outubro, por mais de 24 horas, pela estrada, escoltados por voluntários e veículos de apoio. Este ano, o clima primaveral acompanhou melhor os peregrinos que caminharam durante umas 26 horas para percorrer os 90 km entre as cidades de Hasenkamp y Paraná.

As horas passavam e as imagens aéreas mostravam que a coluna de caminhantes avançava sólida. Nas quatro paradas, os servidores os recebiam com cantos e muito entusiasmo para oferece massagens, bebida, algum alimento.

«É a expressão da fé de um povo, e neste ano, fundamentalmente, porque se quer coroar a Virgem como a rainha da unidade dos argentinos», comentou um membro do Movimento Apostólico de Schoenstatt, ao destacar «o compromisso cidadão para construir uma pátria mais justa, mais fraterna, mais solidária».

Com tochas pela noite

“Chegamos a nossa terceira parada! El Palenque. No meio da noite, acendemos uma luz”, comentou um peregrino.

Na partida do segundo descanso na localidade de Cerrito, a meia-noite de sexta-feira, cada peregrino recebeu uma tocha acesa para caminhar iluminados no trajeto até El Palenque. É um dos momentos mais fortes, emotivos e significativos da Peregrinação. As tochas simbolizam a luz da fé, essa luz que foi acesa e entregue no Batismo, e que busca renovar a fé de cada peregrino para caminhar durante a noite, guiados e iluminados por ela.

“Que Deus abençoe a todos os peregrinos. Eu fiz a peregrinação há dois anos e foi uma linda experiência. Este ano estava preparando-me para faze-la e sofri um acidente. Se Deus quiser, ano que vem estarei aí. Bênçãos”, comentou Verónica N.

Maria Belén escreveu: “Minha Mãe amada, hoje não posso te acompanhar, porque trabalho, mas, Maria, te entrego meu coração, renova-o. Que lindo dia! Fecho meus olhos e sinto que estou aí como em anos anteriores… Força peregrinos, rezo por vocês! Unidos no amor de Maria. Amo-te, minha Mãe …”.

 

Quero chegar… a Mãe me espera

Como em toda peregrinação, nos últimos quilômetros fala-se pouco, se reza em silencio, se caminha com o último fôlego e os passos são mais rápidos para chegar ao destino.

Cada caminhante sabe que a Mãe os espera. Querem vê-la ao pisar o santuário; querem entregar-lhe este esforço; quere confiar-lhe suas dores, suas alegrias; querem pedir-lhe que não solte sua mão no seu caminhar cotidiano.

No Santuário de La Loma, os peregrinos foram recebidos com muito carinho e clima de festa. José Maria Velázquez, do grupo de Madrugadores de La Loma e coordenador desta peregrinação expressou: É incrível a quantidade de gente que está chegando ao Santuário. Aqui estiveram 20 mil pessoas, outras 20 mil mais na estrada. Foi incrível tudo”.

A 37° Peregrinação de vilas finalizou com a missa celebrada por vários sacerdotes e presidida pelo arcebispo de Paraná, Mons. Juan Alberto Puiggari, que disse a os peregrinos “o caminhar de vocês foi um sinal maravilhoso do que queremos ser como igreja”.

 

Ermida  Hasenkamp

Página: “Peregrinación de los Pueblos”

Original: espanhol. Tradução: Lena Ortiz, Ciudad del Este, Paraguai

 

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *