Krug tinaja jar

Colocado em 1. Março 2020 In Santuário Original

A Aliança renova-se com uma nova Talha para o Capital de Graças

SANTUÁRIO ORIGINAL, María Fischer •

No caminho para o trabalho, é simplesmente uma questão de virar para a auto-estrada na direcção de Frankfurt, em vez de Colónia. É dia 18 de Fevereiro, Dia da Aliança, e o meu telemóvel transporta tantos desejos e pessoas, que precisa urgentemente de chegar ao Santuário. Esta peregrinação espontânea ao Santuário vem com duas surpresas: a bênção com o Santíssimo Sacramento às 18 h, no final da Adoração, e uma grande e nova Talha com a inscrição “Capital de Graças” em muitas línguas. —

 

O Pe. Pablo Pol dá a bênção com o Santíssimo Sacramento, 18 de Fevereiro de 2020. Foto: Fischer

 

Há muitos anos, surgiu na Áustria uma Talha como um símbolo do processo de vida do Capital de Graças. O termo “Capital de Graças” é muito gráfico, foi escolhido conscientemente pelo Pe. Kentenich tirado da vida económica e pertence aos fundamentos de Schoenstatt: ao contrário de outros lugares de peregrinação ou lugares de graças, em cada um dos Santuários de Schoenstatt – do Santuário Original ao Santuário-Coração – a colaboração responsável, criadora, activa e decisiva tem uma validade inquestionável.

Para o expressar de algum modo, são “depósitos de receitas” na conta da MTA para que Ela possa distribuí-las, integralmente, aos outros, a todos, ou àquele que, precisamente nesse momento, precisa de todo o Capital de Graças disponível. A teologia por trás dela é fundamentada e é ortodoxa, a imagem do Capital de Graças é compreensível para todos os que usam uma conta corrente, cartão de crédito ou transferência. Por outras palavras, todos.

Tal expressão tão gráfica não é suficiente para as pessoas mais pragmáticas, e assim surgiram imagens para este processo de colaboração, desde a caixa com notas até “capitalários” coloridos na América do Sul, e desde as cestas trançadas no Burundi até à Talha baseada no Evangelho do Casamento em Caná. Nesta colaboração, nada é pequeno ou grande demais para oferecer e aproveitar todo o poder concentrado do Capital de Graças.

 

A nova Talha, com a inscrição “Capital de Graças” em 11 línguas. Foto: Weweler

A Talha quebrada

Agora esta bela Talha com a inscrição “Capital de Graças” em várias línguas já está em frente do altar do Santuário Original.

Através da saudação de Natal do Reitor do Santuário Original, Padre Pablo Pol, que também foi divulgada por schoenstatt.org, soube-se que a Talha se tinha quebrado:

Há umas semanas, aconteceu uma coisa muito especial. Partiu-se a Talha que contém as cartas, as ofertas… ou seja, toda o Capital de Graças do Santuário Original. Como podem ver nas fotos, as cartas que chegam. de todo o mundo, com petições à Santíssima Virgem foram colocadas com grande entusiasmo e a Talha não conseguiu resistir… simplesmente quebrou-se”.  —  

A resposta do Pe. Pablo Pol a uma breve pergunta: “Encomendámos uma nova Talha para a Capital de Graças porque a anterior se quebrou. A nova foi feita em Höhr-Grenzhausen. A ideia de escrever a palavra “Capital de Graças” nela em diferentes línguas é para dar ênfase à internacionalidade.”

A Talha quebrada. Foto: Weweler

Bernadette e Norbert Weweler, sacristãos do Santuário Original, comentam:

“Sim, aconteceu uma história especial com a Talha. A “antiga Talha” quebrou-se e foi amarrada com uma corda, por isso um dia um grupo de polacos doou uma nova, relativamente leve e com paredes finas. Em todo o caso, uma vez tombou e tinha um pequeno rasgão. Mas ainda assim aguentava…

Uma noite veio um grupo de jovens paraguaios, que dispuseram de um tempo próprio no Santuário, após a bênção da noite. Tinham recolhido muito Capital de Graças e trouxeram-no num maço. Puseram uma linda música e cada um do grupo aproximou-se e colocou o seu maço de Capital de Graças na Talha, que estava muito cheia. Depois tiveram de o apertar um pouco, para que coubesse tudo. No momento em que a música acabou…

A Talha rebentou, estalando em duas com um clique audível. Surpreendida, a portadora do Capital de Graças olhou para a câmara… – uma imagem maravilhosa – a Talha transborda, não pode conter a quantidade de Capital de Graças… – o grupo ficou devastado, queriam confessar o que tinha acontecido na manhã seguinte. Mas a Ir. Vanda, da equipa da sacristia, reconheceu imediatamente a bela imagem: O recipiente não pôde conter a quantidade de Capital de Graças!”

Esta mensagem também saiu com a saudação de Natal do Pe. Pablo Pol a todos:

…Nesta época de Natal, quero convidar-vos a deixarem-se encher por um momento com o sinal: o Capital de Graças “transborda” para o Santuário. Que alegria para Nossa Senhora! Que os seus filhos de todo o mundo levem a sério o pedido do Documento Fundador: “Trazei abundantes contribuições para o Capital de Graças… (18.10.1914).

 

zerbrochener Krug | broken jar | tinaja rompida

A Talha quebrada. Foto: Weweler

Surge uma nova Talha

Era preciso uma nova Talha

Comentário de Bernadette e Norbert Weweler:

“Então pusemo-nos à procura de uma nova Talha , encomendada pelo Reitor. Tínhamos uma ideia muito clara: estável, durável, de preferência clara, asas pouco proeminentes mas fortes, altura mínima de 50 cm, e uma boca larga, para que pudéssemos meter bem a mão.

E o Reitor, o Pe. Pablo Pol, teve outra ideia: colocar, na frente e no verso, a conhecida inscrição “Nada sem Ti, nada sem nós” em latim e acrescentar “Capital de Graças” no topo, em várias línguas: espanhol, português, inglês, italiano, alemão, tâmil…onze línguas no total.

Tivemos de admitir que o primeiro desafio foi a procura do fabricante. Obviamente, há pouco treino nesta área. As pessoas que sabem como fazê-lo já se estão a reformar… E é precisamente aqui, ao pé, que se situa a velha cidade da cerâmica, Höhr-Grenzhausen!

Quando encontrámos um fabricante e lhe explicámos as nossas ideias, ele disse-nos: “Isto não é assim, não se pode gravar correctamente… não seria legível…” ou, “no máximo, poderia ser colado de alguma forma, mas com curvatura não se vai aguentar…”

Perplexos, fomos para a Adoração…

No dia seguinte, o contabilista da Casa do Pai que ouviu falar da procura e indicou a irmã e o cunhado que têm uma empresa própria em Höhr-Grenzhausen. O Padre Pablo Pol ligou, foi para lá e nós também…

“Sim, talvez possa ser feito”, foi-nos dito. O meu marido é oleiro, isto é, um mestre ceramista, e eu sou uma ceramista certificada”, disse Frau Hastenteufel. “Mas com estas onze inscrições na borda… não vai funcionar.

Explicou o esforço envolvido em semelhante trabalho: uma Talha muito grande, para a produção da qual são necessários 13 quilos de barro, pré-cozido e pós-cozido (levado ao forno), depois a escrita. Muitas operações separadas.

Para tal encomenda, um preço pôde ser calculado entre 800 e 1000 Euros.

A qualidade tem um preço e Nossa Senhora no Santuário e os Seus peregrinos merecem qualidade.O Pe. Pablo Pol imediatamente concordou e explicou que, por uma Talha feita à medida, deve pagar-se este preço.

 

Ehepaar Hastenteufel mit dem neuen Krug

O casal Hastenteufel com a nova Talha. Foto: Weweler

Internacionalidade levada ao forno

Uma nota à margem, mas comovente: os Hastenteufels já prestaram a sua ajuda no desenvolvimento de trabalhos em barro e cerâmica em alguns países, incluindo o Ruanda.

“Talvez eu não consiga mais do que seis idiomas”, disseram, pois o trabalho já estava em andamento. “Você escolhe os que não podem faltar.” E nós escolhemos. “Embora tenhamos pedido ajuda a Nossa Senhora, talvez  possa colocar mais algumas inscrições”, disseram Bernadette e Norbert Weweler.

E contam:

“E, de facto, Arno e Ute Hastenteufel trouxeram pessoalmente a Talha acabada. Estavam visivelmente entusiasmados com a sua obra-prima, com as onze inscrições na borda da Talha: ‘Mesmo em tâmil’, anunciaram cheios de alegria”.

A Talha está agora no Santuário Original, à espera de ser enchida até transbordar.

E talvez… sim, talvez, no próximo Dia da Aliança, nós schoenstatteanos enviarmos a foto desta Talha através do WhatsApp, Facebook, Instagram ou e-mail, em vez da imagem antiga, para que o Capital de Graças transborde e flua para os territórios em guerra ou em crise no nosso mundo, nos projectos sociais e pastorais do nosso Movimento Apostólico de Schoenstatt mundial.

 

Santuário Original, 18/02/2020 – Foto: Fischer

Vídeo do momento em que transbordou o Capital de Graças:

Álbum de fotos em Flickr

Santuario Original - Urheiligtum 18.02.2020

 

Original: alemão (23/2/2020). Tradução: Lena Castro Valente, Lisboa, Portugal

Etiquetas: , , , , , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *