Colocado em 2015-06-23 In Schoenstatt em saída

Nossa Senhora de Schoenstatt no Ministério da Economia e das Finanças

ITÁLIA, Roberto Alessandrini •

Quinta-feira, 11 de Junho de 2015, no intervalo para o almoço (14h – 14h30m) visitou o Ministério da Economia e das Finanças o Bispo da Região Centro Mons. Matteo Zuppi. Vivemos com ele um momento de oração no estilo que agora diferencia, do longínquo ano de 2000, os encontros de espiritualidade das Missões nos locais de trabalho: ler as Leituras do Domingo seguinte, partilhar algumas reflexões que suscitam e rezar juntos com orações espontâneas.

Foi no Jubileu do ano 2000 que, uma incrível intuição de S. João Paulo II pôs em marcha as Missões de Evangelização nos locais de trabalho.

Também eu que, trabalho como Dirigente no Ministério da Economia, desde há uns anos participo nesta lindíssima experiência. Mas o dia 11 de Junho marcou para mim um momento ainda mais significativo!

Alguns dias antes, de facto, tinha assumido a direcção de um novo Gabinete dentro do Ministério e, tinha sentido fortemente, o chamamento de confiar esta minha nova função e as novas pessoas que vão trabalhar comigo, ao Senhor. Mas, como fazê-lo? O melhor caminho para chegar ao Senhor, já o sabemos, é Maria… então porquê não fazê-l’A “chefe” do Gabinete? Porque não fazê-lo de modo que, todas as minhas acções, todas as minhas palavras estivessem em linha com o exemplo de Maria? De repente, saltou à frente dos meus olhos a imagem de Nossa Senhora de Schoenstatt (www.schoenstatt.org). A minha história profissional tinha-me levado a decidir selar, com a minha mulher, a Aliança de Amor com Maria, no passado mês de Setembro, quando, embora sobrecarregado com preocupações relacionadas com o meu trabalho, a Graça do Senhor, me tinha permitido dar o meu pequeno sim…o resto fê-lo Ele!

A partir daquele momento tive a certeza concreta de não mais estar sozinho. E, Maria com a Sua discrição tornou-Se companheira de viagem…todos os dias me ensinava uma coisa pequenina, quase sussurrando-ma ao ouvido.

Ela “guiou-me no amor”. E, assim, quando vi realizar-se (com uma coincidência temporal perfeita entre a assunção do novo Gabinete e a vinda do Bispo!) a possibilidade de expressar um sinal concreto da Aliança, pensei logo em comprar um quadro com a bela imagem da Mãe de Schoenstatt, com o qual Entronizar Maria, Rainha do Gabinete! Mas, entretanto Nossa Senhora estava-me a preparar uma surpresa verdadeiramente grande!!

Alguns dias depois da compra do quadro, ainda antes do encontro com o Bispo, consultando o site de Schoenstatt à procura de uma oração adequada à ocasião, deparo-me com uma realidade que me mostrava já actualizado, vivo e operante, o que eu tinha em mente…Nossa Senhora de Schoenstatt coroada Rainha do Mundo da Economia!!! De repente, achava-me a ler no site o que eu já tinha no coração mas que, até àquele momento, não tinha conseguido explicar completamente, nem sequer, à minha mulher. Apresento-o em seguida, o trecho intitulava-se

“Levar Nossa Senhora de Schoenstatt ao mundo da Economia”

“A Aliança de Amor cresce no seio da Economia se os dirigentes confiam a Nossa Senhora situações críticas das empresas, rezam pelos seus colaboradores e subalternos e oferecem Contribuições para o Capital de Graças”.

“O conceito de Capital de Graças ainda o não compreendi completamente, apenas que é uma coisa preciosa tudo o que conseguimos dar a Maria: “do amor verdadeiro nascem palavras e gestos, silêncios e consagrações. Crescem a generosidade e o espírito de renúncia. Vive o heroísmo no esforço pelo nosso crescimento pessoal e, para amar Deus e o próximo. Tudo isto oferecido por amor no Santuário é o nosso “Capital de Graças” sem o qual a fonte de graças seca, porque ela alimenta-se e vive da dinâmica “Nada sem Ti, nada sem nós”.

A pergunta que tomava forma em mim e, que, ainda, não me era totalmente clara, lendo no site encontrei-a explicada e com resposta fornecida:”como se pode traduzir a pedagogia do Pe. Kentenich (Pai-Fundador do Movimento de Schoenstatt), na prática – nos deveres dos dirigentes da empresa? Alguns instalaram nas suas empresas “Santuários do Trabalho”, coroaram Nossa Senhora como Rainha da Empresa e, procuram, conscientemente, dar-Lhe a possibilidade de agir, a partir, sobretudo do “Santuário-Coração”.

Tudo sob a Cultura da Aliança na Empresa

Cultura da Aliança na Empresa significa actuar em Aliança com os colaboradores, subalternos, colegas (e, não sem ou contra eles). Do género de comportamento com eles – com paternalidade/maternalidade, criando um ambiente de desenvolvimento, de liberdade e com a disponibilidade de se comprometer de “corpo e alma” com a própria pessoa – nasce um espaço de Cultura de Aliança.

Maria não podia oferecer-me um presente mais bonito!!! Confirmou-me que, tudo o que eu tinha no coração era, exactamente, a Sua preciosa vontade, realizada já no Movimento de Schoenstatt!!! Assim, com imensa alegria e gratidão, em 11 de Junho, na presença de Mons. Zuppi, de numerosos colegas e do caríssimo Pe. Valentino Menegatti, que, com amor, me acompanhou no percurso de Schoenstatt, dando, também, algumas catequeses no âmbito da Missão no Trabalho, Nossa Senhora foi “entronizada” no Ministério da Economia como Mãe, Rainha e Vencedora Três Vezes Admirável!!! Obrigado, minha Mãe!!!

image003

Original: italiano. Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *