Colocado em 17. Novembro 2018 In Schoenstatt em saída

O Terço dos Homens Valentes de Encarnação no mês do Rosário

PARAGUAI, Laura Andrea Barrios •

Por sugestão do Pe. António Cosp, então Padre Assessor da Obra em Encarnação, ao Sebastián Martín, carinhosamente conhecido como “Papito”, iniciou-se a oração do Terço, com alguns homens, por ele, convidados, em encontros semanais na Casita da Mater, em 4 de Dezembro de 2012. —

Quando o meu marido, Enrique González que está comigo na Pastoral da Esperança desde 2013, soube do grupo, aproximou-se por “curiosidade”, segundo ele diz, visto que, desejava aprender a rezar o Terço mas, eu sei que foi a Mater quem o chamou e com suave violência deu esta tarefa a um filho fiel que, desde o primeiro momento disse “sim, aqui estou”. Agendaram as terças-feiras às sete da tarde para os encontros, razão pela qual, o seu compromisso se tornou sagrado e necessário. A Mater foi operando na sua vida como na de tantos outros homens, aos quais com doçura e suavidade vai transformando as vidas, trabalhando nas suas necessidades, acalmando as suas dores e angústias.

Deus tem a última palavra

O grupo acompanhou, na sua doença, um Homem de Rosario, o Sr. Juan Báez que tinha cancro e que, durante muito tempo, cada terça-feira, esperava encontrar-se com os seus companheiros do Terço para partilhar esse momento de oração e de fortaleza porque, dizia que o Terço era o seu medicamento, era o que lhe permitia acordar cada manhã que, lhe prolongava a vida para usufruir da sua família, porque, apesar dos maus prognósticos dos médicos, viveu mais tempo, graças a ter-se agarrado a Maria e ao Terço, porque “Deus tem a última palavra”.

A fortaleza e entrega que tinha o Sr. Juan eram extraordinárias. No se deixou vencer pelo desânimo, visto que se uniu ao apostolado no Hospital Regional de Encarnação, inclusivamente, fez, em Tuparenda o retiro dos Homens Valentes. Até no seu funeral e na Novena posterior ao seu falecimento, todos lá estiveram com os seus uniformes de T-shirts para apoiar a sua família que, agradeceu a presença e se emocionou com esta presença dos seus companheiros, a quem ele tanto amava e lembrava até à sua última morada.

Também Juan Luxhin foi a vários encontros antes de ter sofrido um enfarte que o fez estar internado durante alguns dias antes de ter sido chamado ao encontro do Senhor e, lá estiveram também os irmãos rezando com ele na clínica, transferindo o encontro para onde fosse necessário acompanhar os seus membros na oração.

Uma obra que se estende por tarefas e lugares

Os Homens Valentes vão aonde for necessário quer seja, velórios ou Novenas, ou como representantes dos homens que rezam o Terço e ensinando a rezar a quem o desejar.

Além disso têm,agendada, a primeira quarta-feira de cada mês, antes da Missa na catedral de Nossa Senhora da Santíssima Encarnação, como encargo da Campanha do Terço da Mãe Peregrina, rezar pela conquista e entronização da Mater, desde Março de 2017.

Actualmente têm vários pontos de oração: Foram conquistando os corações e contagiando muitos homens e mulheres que, admiram os homens que, com voz forte e tanta humildade ajoelhados em frente d’Ela, Lhe entregam os seus, coração e compromisso.

Entre todos eles, podemos mencionar que foram florescendo os jardins em várias Paróquias ao redor da cidade e noutras cidades que a seguir menciono:

Em 14 de Fevereiro de 2014, na Paróquia de S. Pedro Apóstolo do bairro de S. Pedro da Encarnação, a cargo de Inocencio Osorio, os encontros são às segundas-feiras;

Em 19 de Junho de 2015, na Paróquia de S, José Operário da localidade de Capitán Miranda, a cargo de Mario Rubén Navarro, aos Domingos antes da Missa Vespertina;

Em Outubro de 2015, na Paróquia de S. Isidro Lavrador do bairro de S. Isidro da Encarnação, a cargo de Rúben Maldonado, às segundas-feiras.

Em 7 de Abril de 2017, na Capela de S. Martinho de Porres, pertencente à Paróquia da Imaculada Conceição da cidade de Encarnação, a cargo de Rodolfo Oviedo, às sextas-feiras.

Em 11 de Agosto de 2017, pela mão de Rodolfo Oviedo, juntamente com o seu genro Héctor López, foi cruzada a fronteira através da ponte internacional S. Roque González de Santa Cruz, onde ficou instalado o ponto de oração na Capela de S. Francisco Xavier da cidade de Posadas, às sextas-feiras. Sogro e genro, com profundo amor e compromisso, também continuam com a missão, tendo iniciado outro ponto na Capela de S. Marcos em 28 de Setembro deste ano de 2018. Ambos pontos, pertencem à Paróquia do Cristo Rei.

Em 6 de Janeiro de 2018, a seguir à bênção da Ermida da MTA pelo Pe. António Cosp, conquistada pelas missionárias da Campanha do Terço do Distrito de Cambyreta, também os maridos das missionárias se entusiasmaram com a oração do Terço e, acompanhados por Rodolfo Widman, rezavam às quintas-feiras até que, transferiram o ponto de oração para a Capela Virgem do Passo de Itape de S. Miguel a um quarteirão da Ermida.

rosario hombres

Serviço no hospital

Um testemunho fecundo

No sábado, 6 de Outubro, na localidade de Mayo Otaño, na Paróquia do Sagrado Coração de Maria, a convite do Pároco, o Pe. Isidoro Cabral, foi organizada uma Jornada para implementar nesse lugar, o Terço dos Homens Valentes.

Entre os testemunhos, podemos mencionar que estavam ansiosos por este encontro, visto que, o vinham organizando há ano e meio, e estavam desejosos de poderem contar com o Terço a cargo dos homens na Paróquia. Era tanta a alegria, que já estavam a cogitar quais seriam os próximos pontos de oração aos quais iriam contagiar a mesma alegria. Entre eles, estava o Sr. Julio Cáceres que, a seguir à apresentação e ao momento de conhecerem o que achavam do compromisso que estavam prestes a assumir, respondeu “que ele também queria ser valente e que iria rezar o Terço com muita entrega e amor”.

Foi-lhes explicado, igualmente, que é importante ir devagar que, valente não é quem começa mas, quem persevera. O importante é fortalecer bem cada ponto para se poder iniciar outro, porque é importante o acompanhamento e a consolidação até ao seu amadurecimento.

Um testemunho fecundo que se reflete no exterior

Em todo este tempo foram conhecidos muitos testemunhos de transformação interior que se transfere para o exterior, como é o caso do meu marido, actual Coordenador Diocesano que não tem problema em partilhar a sua experiência pessoal e as maravilhas que a Mater fez nele e o Terço principalmente, visto que, desde a profunda oração, contemplação da vida de Jesus e a paz que infunde esta maravilhosa devoção, se pode afirmar que foi moldando diversos aspectos do caracter, polindo a sua vida, até na profissão que exerce como advogado, na qual, com profunda piedade, muitas vezes ajuda quem lhe pede e até receita, como remédio e auxílio, nos processos judiciais, a oração do Santo Terço que, para além de aplanar os caminhos dá confiança e tranquilidade a quem luta pelos seus direitos num julgamento.

Como pai de família, o meu marido reza todas as madrugadas o Terço no nosso Santuário-Lar antes de iniciar o dia, sempre pela conquista do nosso Santuário filial. Actualmente, Ian Santiago, o nosso filho de 8 anos, reza três vezes por semana antes de dormir, por iniciativa dele, conquistando, desde já, o seu Santuário-Quarto. Além disso, aprendeu a orientar o Terço, sente muita segurança e dorme com o seu Terço debaixo da almofada. Ele também é um missionário da Mater desde o pré-escolar, várias vezes levou a Peregrina para a escola e até convidou a professora para fazer parte do Ramo das Profissionais. Assim é, como vivemos, usufruindo das graças que nos presenteia a oração do Santo Terço na nossa família.

Alimento para o corpo e para a alma

Desde Dezembro de 2014 e, com a ideia de partilhar com outros, as bênçãos recebidas e com a premissa que “a fé sem obras é uma fé morta” (S. Tiago 2,26) surgiu a necessidade de fazer apostolado do pequeno-almoço no Hospital Regional de Encarnação que, consiste em levar um chá-mate com leite e açúcar e pão, todos os Domingos, aos acompanhantes dos doentes que lá estão internados.

À volta dessas vidas de pessoas de escassos recursos, chegadas do interior do Departamento, com apenas o necessário para cobrir os seus gastos, têm-se vivido muitos e muitos testemunhos de alegria e agradecimento pelo pouco que se possa dar. Contudo, significa tanto para quem recebe, visto que, em mais de uma oportunidade manifestaram que seria a única refeição do dia e não lhes é posto limites no consumo. São servidos tantas vezes quantas queiram e até se lhes deixa um termo se assim o desejarem.

Esta preparação tem início nos dias prévios, com a contribuição voluntária de quem o queira fazer e, cada um dá o que pode ou, sendo o caso, com a distribuição dos ingredientes com que, cada um, possa contribuir. Assim, aos Domingos às 6 horas da manhã reúnem-se na Casita para prepararem, aproximadamente, 40 litros de chá-mate com leite e açúcar que se serve em copos térmicos bem higiénicos e com pão acabado de fazer que se compra no supermercado

Este pequeno-almoço tornou-se tradicional nestes quase quatro anos e inclui o corpo clínico e o pessoal administrativo que está à espera deles para saborearem o rico chá-mate com leite e açúcar, e pão. Se, por alguma razão não puderam estar presentes, no Domingo seguinte, o recebimento é feito com uma reclamação “sentimos a vossa falta no Domingo em que não vieram”. Graças a Deus sempre chegou e até sobrou, qual multiplicação dos pães. Sendo esta uma obra feita, com amor, ao serviço dos outros, vemos a mão do Senhor que, sempre acompanha.

Também era hábito fazer o almoço uma vez por mês. Contudo, sendo tudo a pulso, às vezes não foi possível cobrir estes custos pelo que, se deixou de fazer. Se bem que, é verdade que foram recebidas contribuições de quem sentiu a necessidade de o fazer e, ainda que, não seja obrigação de ninguém; se as recebemos serão sempre bem-vindas, vontade sobra, os bens faltam.

Actualmente, há vontade em se retomar a visita aos doentes para rezar com eles e lhes levar a mensagem da Palavra, razão pela qual, em breve serão designados os encarregados, tendo em conta que, falta mais presença da nossa Igreja. “A messe é grande mas os operários são poucos”.

Como formação, para além, do Terço, também se realizam oficinas. Têm um retiro anual e peregrinação a Santa Maria (Brasil) uma vez por ano para fazerem o percurso do Sr. João Pozzobon.

O início da Novena do Terço esteve a cargo dos Homens Valentes acompanhados pelo grupo Peregrinos da Mater do Ramo das Famílias.

“A mensagem que pode ser partilhada é que o Terço transforma vidas, cura as feridas, reconforta a alma, enche-nos de esperança, edifica-nos o espírito, une a família, dá paz e cultiva a fé. Tendo vivido, no mês passado, o mês mariano do Terço, queríamos partilhar esta experiência de vida que não é mágica mas que, vale a alegria de a viver”.

 

Original: espanhol ( 13/10/2018). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *