Colocado em 21. Abril 2018 In Projetos, Schoenstatt em saída

Aumeni: não se conformar com o recebido

PARAGUAI, Cristina e Diego Gabriel Aguilera •

Um grupo de casais que concluiu as suas tarefas de chefes no nível Autoeducação da Diocese de San Lorenzo, decidiu fundar um grupo que não se conforma com o recebido. Uma vez por mês, dão o seu tempo e, deste modo, acompanham aqueles que precisam. Aumeni é o nome adotado pelo grupo de casais que faz o envio apostólico saindo do Santuário para as periferias levando uma palavra de ânimo ao próximo.—

Aumeni

Aumeni

O Ano da Misericórdia proposto pelo Papa Francisco em 2016 foi o disparador motivacional. Sentimo-nos comprometidos com esta missão, desejamos torná-la real e vivenciarmos o Schoenstatt em saída, como pede o Pai-Fundador. Por isso, todos os meses, desde Janeiro de 2017, o grupo visita os lugares onde é necessário ajudar, onde se precise da misericórdia de Deus. Até agora levaram paliativos e a mensagem de esperança de Deus e da Mater a hospitais, Fundações de Ajuda, lares de acolhimento e outros sítios aonde o Espírito Santo os conduz.

A iniciativa surgiu durante o jantar de despedida do ano, para os chefes do nível Autoeducação no qual, incentivados pelos chefes de nível, Rita e Wilson Santacruz, decidiram levar a cabo esta missão com uma nova comunidade de corações, à qual, desde aí, foi dado o nome de Aumeni (que tem a sua origem nos Auto-educados do Melhor Nível).

O olhar de Cristo reproduzia-se nos doentes do hospital

A primeira missão de Aumeni concretizou-se na Fundação S. Rafael (hospital) em Janeiro passado, onde Jesus nos recebeu e preparou espiritualmente com a Santa Ceia Eucarística presidida pelo Pe. Aldo Trento. Ao terminar a Missa, os acordes do cântico Maria da Aliança encheram de emoção cada schoenstatteano ali presente. De repente, surgiu na consciência de todos os casais a sensação de que a Mater nos animava a sermos Seus instrumentos. O olhar de Cristo reproduzia-se nos doentes do hospital. Ficou-nos gravada a admiração pelo trabalho dos que prestam serviços a cada internado e se reflectem no seu labor, uma verdadeira vocação de serviço, digna de admiração.

Ao encontro das crianças com cancro

Muitas das experiências são inenarráveis porque, enchem cada um de nós do gozo da alegria na acção. Só algumas impressões; como a necessidade de oração e o acompanhamento espiritual são essenciais neste apostolado, tal como, nos comentava a encarregada do albergue transitório, Irmã Fausta Massolo, da Fundação Asoleu para crianças com cancro. Disse que, ao fortalecimento da alma se chega com a oração.

Os casais que participam asseguram que, é uma experiência fraterna na qual são eles quem mais recebe de Deus através desse encontro com o irmão necessitado e sentem que Cristo é quem os recebe. De entre as vivências dos casais, pode-se partilhar que “a fortaleza espiritual recebida é paga centuplicadamente”.

Actualmente, juntaram-se mais casais que contribuem com o seu generoso grãozinho de areia para chegarmos a mais irmãos.

Fonte: Revista Tuparenda, Paraguai

Original: espanhol (30/3/2018). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

 

Etiquetas: , , , , , ,