Colocado em 9. Dezembro 2018 In Schoenstatt em saída

10 Anos da Capelania de Direito da Roma Três entre Fé, Universidade e Amizade

ITÁLIA, Gian Francesco Romano •

24 de Novembro de 2008: encorajados por um sacerdote argentino, alguns estudantes da Faculdade de Direito da Universidade Roma Três – exactamente, 12 alunos – fundaram a Giurcap, uma capelania universitária diferente do ordinário: porque, a quem participa, não oferece apenas um valioso acompanhamento religioso e humano no arco de uma fase específica da vida mas, sobretudo, presenteia um ambiente, um clima, um grupo de pessoas capazes de resistirem também para além do fim dos estudos e no qual é possível crescer como indivíduos, como cristãos e como comunidade. Tudo isto, num caminho estreitamente ligado com o Movimento de Schoenstatt.—

Sábado, 24 de Novembro de 2018 foram celebrados os primeiros dez anos da Giurcap, anos durante os quais, muitos foram os sinais da benevolência de Deus nos confrontos deste grupo juvenil. Uma vocação para o sacerdócio, uma outra vocação em percurso de discernimento para a vida de clausura feminina, pelo menos cinco casais de esposos nascidos no seu interior e uma pequena ninhada de crianças filhos destes casais (as mascotes da Giurcap) são, de facto, só os frutos mais evidentes e mais belos entre os germinados nestes anos. Não por acaso, Mons. Andrea Lonardo, Director da Pastoral Universitária da Diocese de Roma, tomou como ponto de partida, exactamente estes elementos, para falar da Graça especial da Giurcap, durante a Eucaristia por ele presidida na Basílica de S. Paulo extra Muros e concelebrada pelo Pe. Facundo Bernabei, também ele, schoenstatteano confesso; e pelo Pe. Giuseppe Caciotti, jovem sacerdote agostiniano (precisamente, a vocação sacerdotal amadurecida no interior da Giurcap).

O “segredo do sucesso” do grupo

No prosseguimento da Missa, oficiada na Basílica de S. Paulo extra Muros – desde sempre centro da vida espiritual da Giurcap, na medida em que está situada a poucos metros da Faculdade de Direito – Mons. Lonardo não deixou de agradecer aos Padres de Schoenstatt que acompanharam o grupo nestes dez anos: o argentino Ludovico Tedeschi, o paraguaio Pe. Alfredo Pereira e o já citado Pe. Facundo Bernabei, também ele argentino. Depois lembrou a participação da Giurcap nas iniciativas diocesanas, os eventos organizados pelos seus membros, e tantos jovens acercados à Fé; e, por fim, mencionou aquilo que reconheceu como o “segredo do sucesso” do grupo: ter vivido a pertença à Capelania não como um sinal de alteridade, de contraposição aos jovens não crentes que frequentam a Universidade, mas como, um serviço e uma missão a cumprir em seu favor, por serem testemunhas da alegria do Evangelho entre eles.

S. Paulo, Padroeiro da Giurcap

Antes de sair da Basílica teve lugar um outro momento muito marcante: a oração de consagração a S. Paulo, Padroeiro da Giurcap, rezada mesmo sobre a cripta que alberga os Seus despojos, acompanhada pela apresentação da bandeira oficial da Giurcap – um estandarte que os membros da Capelania, por agora, têm somente como empréstimo: porque se auto-impuseram a missão de a conquistar com sacrifícios espirituais, a oração e o compromisso de trazerem outros membros.

A recordação das origens, a fidelidade ao projecto Giurcap, a presença constante de Maria nas várias vicissitudes e actividades, assim como as características próprias do grupo e as perspectivas futuras foram, por sua vez, os temas tratados, através de uma série de vídeo mensagens, dos responsáveis que se alternaram no acompanhamento do grupo, nomeadamente os Padres de Schoenstatt e a Senhora Pilar Jensen que, no passado coadjuvou o Pe. Alfredo Pereira e que agora acompanha os jovens juntamente com o Pe. Facundo Bernabei.

O tempo do almoço foi a ocasião para um momento informal de partilha e diálogo, de permutas e de recordações, em especial para aqueles membros que, por razões de estado ou por transferências, já não podem participar a 100% nas actividades do grupo mas que, não quiseram perder a oportunidade de festejar o aniversário.

Agradecido pelo passado e optimista pelo futuro

De tarde, através de diversos testemunhos, foi percorrida toda a história da Giurcap, desde o princípio até hoje: a peregrinação ao túmulo do Apóstolo dos Gentios, no Ano Paulino, que foi o ponto de partida para a criação do grupo; a escolha de dar forma e estrutura a esta comunidade; as primeiras conferências organizadas sobre temas da actualidade no âmbito da Faculdade; o apostolado das catequeses para a preparação de adultos para o Crisma; a renovação da associação no decurso dos anos; os momentos mais marcantes, como o discurso proferido em 2012 pela, então, Secretária, Rossella Minici, perante o Papa Bento XVI na Basílica de S. Pedro, em nome de todos os universitários romanos; até ao olhar concreto sobre a actualidade e sobre o futuro. Um olhar que, nas palavras da actual Secretária, Enrica Giunta, é ao mesmo tempo, agradecido pelo passado e optimista pelo futuro, com a consciência que, a Giurcap sempre trabalhou muito e que, ao mesmo tempo, sempre deixou espaço às acções e às surpresas de Deus.

Com a apresentação do duplo poster do décimo aniversário, o bolo e os brindes entre todos os presentes, uma oração final e a fotografia de grupo, finalmente foi concluída a primeira parte dos festejos. Já, porque, no dia seguinte a festa atingiu o seu verdadeiro ápice, com a participação dos membros do grupo no Ângelus na Praça de S. Pedro. Onde, sob uma chuva diluviana, rezaram com o Santo Padre e, por fim, exultaram com a saudação explícita do Papa aos jovens da Giurcap.

Original: italiano (2/12/2018). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *