Colocado em 30. Setembro 2015 In 100-casas-de-solidaridade, Aliança solidária, Schoenstatt em saída

“Era peregrino e me acolhestes”: cem casas solidárias, resposta ao chamado do Papa Francisco

PARAGUAI, Maria Fischer e Ani Souberlich •

“Quero ser muito claro. Não há nenhum motivo social, moral ou de outro gênero que seja para aceitar a carência de habitação. São situações injustas, mas sabemos que Deus está a sofrê-las juntamente conosco, está a vivê-las a nosso lado. Não nos deixa sozinhos”, disse o Papa Francisco em seu encontro com pessoas sem abrigo em Washington. “Jesus não quis apenas ser solidário com cada pessoa, não quis apenas que ninguém sentisse ou vivesse a falta de sua companhia, da sua ajuda e do seu amor. Ele próprio se identificou com todos aqueles que sofrem, que choram, que padecem qualquer tipo de injustiça. Ele o diz claramente: «Tive fome e me destes de comer; tive sede e me destes de beber; era peregrino e me acolhestes» (Mt 25,35)”.

Que a visita as casas solidárias se transforme em peregrinação

Espera techo.Que bem que decidimos há mais de um ano não parar com as “Cem casas solidárias” ao chegar ao número almejado: cem casas para cem famílias em condições de extrema pobreza, que viviam literalmente na rua! Com o Ano Santo da Misericórdia, o Santo Padre Francisco – a quem oferecemos estas casas solidárias como um presente jubilar –, nos convoca a fazer obras de misericórdia. Ele próprio quer abrir em cada mês do Ano Santo uma porta da misericórdia em Roma, uma porta que simbolize uma dessas obras: dar de comer, dar de beber, visitar os presos, dar alojamento…

“Encanta-me a idéia de unir os tetos com o Ano Santo da Misericórdia”, diz Ani Souberlich, “é revitalizar essa Aliança Solidária atualizando-nos constantemente ‘com as vozes do tempo’ mas a meta é sempre a mesma, muda apenas o incentivo para os corações generosos, dos que existem milhões em todo o mundo”.

Que na periferia existencial das famílias carentes, abram-se portas de misericórdia, portas de graças… que as visitas a nossas famílias se transformem em peregrinações, em momentos de graça, neste Ano Santo. “Certo”, me responde Ani. “Para você a visita mudou a vida. Era peregrinação.” Tem razão. E volta a ser peregrinação cada vez que “peregrino” as 100 casas em schoenstatt.org.

O sorriso de Luz… de novo

Luz escribio GRACIAS“O sorriso de Luz”, o sorriso desta menina que vive numa das casas solidárias e luta para superar a enfermidade que a impede usar bem seus pés e mãos, teve uma forte repercussão. Faz uma semana, Ani Souberlich visitou novamente a família. Aqui sua história real:

“Hoje é um dia ensolarado e belíssimo, sendo assim me propus sair a percorrer minha bela pátria de terra vermelha. Fui visitar Luz, levei roupinhas e algo de víveres. Disse-lhe que você também enviava lembranças e havia mandado parte das roupinhas que levava. Estava do lado de fora, sentada conversando com seus pais. Aproximou-se com um vaso com flores feitas por ela de espuma E.V.A. (Espuma Vinílica Acetinada) eram para mim e para você! Expliquei que você estava longe mas que iria tirar uma fotografia e lhe enviaria, então entrou na casa e me chamou: ‘tire uma fotografia com esta notinha e mande para Maria’, disse-me. Claro que não duvidei em fazê-lo, depois arrancou a folha de sua cadernetinha e disse “quando ela vier, dê para ela”. Fiquei emocionada… como são singelas as crianças… nessa idade não entendem de distâncias, não sabem que está longe… mas peguei a folha e lhe disse que a enviaria por correio. Seus olhinhos se iluminaram quando soube que eu iria lhe entregar!

Sua mãe agora sai casa por casa e busca roupa para lavar e assim conseguir algum dinheiro, lava a roupa a mão numa grande bacia… Isso é querer superar-se, querer sair adiante, assim dá gosto ajudar. Não tem nem um tanque para lavar a roupa, mas encontra uma solução para trabalhar, seu marido fez uma mesa de troncos para que coloque a bacia e possa assim lavar a roupa com mais comodidade. Esta semana, se Deus quiser, vão fazer uma consulta com outro médico pelo problema das pernas de Luz. Com o que lhes enviaste dá para pagar a passagem e a consulta, que custa bastante. O dinheiro já lhes havia dado, quando o enviaste…”.

Outras treze casas em construção

Com as doações que chegaram até agora, se está construindo outras treze casas, embora o trabalho esteja demorando um pouco pelas persistentes chuvas que impedem levar o material… Ainda assim, já se comprou todo o necessário, pois há famílias que necessitam um teto… um teto para abrigar, um teto para viver com segurança, para progredir na vida…

“É a fé que nos diz que Deus está convosco, que Deus está no meio de nós e a sua presença incita-nos à caridade. Aquela caridade que nasce do apelo de um Deus que não cessa de bater à nossa porta, à porta de todos para nos convidar ao amor, à compaixão, a darmo-nos uns aos outros.

Jesus continua a bater às nossas portas, à nossa vida. Não o faz magicamente, nem o faz com truques, com vistosos cartazes ou com fogos de artifício. Jesus continua a bater à nossa porta no rosto do irmão, no rosto do vizinho, no rosto de quem vive junto de nós”.

Papa Francisco, no encontro com pessoas sem abrigo

material

 

POR_Button_Casas

A doação necessária para uma casa é 200 € / 250 US$
TRANSFERENCIA PARA A CONTA DE DOAÇÕES EM PARAGUAI
Ana Esperanza Souberlich Martinez
N° de conta: 7.0175419/0
BIC UBBRPYPX
Banco Itaú Paraguay S.A. Asunción
Paraguay
TRANSFERENCIA PARA A CONTA DE DOAÇÕES (SEPA) – Opção para doações desde Europa
M. Fischer
IBAN DE08400602650062268615
BIC GENODEM1DKM
Uso previsto: Um teto para abrigar

CONTATO PARA DEPÓSITO EM DINHEIRO ATRAVÉS DE MONEYGRAM

Estas opções não funcionam? Temos outras soluções: [email protected]

 

Fotos das casas solidárias
Original: Espanhol. Tradução: Lena Ortiz, Ciudad del Este, Paraguai

Etiquetas: , , , , , , , , , , , , ,