Colocado em 2017-02-08 In Schoenstatt em saída

Um condutor da tocha de Fackellauf da Áustria no Caminho de Brochero

ARGENTINA, por Daniel Tür, Áustria •

Já chegaram os peregrinos e “carteiros” do Santo Cura Brochero. Entre os 75 jovens da peregrinação se encontrava também um europeu: Daniel Tür, 23 anos, austríaco e condutor da tocha. Vale a pena que se publique sua experiência em um artigo extra que poderá ser lido a continuação.

Quando me encontrava sentado no ônibus que vinha do Chile até Mendoza no caminho da peregrinação “O CAMINHO DE BROOCHERO”, pensava: será que isso não é uma loucura? Viajar 23 horas de ônibus para Mendoza para poder lavar a roupa lá e no dia seguinte de madrugada pegar o primeiro ônibus. E depois viajar 12 horas para Córdoba e iniciar ali o caminho com a Juventude Masculina da Argentina e Paraguai. O melhor de tudo é que eu sei falar pouco espanhol.

A pesar de não ter entendido muito, me senti muito bem durante as missas diárias, os cantos compartilhados e em algumas conversas em inglês, espanglês e algo de alemão. Também nos sorrisos, gestos e as risadas a pesar de não entender 100% do que se tratava, tudo isso me deu alegria e força. Esta experiência me confirmou que não é necessário o idioma para que os irmãos na aliança se entendam entre si.

O dia mais difícil

Durante esta peregrinação descobri novos aspectos de minha pessoa. Algumas questões pendentes em minha vida ficaram mais claras e encontrei novos amigos/irmãos. Caminhamos todos os dias entre 27 e 37 km, um total de 150 km em seis dias e isto com temperaturas perto dos 35ºC. O caminho se tornou difícil devido ao jejum diário e ao terreno acidentado e seco.

Para mim, o terceiro dia foi o mais difícil. Cansado pela dor muscular e o calor, não queria seguir caminhando os 37 km que restavam do dia. Alguns jovens que perceberam isso, carregaram todo o peso que eu levava, deixaram comigo só a garrafa com água e me motivaram para terminar a etapa deste dia. No dia seguinte, quando continuamos, todas as dores desapareceram milagrosamente e pude continuar caminhando como se nada tivesse acontecido.

Duas de minhas mais lindas experiências foi a oração do terço em Alemão e em Espanhol/Inglês e uma adoração no quarto dia debaixo do céu estrelado.

Simplesmente o plano de Deus

Olhando para trás, o tempo passou muito rápido e desde já me alegro pelo momento em que o meu caminho cruzou com os caminhos dos meus novos amigos. E como sempre acontece, no final você vê tudo mais claro. Agora sei que esta viagem não foi uma loucura, simplesmente esteve no plano de Deus.

Original: Alemão 30/01/2017. Tradução: Isabel Lombardi, Guarapuava, Brasil

Os carteiros de Brochero

Etiquetas: , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *