Colocado em 2017-06-18 In Schoenstatt em saída

O Terço uniu as gerações na Casa de Repouso das Irmãzinhas dos Pobres

ITÁLIA, Jennifer Stahl •

Sábado, 27 de Maio, alguns membros da Juventude Feminina de Roma, deram início a um projecto que prossegue na esteira das missões e do apostolado…desta vez, no entanto, na nossa cidade! A ideia nasce do primeiro oferecimento de Josef Engling. Também nós quisemos oferecer várias “flores” à nossa Mater no mês de Maio: orações, intenções e obras.

Nós, um pequeno grupinho de raparigas acompanhadas pela vaporosa Irmã Julia das “Irmãs de Maria” e pela mãe de uma das nossas raparigas, rezámos o Terço com os residentes numa casa de repouso no centro de Roma, na Praça de S. Pedro Acorrentado.

Ao serviço dos idosos

As Irmãs, as “Irmãzinhas dos Pobres”, estão ao serviço dos idosos e preferem permanecer pequenas, vivendo assim, continuamente, na alegria de pedir e de receber ajuda de Deus.

Neste espírito, todos, quer as Irmãs, quer os idosos, nos deram as boas-vindas, alegres e com tanto afecto.

Reunidos na pequena Igreja no interior da estrutura, Chiara apresentou-nos e cantando e tocando fomos em procissão seguindo Nossa Senhora de Fátima em direcção à Gruta de Lourdes no jardim; lá, a Nossa Senhora de Lourdes e a Nossa Senhora de Fátima, uniu-Se a Mãe Peregrina com Jesus.

Alessia rezou a introdução aos cinco Mistérios, enquanto as cinco dezenas foram rezadas pelos residentes da casa. Depois do Terço alegrámos os idosos com os cânticos de Schoenstatt, até em espanhol! E outros cânticos marianos lindíssimos; intercambiámos histórias da nossa vida, enquanto as Irmãzinhas preparavam para todos um lanche com doces e bebidas, entre os quais um bolo feito pela mãe da nossa Chiara.

Denise comoveu-nos com a sua apresentação sobre Schoenstatt e sobre a Mãe Três Vezes Admirável; ela foi acolhida calorosamente pelos idosos que já tinham anteriormente rezado frente à Imagem da Mãe Peregrina, acolhendo-A juntos e, cada um, no silêncio do seu quarto. Agora, os nossos novos amigos e amigas esperam a chegada de uma Mater totalmente deles e também uma nossa próxima visita, para passarem outras horas em oração e companhia.

Experiências como esta lembram-nos o verdadeiro sentido da vida cristã que, como disse a Denise, é salvar o maior número de pessoas possível.

Ajudar e ser ajudados, salvar e ser salvos. Não há melhor maneira de aprender isto do que com quem vive o “ser pequeno” no quotidiano.

São um exemplo as Irmãs que conhecemos, a nossa incansável e amorosa Irmã Julia que nos acompanha constantemente e as senhoras e os homens – que podiam ser os nossos avós – que nos acolheram no sábado 27 de Maio…Eles que permanecem pequenos face às dificuldades e sofrimentos físicos devidos à idade; humildes mas, sábios graças às experiências vividas que, em parte, nos transmitiram; alegres e ricos de vida, capazes de viverem o momento! Neles vemos e vivemos Jesus Cristo plenamente, assim como, a nossa Mãe. Com alegria queremos continuar a acompanhá-los!

 

Original: italiano (15/6/2017). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *