Colocado em 2020-09-08 In Santuário Original

Desordem no Santuário Original

SANTUÁRIO ORIGINAL/INSTANTÂNEOS – Pedro M. Dillinger/Maria Fischer •

É agora que os jovens vêm e colocam o Santuário Original de ponta cabeça. Desordem por todo lado. Cabos, tripés, monitores, um monte de coisas técnicas. E penso: no início era um armazém, uma mistura de ferramentas de jardim, pó, teias e aranhas. Então os jovens vieram, limparam e organizaram o lugar para que “daqui” pudessem colocar o mundo de ponta cabeça e se lançasse a revolução desta Maria que não é “só terna e bonita”, como expressou alguém que não era muito mais velho naquele então do que são nossos jovens de agora. —

 

E agora os jovens estão aqui e estão incomodando o Santuário e, talvez, alguns de seus habituais visitantes. Estão atrapalhando a ordem para preparar a “Noite do Santuário” – que pelo menos para Roberto M. González do Paraguai – é o maior e melhor projeto da juventude schoenstattiana alemã. Tudo para que possa chegar a muitos, muitíssimos jovens virtualmente. Revolução, eles dizem. O mundo não é muito grande.

Sempre houve isso. Essa vida nova perturbou a ordem dentro e no entorno do santuário. De repente, “hordas” de pessoas simples com sapatos sujos e um amor apaixonado por Maria, começaram a invadir os santuários da Argentina, empilhando imagens da Mãe Peregrina, coroas de flores, quadros coloridos, terços de plástico e fotos em todos os lugares onde se podia colocar, cantando e rezando em voz alta, improvisando… e quando chegou a próxima vez, as portas se fecharam para que não se desordenasse tudo de novo. Então selaram sua Aliança de Amor na frente do santuário fechado, até que as portas se abriram e lentamente um movimento inteiro começou a amar e a viver a expressão “Santuário aberto”, o santuário sem muros.

De repente há uma casa grande (temos que reconhecer) no terreno do Santuário nacional do Paraguai, na qual entram e saem jovens que acabam de sair da prisão, que roubaram motos, celulares e mais, assaltaram pessoas, jovens com tatuagens selvagens e um passado mais selvagem ainda. E vão ao santuário e celebram ali a Santa Missa, mesmo que alguns deles não tenham sido sequer batizados. E pouco a pouco, todo um movimento que sempre esteve comprometido socialmente, está começando a experimentar e a amar de forma muito próxima o lado social da Aliança de Amor.

Precisamos de desordem no Santuário. De vez em quando. 

 

“A Noite do Santuário” é um festival de fé organizado pela Juventude de Schoenstatt da Alemanha.
Este ano acontecerá virtualmente através de livestreams.
Por isto este ano se chama RƎVO⅃UTION – o mundo não é muito grande… em sua casa e em toda Alemanha, Áustria e Suiça!”

 

Aqui está a noite digital do Santuário (em alemão)

Original: Espanhol (6/9/2020). Tradução: Luciana Rosas, Curitiba, Brasil

Etiquetas: , , , ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *