Colocado em 12. Março 2020 In Santuário Original

Recordações da entrada dos americanos em Vallendar há 75 anos.

Mons. Peter Wolf sobre uma oração do “Rumo ao Céu” •

Em 25 de março, passaram 75 anos desde que os americanos entraram e ocuparam a cidade em 1945. Em 7 de março de 1945, as tropas americanas conseguiram atravessar o Reno em Remagen. Os aliados entraram na Renânia com formações blindadas maciças e com o apoio de sua força aérea. A cada dia estavam mais perto de Vallendar e, portanto, de Schoenstatt. No campo de concentração de Dachau, onde o padre José Kentenich, fundador do Movimento Schoenstatt foi preso como prisioneiro nazista, houve rumores de que Schoenstatt havia esvaziado e as irmãs haviam fugido.—

Nesta situação, o padre Kentenich fez uma oração, na qual confiou à Mãe de Deus a “terra de Schoenstatt”. Por motivos de camuflagem, é um poema que se transformou em música no Movimento de Schoenstatt e ainda hoje é cantado. Esta oração foi feita pelos padres do Movimento de Schoenstatt presos no campo de concentração como uma novena (oração de nove dias) na Festa da Anunciação. Ninguém poderia imaginar que o último dia desta novena, 25 de março, Vallendar foi ocupada e, portanto, a terra do Movimento Schoenstatt e sua capela de graças.

 

Von Bundesarchiv, Bild 146-1970-088-24 / CC-BY-SA 3.0, CC BY-SA 3.0 de, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=5482570

Assim estava Coblença em 1945 – situada na margem oposta do Reno – Fonte: Arquivo Federal, foto 146-1970-088-24 / CC-BY-AS 3.0, CC BY-AS 3.0 https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=5482570

25 de março de 1945 em Schoenstatt

Na crônica de notícias dos anos da guerra, encontramos o seguinte artigo no dia da entrada dos americanos:

Durante a manhã do domingo de ramos (25 de março de 1945, dia da Anunciação), os americanos entraram na cidade de Bendorf e Weitersburg. Pouco antes do meio dia, houve uma violenta ação de artilharia. Houve alguma destruição em Vallendar. Uma granada explodiu na frente de Sonneck e destruiu alguns cristais. Havia muitas irmãs na capela. Elas não deixaram este refugio seguro e cantaram: “Proteja-nos, seu manto”. Elas oraram: “Sob o seu amparo e a sua proteção”. Ao anoitecer, grande parte da cidade estava nas mãos dos americanos. A artilharia americana estava em Weitersburg, e a alemã em Wandhof. Ouvimos dizer que duas divisões blindadas seriam usadas para contra-atacar no dia seguinte. O maior perigo ameaçava Sonneck, onde ficava o posto de comando. Mas acabou muito diferente. Como os americanos já haviam avançado muito em Westerwald e apenas o caminho para Simmern ainda estava livre, a ordem de retirada foi dada às duas da manhã (26 de março). Outra granada zumbiu às 9 horas em ponto; provavelmente de Ehrenbreitstein. Voou diretamente ao lado da capela e caiu na pereira no canto sudoeste da casa de Wasserburg e não causou danos. A capela não foi atingida por nenhuma metralhadora e não sofreu o menor dano. – De manhã, quando queríamos celebrar nas várias casas e na capela, dois carros espiões americanos pararam em frente ao castelo. Celebramos missas como sempre. Às 8h30 da manhã, um grande número de tanques cruzava a cidade ».

Nas memórias de Heinrich Fölbach, vereador por muitos anos e conhecido em Vallendar, também há a lembrança de que os americanos chegaram a Vallendar de Bendorf e Weitersburg no Domingo de Ramos de 1945 e ocuparam a cidade. Inclui a seguinte memória do dia da ocupação:

“Havia um silêncio sepulcral nas ruas. No passado, anúncios públicos eram feitos em Vallendar com o chamado “pregonero”, que percorria as maiores ruas gritando alto. O pregonero chegou naquele dia carregando uma bandeira branca em um poste no ombro e anunciou: “O comandante americano exige a entrega de todas as armas antes das 18h, na casa do advogado de Nefferowski”.

O dia foi vivido como a libertação do governo e da injustiça da ditadura nazista. Aqueles que conhecem a história, a confiança e as orações daqueles dias da guerra compreenderão hoje a gratidão que muitos mostraram à Mãe do Senhor na pequena capela de Schoenstatt. A Paróquia de Simmern continua sendo peregrinada todos os anos em agradecimento. Eu pude observar na casa dos sacerdotes no Monte Moriah durante mais de 20 anos.

 

Coblença 1945. Fonte: Força Aérea Real – Imperial War Museum, Londres, de domínio público, https://commons.wikimedia.org/w/index.php?curid=4412617

EMPUNHA O CEPTRO

Empunha o ceptro, Mãe,
protege a tua terra de Schoenstatt,
aí só Tu és rainha,
põe em fuga todos os inimigos.

Cria aí um paraíso,
mantém algemado o dragão.
Mulher revestida de sol, surge esplendorosa,
eleva-te à altura meridiana.

A partir daí constrói um mundo,
como agrada ao Pai,
como Jesus em oração
o implorou com tanto ardor.

Aí reinem sempre o amor,
a verdade e a justiça,
a unidade que não massifica,
nem conduz ao espírito de escravidão.

Manifesta o teu poder
na noite escura da tormenta:
o mundo reconheça a tua ação
e te contemple maravilhado,
fale de ti com amor
e se confesse reino teu,
leve com valentia até longe a tua bandeira
e submeta, vitorioso, todos os inimigos.

Schoenstatt permaneça teu lugar predilecto,
baluarte do espírito apostólico,
guia que conduz à luta santa,
fonte da santidade na vida diária;

tocha que arde por Cristo
espargindo centelhas de luz,
até que o mundo, como um mar de chamas,
arda para glória da Santíssima Trindade. Amén.

Uma sugestão até 25 de março:

– Que estrofe desta frase eu particularmente gosto e é importante para mim?

– Quais das estrofes eu relaciono com uma memória especial?

– Qual das estrofes é especialmente atual – para Schoenstatt, para a Igreja?

 

Quem queira entrar em contato: [email protected]

 

Original: Alemão 1.3.2020. Tradução: João Luiz Pozzobon, Santa Maria, Brasil.

 

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *